Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Mas ou mais?

As palavras "mas" e "mais" são parecidas na grafia e na sonoridade, mas diferentes no significado. Uma é uma conjunção adversativa e a outra é um advérbio de intensidade.

Quadro-negro apresenta diferenças entre “mas” e “mais”.
“Mas” é uma conjunção e “mais”, um advérbio.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Mas” e “mais” são termos comumente confundidos pelos usuários da língua. A palavra "mas" é uma conjunção adversativa, enquanto a palavra "mais" é um advérbio de intensidade. Embora tenham grafia e sonoridade parecidas, seus usos são diferentes, gerando dúvidas.

Leia também: Bem-vindo ou bem vindo: qual é o correto?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre “mas” e “mais”

  • A palavra "mas" é uma conjunção coordenativa usada para indicar oposição entre dois elementos no enunciado.

  • A palavra "mais" é um advérbio de intensidade usado para indicar maior ênfase ou quantidade. Também pode ser usado como sinônimo da preposição "com".

Quais as diferenças entre “mas” e “mais”?

Apesar da grafia e da sonoridade muito parecidas, "mas" e "mais" são palavras usadas em contextos bem diferentes.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quando usar “mas”?

A palavra "mas", sem a vogal I, é uma conjunção; portanto, é usada para ligar dois termos ou duas orações em um enunciado. Essa conjunção geralmente traz a ideia de oposição, indicando que os termos conectados são diferentes ou se opõem entre si.

"Esse vestido não é dourado, mas sim roxo."

Nesse enunciado, a conjunção "mas" expressa a oposição entre os termos "dourado" e "roxo", indicando que o vestido não é de uma tonalidade, e sim da outra.

Veja outros usos de "mas".

"Todos nós pedimos sorvete de pistache, mas não tinha."
"Posso fazer esse favor,
mas vou pedir algo em troca."
"Ele queria muito aquela camiseta, mas era alto demais para caber nela."
"Você vive tentando me convencer a conhecer aquele parque, mas quem disse que eu quero ir?"

Quando usar “mais”?

A palavra "mais", escrita com vogal I no meio, é um advérbio; portanto, é usada para caracterizar a ação de um verbo, um adjetivo ou outro advérbio. Esse advérbio é de intensidade, indicando maior ênfase daquilo que caracteriza ou maior quantidade de algo. Nesses casos, "mais" é antônimo de "menos".

"Eu era mais rápido lavando louça."

Nesse enunciado, o advérbio "mais" aumenta a ênfase do adjetivo "rápido". Em certos contextos, a palavra "mais" pode ser usada como sinônimo da preposição "com", indicando companhia.

"Eu mais três amigos fomos ao cinema ontem."

Veja outros usos de "mais".

"Quanto mais ele tinha, mais ele queria..."
"Judite era a menina
mais forte da escola!"
"Se fizesse mais coisas, teria menos tempo para descansar."
"À padaria, fomos eu mais a minha tia."

Leia também: Sob ou sobre: quando usar cada um?

Exercícios resolvidos sobre “mas” e “mais”

Questão 1

Assinale a alternativa que é corretamente preenchida pela palavra “mas”.

A) O carro dela é _____ rápido do que o meu.

B) Quanto _____ eu estudo, mais eu percebo o quanto há para aprender.

C) Fomos eu _____ meus amigos ao evento.

D) Ela é inteligente, _____ às vezes age de forma impulsiva.

E) Ele é _____ alto do que todos os outros jogadores do time.

Resposta

A alternativa D é a que indica o contexto de oposição, pedindo o uso da conjunção adversativa “mas”.

Questão 2

Assinale a alternativa que é corretamente preenchida pela palavra “mais”.

A) Eu queria sair, _____ está chovendo muito.

B) O filme foi longo, _____ foi muito emocionante.

C) Eu estava cansado, _____ decidi continuar trabalhando.

D) Ela estudou muito para a prova, _____ não conseguiu passar.

E) Ele trabalha _____ do que qualquer pessoa que eu conheço.

Resposta

A alternativa E é a que indica um contexto de intensificação da ação, pedindo o uso do advérbio de intensidade “mais”.

Fontes:

AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Parábola, 2021.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 38ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2020.

CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. 7ª ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2016.

Escritor do artigo
Escrito por: Guilherme Viana Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "Mas ou mais?"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/mas-ou-mais.htm. Acesso em 23 de maio de 2024.

De estudante para estudante