Topo
pesquisar

Importância e composição química do mel

Química

O mel é um produto produzido por abelhas que se destaca por ser rico em carboidratos e possuir algumas ações terapêuticas.
O mel é produzido pelas abelhas a partir, principalmente, do néctar das flores
O mel é produzido pelas abelhas a partir, principalmente, do néctar das flores
PUBLICIDADE

O mel é um produto natural produzido pelas abelhas, um grupo formado por mais de 20 mil espécies. Atualmente, o mel mais utilizado é o da abelha Apis mellifera, uma espécie que também é responsável pela produção de cera e própolis e é nativa da Europa, África e Ásia. Esse produto é utilizado pelos humanos desde a pré-história.

Produção do mel pelas abelhas

O mel, produzido pelas abelhas melíferas, é feito a partir do néctar das flores, de secreções provenientes de outras partes da planta ou ainda de excreções de insetos que sugam plantas. As características do mel, tais como sabor, cor e cheiro, variam de acordo com a flora utilizada e as condições ambientais, além, é claro, da espécie da abelha.

As abelhas melíferas engolem uma pequena quantidade de néctar a cada planta visitada e armazenam essa substância em seu estômago de transporte. O néctar é então misturado com secreções liberadas, principalmente, pelas glândulas hipofaringeanas. Nessa secreção são encontradas substâncias tais como a invertase, glicose, oxidase, catalase e fosfatase, que desencadeiam reações que transformam o néctar em mel.

A abelha retorna à colmeia e regurgita o conteúdo armazenado nos alvéolos do favo, que são estruturas formadas por cera. O mel adquire viscosidade e consistência com o passar dos dias, sendo usado posteriormente como alimento por esses animais. Para proteger o mel nos alvéolos, as abelhas produzem uma fina camada de cera para vedar esse compartimento.

Composição química do mel

O mel é um alimento rico em minerais e vitaminas
O mel é um alimento rico em minerais e vitaminas

A composição química do mel é extremamente rica, já que se trata de um alimento com uma vasta quantidade de substâncias muito importantes para a saúde do ser humano.

a) Carboidratos

Correspondem, em média, a 74 % de toda a composição química do mel. É por isso que o sabor do mel é tão adocicado. Os principais açúcares do mel são:

  • Glicose

  • Frutose

  • Sacarose

  • Maltose

b) Vitaminas

Várias são as vitaminas presentes no mel, sendo as principais:

  • Vitamina A

  • Vitamina B1

  • Vitamina B2

  • Vitamina B5

  • Vitamina B6

  • Vitamina C

  • Vitamina H

  • Vitamina PP

c) Minerais

Entre os vários minerais existentes, fazem parte da composição do mel:

  • Cálcio

  • Fósforo

  • Enxofre

  • Potássio

  • Cloro

  • Ferro

  • Manganês

  • Cobre

  • Sílica

  • Sódio

d) Água

e) Proteínas

As proteínas no mel são formadas basicamente pelos seguintes aminoácidos:

  • Leucina

  • Isoleucina

  • Histidina

  • Metionina

  • Alanina

  • Fenilalanina

  • Glicina

Propriedades físico-químicas do mel

Todas as propriedades físicas e químicas do mel dependem exclusivamente do tipo (monofloral) ou tipos (polifloral) de flores que as abelhas utilizaram para a extração do néctar. Entre essas propriedades, podemos destacar:

  • Sabor: é determinado pela quantidade e tipos de açúcares e ácidos presentes. Pode ser doce, amargo ou azedo.

  • Taxa de umidade (indica a quantidade de água presente no mel): A quantidade de água no mel deve variar entre 16,8 a 20%. Trata-se de uma determinação proposta pela Legislação brasileira, pois, se o mel apresentar maior teor de água, pode ocorrer maior proliferação de bactérias e, consequentemente, ocasionar um processo fermentativo, tornando o produto impróprio para o consumo.

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Viscosidade (é a resistência que um fluido oferece ao escoamento, ou seja, o quanto ele gruda nas paredes do recipiente ao se espalhar): Comparando o mel com a água, percebemos que ele é muito mais viscoso. Todavia, como existem vários tipos de mel quanto à composição química, a viscosidade dele pode diminuir de acordo com a quantidade de água que ele apresentar.

  • Acidez (quantidade de ácidos presentes no fluido): Vários são os ácidos presentes no mel, a depender do tipo de néctar utilizado e também da ação de bactérias durante a maturação. Alguns exemplos são: ácidos glicônico, succínico, málico, acético, cítrico, fórmico, lático, fólico e butírico.

  • Teor de cinzas (indica a quantidade e o tipo de minerais presentes no mel): segundo a Legislação, a quantidade de minerais no mel não pode ultrapassar o teor de 1,2 %. Os tipos de minerais presentes, como já salientado, estão ligados à fonte floral, ao meio ambiente e às condições de produção e processamento.

  • Hidroximetilfurfural (HMF): Trata-se de uma substância química formada pela reação de açúcares e ácidos presentes na composição do mel. Assim sendo, ela continua a ser formada após a extração do mel. A Legislação permite apenas a quantia de 60 mg dessa substância a cada quilograma de mel. Caso esse teor esteja acima, o produto não deve ser consumido.

O mel e a saúde humana

O mel, além de funcionar como um substituto do açúcar, é um produto que possui várias atividades terapêuticas, destacando-se suas ações:

- Antibacteriana: Impede o crescimento de bactérias;

- Antibiótica: Combate infecções bacterianas;

- Anti-inflamatória: Impede ou ameniza a inflamação de tecidos;

- Antimicrobiana: Mata ou inibe o desenvolvimento de micro-organismos;

- Depurativa: Purifica o organismo eliminando substâncias tóxicas e resíduos;

- Emoliente: Amacia e deixa a pele mais flexível;

- Energética: Fornece energia;

- Cicatrizante: Estimula o processo de cicatrização;

- Imunoestimulante: Estimula e reforça o sistema imunológico.

Vale destacar que o mel, além de todos esses benefícios, apresenta certo risco toxicológico. O efeito tóxico só surge quando a produção e o processamento são feitos de maneira inadequada ou as plantas visitadas por abelhas possuem substâncias tóxicas.

Produção de mel no país

A produção de mel no Brasil vem crescendo muito nos últimos anos. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no ano de 2013, o Brasil produziu 35,365 mil toneladas do produto. Ainda de acordo com o Instituto, o Rio Grande do Sul destacou-se no ano como o maior produtor, sendo responsável por mais de 20% da produção total do nosso país. Em segundo e terceiro lugar estão os estados do Paraná(15,7%) e Santa Catarina (13,8%).


Por Me. Diogo Lopes Dias e Ma. Vanessa dos Santos

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DIAS, Diogo Lopes; SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Importância e composição química do mel"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/importancia-composicao-quimica-mel.htm. Acesso em 20 de agosto de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola