Verbos irregulares

Gramática

PUBLICIDADE

Verbos irregulares são aqueles que, ao serem conjugados, apresentam alteração em seu radical e/ou têm desinência diferente daquela do verbo paradigma, isto é, acabado em -ar (primeira conjugação), -er (segunda conjugação) ou -ir (terceira conjugação). Já os verbos regulares são os que não sofrem modificação em seu radical e mantêm a mesma desinência do verbo paradigma em sua conjugação.

Leia mais: Verbos anômalos – sofrem alterações nas desinências e no radical ao serem conjugados

O que são verbos irregulares?

Para entender o que são verbos irregulares, é preciso saber o que é um radical e o que é a desinência. Assim, o radical é a parte principal do verbo, responsável pelo seu significado. Por exemplo: est- é o radical do verbo estar. Já a desinência é a parte final do verbo e indica número (singular ou plural), pessoa (primeira, segunda ou terceira), modo (indicativo, subjuntivo ou imperativo) e tempo (pretérito, presente ou futuro).

Os verbos irregulares sofrem alterações no radical e/ou desinências.
Os verbos irregulares sofrem alterações no radical e/ou desinências.

Os verbos irregulares, portanto, são aqueles que apresentam alteração em seu radical no momento em que são conjugados e/ou têm desinência diferente da apresentada pelo verbo paradigma, isto é, terminado em -ar (paradigma da primeira conjugação), -er (paradigma da segunda conjugação) ou -ir (paradigma da terceira conjugação), como podemos ver nos seguintes exemplos:

Eu estive

Tu estiveste

Ele, ela esteve

Nós estivemos

Vós estivestes

Eles, elas estiveram

Nessa conjugação do verbo estar, no pretérito perfeito do indicativo, apesar de o radical est- permanecer intacto, a desinência é diferente da apresentada pelo verbo paradigma da primeira conjugação, como o verbo amar: amei, amaste, amou, amamos, amastes, amaram. Desse modo, se estar fosse regular, sua conjugação, no pretérito perfeito do indicativo, seria: estei, estaste, estou, estamos, estastes, estaram.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Já o verbo poder, no pretérito perfeito do indicativo, é assim conjugado:

Eu pude

Tu pudeste

Ele, ela pôde

Nós pudemos

Vós pudestes

Eles, elas puderam

Esse também é um verbo irregular, já que seu radical (pod-) sofre modificação: pude, pudeste, pôde, pudemos, pudestes, puderam. Além disso, na primeira e terceira pessoa do singular, apresenta desinência diferente daquela do verbo paradigma da segunda conjugação, como o verbo correr: corri, correste, correu, corremos, correstes, correram.

A irregularidade também pode ser verificada na conjugação do verbo ir, no pretérito perfeito do indicativo:

Eu fui

Tu foste

Ele, ela foi

Nós fomos

Vós fostes

Eles, elas foram

Nesse caso, o radical i- é completamente alterado, apesar de algumas desinências serem as mesmas do verbo paradigma da terceira conjugação, como o verbo sorrir: sorri, sorriste, sorriu, sorrimos, sorristes, sorriram.

Conjugação dos verbos irregulares

A seguir, outros exemplos de verbos irregulares:

INDICATIVO

Presente

PATENTEAR

CABER

AGREDIR

Eu patenteio

Tu patenteias

Ele, ela patenteia

Nós patenteamos

Vós patenteais

Eles, elas patenteiam

Eu caibo

Tu cabes

Ele, ela cabe

Nós cabemos

Vós cabeis

Eles, elas cabem

Eu agrido

Tu agrides

Ele, ela agride

Nós agredimos

Vós agredis

Eles, elas agridem

SUBJUNTIVO

Presente

[que] Eu patenteie

[que] Tu patenteies

[que] Ele, ela patenteie

[que] Nós patenteemos

[que] Vós patenteeis

[que] Eles, elas patenteiem

[que] Eu caiba

[que] Tu caibas

[que] Ele, ela caiba

[que] Nós caibamos

[que] Vós caibais

[que] Eles, elas caibam

[que] Eu agrida

[que] Tu agridas

[que] Ele, ela agrida

[que] Nós agridamos

[que] Vós agridais

[que] Eles, elas agridam

IMPERATIVO

Afirmativo

Patenteia tu

Patenteie você

Patenteemos nós

Patenteai vós

Patenteiem vocês

Cabe tu

Caiba você

Caibamos nós

Cabei vós

Caibam vocês

Agride tu

Agrida você

Agridamos nós

Agredi vós

Agridam vocês

 

Leia mais: Verbos abundantes – têm mais de uma forma para algumas conjugações

Diferença entre verbos irregulares e regulares

Diferentemente dos irregulares, os verbos regulares não apresentam alteração em seu radical no momento em que são conjugados. Além do mais, conservam a mesma desinência do verbo paradigma:

Eu estudo

Tu estudas

Ele, ela estuda

Nós estudamos

Vós estudais

Eles, elas estudam

Nesse exemplo, o verbo, conjugado no presente do indicativo, não sofre modificação em seu radical (est-) e apresenta a mesma desinência do verbo paradigma, como é possível confirmar na conjugação de outro verbo regular da primeira conjugação:

Eu amo

Tu amas

Ele, ela ama

Nós amamos

Vós amais

Eles, elas amam

O mesmo ocorre com os verbos da segunda conjugação, como correr e sofrer, conjugados no presente do indicativo:

Eu corro

Tu corres

Ele, ela corre

Nós corremos

Vós correis

Eles, elas correm

Eu sofro

Tu sofres

Ele, ela sofre

Nós sofremos

Vós sofreis

Eles, elas sofrem

 

A regularidade pode ser verificada também nos verbos, da terceira conjugação, cumprir e partir, conjugados no presente do indicativo:

Eu cumpro

Tu cumpres

Ele, ela cumpre

Nós cumprimos

Vós cumpris

Eles, elas cumprem

Eu parto

Tu partes

Ele, ela parte

Nós partimos

Vós partis

Eles, elas partem

 

Veja também: Verbos defectivos – não apresentam todas as conjugações

Exercícios resolvidos

Questão 1 - Analise os enunciados seguintes e assinale a alternativa em que TODOS os verbos são irregulares.

a) Eu amava o seu jeito de olhar e também amava o seu jeito de falar.

b) É evidente que quisemos tudo aquilo a que tínhamos direito legal.

c) Deixamos claro que obedeceremos a toda e qualquer determinação.

d) Ontem, a pobre menina feriu-se gravemente no acidente de carro.

e) Pediu que a mulher benzesse e, assim, curasse o seu filho doente.

Resolução

Alternativa B. Os verbos é, quisemos e tínhamos são irregulares.

Questão 2 - Leia, a seguir, um trecho do poema “Tabacaria”, do poeta português Fernando Pessoa:

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.


Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é
(E se soubessem quem é, o que saberiam?),

[...]


Nas alternativas seguintes, todos os versos destacados apresentam, pelo menos, um verbo irregular, EXCETO:

a) “Não sou nada.”

b) “Nunca serei nada.”

c) “Não posso querer ser nada.”

d) “À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.”

e) “(E se soubessem quem é, o que saberiam?),”

Resolução

Alternativa B. O verbo serei não é irregular.


Por Warley Souza
Professor de Gramática

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Verbos irregulares"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/verbos-irregulares.htm. Acesso em 27 de setembro de 2020.