Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Dalai Lama

Dalai Lama é um título dado ao líder espiritual do Tibete. É uma importante figura do budismo tibetano que também representa interesses políticos do país internacionalmente.

Tenzin Gyatso, o atual Dalai Lama, vestido com roupas típicas e óculos, com as mãos erguidas na altura do rosto.
Tenzin Gyatso é o 14º Dalai Lama reencarnado. [1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Dalai Lama é uma autoridade religiosa no Tibete, a mais importante, sendo ele considerado a encarnação de um ser iluminado que é conhecido por sua compaixão. Além de uma figura religiosa, o Dalai Lama é quem representa o Tibete internacionalmente, em especial no que toca a autonomia dessa região.

O atual Dalai Lama é considerado a 14ª encarnação de Avalokitesvara. Seu nome espiritual é Tenzin Gyatso e ele é originário de uma família de camponeses. Foi entronizado Dalai Lama em 1940. Destacou-se por defender que o conflito entre Tibete e China fosse resolvido de maneira pacífica e por isso recebeu um Nobel da Paz, em 1989.

Leia também: Mahatma Gandhi — o líder dos indianos na luta pela independência

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Dalai Lama

  • Dalai Lama é um líder espiritual do budismo no Tibete.

  • É considerado também o representante político dos interesses tibetanos.

  • O Dalai Lama é considerado a encarnação de Avalokitesvara, um ser iluminado.

  • O atual Dalai Lama, chamado Tenzin Gyatso, é considerado o 14º Dalai Lama.

  • Tenzin Gyatso ganhou um Prêmio Nobel da Paz, em 1989.

O que é um Dalai Lama?

Dalai Lama é um título tibetano que é dado para a maior autoridade religiosa do Tibete, região da China que luta pela sua independência. O Dalai Lama é considerado é um lama, isto é, um monge com grandes conhecimentos esotéricos e espirituais que decidiu reencarnar. A linhagem do Dalai Lama é considerada de reencarnações de Avalokitesvara, um ser iluminado que possui uma grande compaixão.

As reencarnações de Dalai Lama se iniciaram em 1391, e desde o quinto Dalai Lama, esse líder é, além de uma figura de importância religiosa, uma figura de importância política, uma vez que passou a simbolizar a unificação do Tibete, região da Ásia Central que luta por sua autonomia política.

O termo Dalai Lama mistura duas palavras, uma de origem mongol e outra de origem tibetana. Dalai tem origem mongol, significando “oceano”. Lama, por sua vez, tem origem tibetana e significa “mestre”. A junção das duas palavras é comumente traduzida como “oceano de sabedoria”.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Qual é a religião do Dalai Lama?

O papel de liderança religiosa do Dalai Lama está relacionado com o budismo, uma religião que surgiu como base nos ensinamentos de Sidarta Gautama, popularmente conhecido como Buda. O budismo é considerado uma religião não teísta, porque não possui uma divindade nos moldes das grandes religiões monoteístas, como o cristianismo, por exemplo.

Veja também: Vaticano — o país governado pelo papa

Como se escolhe um novo Dalai Lama?

Segundo a tradição tibetana, toda vez que um Dalai Lama morre, ele reencarna novamente, e é função dos lamas, os monges de grande conhecimento, se reunirem para encontrar o sucessor. Esses monges costumam se reunir no lago sagrado chamado Lhamo Lhatso para meditar sobre o novo Dalai Lama.

Com isso, a busca é iniciada, e o foco são crianças que nasceram um ano após a morte de Dalai Lama e que possuem características que as tornem excepcionais em relação às outras crianças. Os lamas realizam testes para determinar qual criança é a reencarnação do Dalai Lama. Uma vez encontrada a criança, os lamas convocam monges de diferentes locais para confirmarem a reencarnação de Dalai Lama.

Quem é o atual Dalai Lama?

O atual Dalai Lama é considerado a 14ª reencarnação de Avalokitesvara e representante da tradição budista Gelug, a vertente do budismo tibetano. Além disso, o atual Dalai Lama também foi um representante da Administração Central tibetana, o governo que administra e representa o Tibete no exílio. Ele abandonou suas atribuições políticas na administração tibetana em 2011.

O Dalai Lama atual é conhecido pelo nome de Tenzin Gyatso, mas por nascimento se chamava Lhamo Thondup. Seu nome espiritual completo é Jetsun Jamphel Ngawang Lobsang Yeshe Tenzin Gyatso. O Dalai Lama nasceu em uma família de camponeses no vilarejo de Taktser, localizado no Tibete, em 6 de julho de 1935.

O processo de reconhecimento do novo Dalai Lama fez com que o jovem Lhamo Thondup passasse por alguns testes que comprovaram que ele era a nova reencarnação do Dalai Lama. Nos testes, ele deveria encontrar os pertences do Dalai Lama anterior em meio a uma série de outros objetos. Aprovado, ele foi reconhecido como o 14º Dalai Lama, em 1939, sendo entronizado em Lhasa, capital do Tibete, no ano seguinte.

Tenzin Gyatso assumiu o comando e as responsabilidades políticas de um Dalai Lama em 1950, quando completou 15 anos e quando uma enorme crise nas relações entre Tibete e China se iniciou.

Saiba mais: Revolução Chinesa e a vitória das forças comunistas de Mao Tsé-Tung

Dalai Lama e as relações entre China e Tibete

O governo desse Dalai Lama coincidiu com o avanço territorial do governo chinês, que invadiu o Tibete em 1950, anexando-o ao território da República Popular da China. Isso deu início a uma série de conflitos do Dalai Lama com o governo chinês, e essa figura ainda é considerada um símbolo da luta tibeteana pela autonomia.

Daí em diante, o Dalai Lama procurou negociar medidas com o governo chinês para mediar a libertação do Tibete. O Dalai Lama chegou a se reunir diretamente com o líder do governo chinês, Mao Tsé-Tung. As relações com a China se desgastaram com o Tibete ao longo da década de 1950, e em 1959, uma revolta se iniciou no Tibete.

A revolta tibetana levou a confrontos violentos contra o exército chinês, mas foi rapidamente controlada. A partir desse evento, o Dalai Lama exilou-se do Tibete e estabeleceu-se no norte da Índia, especificamente na cidade de Dharamshala. A cidade tornou-se um refúgio dos tibetanos que fugiam do domínio chinês e tornou-se o local que abrigava também o governo tibetano no exílio.

A partir de 1959, o Dalai Lama atuou como liderança internacional da causa tibetana, exigindo que as Nações Unidas tomassem medidas para proteger o povo do Tibete. Propôs, a partir da década de 1960, ações para preservar a cultura, a história e as tradições do povo tibetano, estabelecendo instituições culturais e educacionais para cumprir esses propósitos.

Na década de 1980, ele se destacou por propor planos que estabelecessem a paz entre o Tibete e a China, defendendo a definição do Tibete como zona de paz; o fim da transferência de chineses étnicos para o Tibete, defendendo os direitos humanos na região; e o fim da produção de armamentos nucleares na região. Em 1988, propôs a criação de um governo autônomo do Tibete que governaria a região em parceria com a China.

Dalai Lama e o Nobel da Paz

A defesa de Dalai Lama e suas ações para garantir uma resolução pacífica do conflito com a China fez com que ele recebesse o Prêmio Nobel da Paz, em 1989. Dalai Lama demonstrou interesse para retornar a viver no Tibete, mas as negociações com o governo chinês não avançaram. Dalai Lama é reconhecido internacionalmente como uma liderança que defende a paz e a liberdade religiosa.

Créditos da imagem

[1] vipflash / Shutterstock

 

Por Daniel Neves Silva
Professor de História

Escritor do artigo
Escrito por: Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Dalai Lama"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/o-lider-tibetano.htm. Acesso em 18 de abril de 2024.

De estudante para estudante