Topo
pesquisar

Maconha

Drogas

A maconha é uma planta que apresenta componentes que podem ser usados para fins medicinais, mas também apresenta substâncias que afetam o sistema nervoso.
PUBLICIDADE

A maconha (Cannabis sativa) é, sem dúvidas, uma das drogas mais polêmicas da atualidade. Isso se deve ao fato de que, apesar de ter uso recreativo e apresentar danos ao organismo, essa planta possui componentes que apresentam importância medicinal, sendo, portanto, uma planta que merece atenção.

Como a maconha é utilizada?

A maconha é uma planta da família Moraceae muito utilizada em todo o planeta, sendo considerada a droga ilícita mais utilizada no mundo. Seu consumo, quando comparada com outras drogas permitidas, perde apenas para o álcool e cigarro.

A principal forma de administração da maconha é a inalação (fumada), método que leva a um efeito rápido no organismo. Estima-se que em cerca de meia hora a maconha atinja seus níveis máximos no sangue do usuário. Além da inalação, muitas pessoas fazem uso da maconha, ingerindo-a.

Segundo a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, na Cartilha sobre maconha, cocaína e inalantes, a cada 100 brasileiros, aproximadamente 9 já usaram maconha pelo menos uma vez na vida.

Maconha faz mal?

A maconha pode causar danos ao organismo, principalmente, quando o usuário faz uso de grande quantidade e em grande período de tempo. O abuso cada vez maior dessa substância está relacionado com o fato de que muitos acreditam que se trata de um produto natural e consequentemente não faz mal ou mesmo que a maconha seja uma droga considerada leve.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Leia também: O que é natural não faz mal?

É importante salientar que a maconha causa alterações a curto e também a longo prazo no organismo. A seguir, temos um quadro com os efeitos mais comuns da maconha a curto prazo, entretanto, é muito importante destacar que esses efeitos tratam-se daqueles mais comumente relatados, não sendo observados, portanto, em todas as pessoas que fazem uso da maconha.

Os efeitos estão relacionados diretamente a como a droga foi utilizada, a quantidade utilizada e como o organismo responde a essa droga.

EFEITOS AGUDOS DO USO DA MACONHA

Alteração da percepção de tempo e espaço

Aumento da frequência cardíaca

Aumento do apetite

Boca seca

Confusão mental

Exacerbação de sintomas psicóticos existentes

Olhos avermelhados

Pânico

Perda da inibição

Redução da capacidade motora

Redução da memória

Sensação de relaxamento ou euforia

Sentidos mais aguçados


Apesar de muitos efeitos acabarem pouco período após o uso, alguns desses efeitos são perigosos. As alterações na percepção do indivíduo, por exemplo, podem colocá-lo em risco por aumentar as chances de colocá-lo em situações perigosas, as quais normalmente a pessoa não se sujeitaria.

A direção, por exemplo, pode ser bastante perigosa, uma vez que a droga altera a percepção de tempo e espaço. Além disso, outro ponto a ser considerado é a perda da inibição, que pode, por exemplo, levar o indivíduo a ter comportamentos sexuais de risco.

O uso da maconha pode gerar efeitos a curto e longo prazo.
O uso da maconha pode gerar efeitos a curto e longo prazo.

Como dito anteriormente, com o passar do tempo, o uso da maconha pode também trazer efeitos crônicos, os quais podem ser muito graves. Acredita-se que os impactos negativos são maiores no indivíduo quando ele começa o uso da droga muito cedo e a utiliza por muito tempo. O quadro a seguir relata algumas dessas manifestações crônicas:

MANIFESTAÇÕES CRÔNICAS DO USO DA MACONHA

Alterações cognitivas

Bronquite

Câncer de pulmão

Esquizofrenia em indivíduos vulneráveis

Psicose em indivíduos vulneráveis

Síndrome amotivacional (caracteriza-se por um estado de isolamento social, passividade, apatia e indiferença)


Vale salientar ainda que a maconha pode apresentar efeito negativo quando utilizada por mulheres que estão grávidas. Alguns estudos sugerem que o uso dessa planta pode aumentar os riscos de desenvolvimento de bebês com anencefalia e crianças com transtornos cognitivos.

Leia também: Krokodil

Maconha causa dependência?

A maconha é uma droga que pode sim causar dependência, entretanto, isso não significa que todas as pessoas apresentarão esse problema. A dependência causada pela maconha caracteriza-se por uma necessidade de seus efeitos após a interrupção do seu uso. A pessoa pode se sentir agitada, inquieta, irritada, apresentar dificuldade para dormir e sentir também sintomas como câimbras e náusea.

Componentes da maconha

A maconha apresenta componentes que podem ser utilizados para fins medicinais.

A maconha apresenta componentes que podem ser utilizados para fins medicinais.

A maconha é uma planta rica em diferentes substâncias químicas, apresentando, algumas delas, propriedades medicinais e também efeitos psicotrópicos, ou seja, que causam efeitos no nosso sistema nervoso central. Estima-se que a maconha possua mais de 400 componentes, sendo 60 deles conhecidos como canabinoides, que são os compostos psicoativos dessa planta.

Apesar dos canabinoides serem importantes por apresentarem propriedades terapêuticas, esses apresentam muitos problemas por estarem também relacionados com efeitos psicotrópicos. O uso de canabinoides pode gerar efeitos colaterais como alterações na memória, depressão e euforia, por exemplo. No seguinte quadro, temos algumas aplicações terapêuticas dos canabinoides.

EFEITOS TERAPÊUTICOS DOS CANABINOIDES

Efeito analgésico

Controle de espasmos

Tratamento de glaucoma

Efeito broncodilatador

Efeito anticonvulsivo

Redução de náuseas e vômitos


Tetra-hidrocanabinol

O tetra-hidrocanabinol (THC) é a principal substância psicoativa da maconha, apresentando grande influência no cérebro. O THC, ao atingir o sistema nervoso central, reconhece receptores no local e se liga, sendo essa ação a responsável pelos efeitos já conhecidos da droga. O THC é responsável por promover o desenvolvimento de sintomas psicóticos em sujeitos vulneráveis, mas também apresenta papel importante na medicina.

Entre os usos terapêuticos do THC, podemos citar o tratamento de glaucoma, distúrbios de movimento, perda de apetite em pacientes com AIDS e tratamento de sintomas desagradáveis gerados pela quimioterapia, como dor, náusea e vômito.

Leia também: Riscos das drogas sintéticas

Haxixe

Haxixe é o nome dado à resina extraída da planta da maconha que posteriormente é seca e prensada. É considerada uma forma mais concentrada da maconha e apresenta uma quantidade maior de substâncias psicoativas do que aquela que é habitualmente fumada (folhas e grãos da planta seca). O haxixe é geralmente utilizado por meio da ingestão ou inalação (fumando).

Skunk

No caso do skunk, temos uma variedade da maconha que foi cultivada e que se destaca pelos seus elevados índices de tetra-hidrocanabinol. Desse modo, podemos concluir que se trata de uma versão mais forte do que a tradicionalmente utilizada e que possui, portanto, efeitos mais poderosos. Pesquisas indicam que o uso de skunk pode aumentar consideravelmente o risco de desenvolver psicose, podendo triplicar o risco.
 

Por Ma. Vanessa Sardinha dos Santos

A maconha é uma planta que apresenta substâncias que afetam o sistema nervoso central.
A maconha é uma planta que apresenta substâncias que afetam o sistema nervoso central.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Maconha"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/drogas/maconha.htm. Acesso em 23 de outubro de 2019.

O Álcool pode causar depedência e mudança no comportamento
Drogas Álcool
O LSD é uma droga sintética que funciona como um poderoso alucinógeno.
Drogas LSD
Drogas Krokodil
Cerca de 30% dos usuários de crak perdem a vida em um prazo de cinco anos
Drogas Crack
Papoula: matéria prima do ópio
Drogas Ópio
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola