Topo
pesquisar

Os Panteras Negras e a luta racial nos EUA

História Geral

Uma das organizações da população negra mais radicais, os Panteras Negras atuaram principalmente contra a brutalidade policial nos EUA.
Membro dos Panteras Negras em convenção do Partido em Washington D.C., capital dos EUA
Membro dos Panteras Negras em convenção do Partido em Washington D.C., capital dos EUA
PUBLICIDADE

Em meados do século XX, a sociedade americana viu surgir uma série de movimentos de organização política da população negra. A luta era contra o secular racismo que existia na sociedade estadunidense, principalmente em decorrência da escravidão africana no país. Dentre as organizações que lutaram contra o racismo, estava o Partido dos Panteras Negras, que ficou conhecido simplesmente como Panteras Negras.

Fundado em 1966, com o nome de Partido dos Panteras Negras para a Autodefesa, o grupo tinha como um de seus objetivos principais o armamento da população negra dos EUA para enfrentar a violência que sofria do Estado, principalmente das forças policiais. Essa postura diferenciava os Panteras Negras da luta preconizada por Martin Luther King, por exemplo, de defesa da desobediência civil não violenta.

Mas a atuação dos Panteras Negras não se restringia ao armamento da população negra. Nos dez pontos de seu programa é possível perceber a luta pela liberdade dos negros e a garantia de emprego para eles. Reivindicavam melhores habitações, fim da brutalidade policial, liberdade para os negros presos nas penitenciárias estadunidenses, o direito de serem julgados por pessoas da comunidade negra, entre outras coisas. Ao combaterem o que chamavam de roubo dos capitalistas brancos sobre a comunidade negra, pediam uma indenização do governo dos EUA pela escravização a que foram submetidos e também pelo assassinato em massa da população negra.

Os Panteras Negras lutavam também pelo direito à educação, destacando a necessidade de ensinarem a história de acordo com seus pontos de vista, diferente da história contada pelos brancos, garantindo, dessa forma, um sistema educacional que os levasse a conhecer a sua própria história.

Ericka Huggins, participante dos Panteras Negras, em entrevista realizada no Brasil em 2013, disse que o partido fundou escolas comunitárias para a comunidade negra e latina em algumas cidades dos EUA. Segundo Huggins, os Panteras Negras buscavam entender cada criança, focando em cada estudante da escola individualmente.  Além disso, “serviam três refeições por dia”, criando ainda “uma relação com o hospital infantil local, porque se alguma delas ficasse doente,” pretendiam “ter certeza de que pudesse ser atendida sem qualquer custo”. Caso os pais dos estudantes não tivessem carro, eles realizavam o transporte das crianças da escola para casa de ônibus. Os Panteras Negras ofereciam ainda alimentação gratuita à população e serviços médicos [1].

Outra forma de conscientização dos Panteras Negras ocorreu através da produção artística, buscando, dessa forma, outra forma de trabalho político junto à comunidade negra.

Cartaz de chamada para a convecção do Partido dos Panteras Negras
Cartaz de chamada para a convecção do Partido dos Panteras Negras

Politicamente, os Panteras Negras baseavam-se em preceitos de correntes marxistas, como a maoísta, colocando-se na vanguarda da luta contra o racismo nos EUA. Pretendiam ainda lutar pelo socialismo, buscando a expropriação dos meios de produção dos capitalistas. Nas décadas de 1960 e 1970, atuaram em conjunto a outras organizações políticas, o que rendeu uma feroz perseguição das forças policiais e de segurança dos EUA, a ponto de o chefe do FBI, J. Edgar Hoover, afirmar que os Panteras Negras eram “a maior ameaça à segurança interna americana”.

Vários casos de enfrentamento entre os membros do Partido dos Panteras Negras e as forças policiais ocorreram, resultando em mortes em ambos os lados. Inúmeros membros do Partido foram presos, o que enfraqueceu a organização. Na década de 1980, em consequência da forte repressão do Estado e da desintegração interna do grupo, o Partido dos Panteras Negras acabou extinto.

Nota:

[1] Jornal Brasil de Fato, 02/10/2013.


Por Tales Pinto
Mestre em História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PINTO, Tales dos Santos. "Os Panteras Negras e a luta racial nos EUA"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/historiag/os-panteras-negras-luta-racial-nos-eua.htm>. Acesso em 27 de abril de 2018.

Teste seus conhecimentos
Questão 1

(PUC-PR) Leia o texto a seguir:

“Cem anos atrás um grande americano, em cuja sombra simbólica nos encontramos hoje, assinou a proclamação da emancipação [dos escravos]. (…)

Mas, cem anos mais tarde, o negro ainda não está livre. Cem anos mais tarde, a vida do negro ainda é duramente tolhida pelas algemas da segregação e pelos grilhões da discriminação. Cem anos mais tarde, o negro habita uma ilha solitária de pobreza, em meio ao vasto oceano de prosperidade material. Cem anos mais tarde, o negro continua a mofar nos cantos da sociedade americana, como exilado em sua própria terra. Então viemos aqui hoje para dramatizar uma situação hedionda. (…) Mas há algo que preciso dizer a meu povo posicionado no morno liminar que conduz ao palácio da justiça. No processo de conquistar nosso lugar de direito, não devemos ser culpados de atos errados. Não tentemos saciar nossa sede de liberdade bebendo do cálice da amargura e do ódio.

Temos de conduzir nossa luta para sempre no alto plano da dignidade e da disciplina. Não devemos deixar nosso protesto criativo degenerar em violência física. Precisamos nos erguer sempre e mais uma vez à altura majestosa de combater a força física com a força da alma.”

Trechos do discurso de Martin Luther King, em 28 de agosto de 1963. Disponível em: <Exame>

Interprete o texto acima e observe as seguintes afirmações sobre o movimento negro nos EUA, na segunda metade do século XX:

I. Martin Luther King foi um importante líder do movimento negro nos EUA no período após a Segunda Guerra Mundial. O seu discurso está inserido no contexto da luta pelos direitos civis dos negros nesse país, no qual questiona as leis segregacionistas que delimitavam, por exemplo, lugares separados para brancos e para negros em locais públicos.

II. No seu discurso, Martin Luther King faz referência à propaganda capitalista própria do período da Guerra Fria segundo a qual os EUA eram um país onde os cidadãos desfrutavam do sonho americano de bonança financeira, o que não correspondia com a realidade vivida pela comunidade negra.

III. Martin Luther King foi um importante representante do movimento negro nos EUA, conhecido como “Panteras Negras”, que pregava o enfrentamento violento e radical dos negros frente aos brancos, para a conquista dos direitos civis pelos primeiros, que carregavam a triste herança da escravidão.

Estão CORRETAS as afirmações:

a) I e II apenas.

b) I e III apenas.

c) I, II e III.

d) I apenas.

e) II e III apenas

Mais Questões
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA