Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

“Coco”, “côco” ou “cocô”?

“Coco” e “cocô” são palavras aceitas pelas normas gramaticais da língua portuguesa. Já a palavra “côco” não é considerada correta segundo as regras formais de acentuação.

Ilustração de um coco ao lado de ilustração de um cocô. Texto na imagem: “Coco”; “Cocô”.
“Coco”, sem acento, é a palavra que se refere à fruta que vem do coqueiro.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Coco”, “côco” ou “cocô”? “Coco” é uma palavra paroxítona que se refere à fruta que dá no coqueiro. “Cocô” é uma palavra oxítona, sinônimo de “fezes”. A palavra “côco”, com acento circunflexo na primeira sílaba, não é aceita pelas normas gramaticais da língua portuguesa, apesar de ser muito escrita pelos falantes do idioma.

Leia também: Por do sol, por-do-sol, pôr-do-sol ou pôr do sol?

Tópicos deste artigo

Coco”, “côco” ou “cocô”: qual o correto?

As palavras “coco” (sem acento) e “cocô” (com acento na última sílaba) são consideradas corretas, segundo a norma-padrão da língua portuguesa. Elas têm significados diferentes.

a palavra “côco”, com acento na primeira sílaba, não é aceita pela gramática normativa e é considerada errada, apesar de ser muito escrita pelos falantes de língua portuguesa.

Videoaula: “Coco”, “côco” ou “cocô”?

O que é “coco”?

Coco aberto em cima de mesa; ao fundo, um coqueiro.
A fruta que vem do coqueiro é escrita sem acento: “coco”.

A palavra “coco”, sem acento e com tônica na primeira sílaba, refere-se à fruta que vem do coqueiro. Pode, ainda, referir-se a uma dança típica de alguns lugares da região Nordeste do Brasil.

Veja alguns exemplos:

Eu amo tomar água de coco!

Esse coco está muito duro, não consigo abrir.

Quando estive em Pernambuco, eu assisti a uma apresentação de roda de coco.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é “cocô”?

A palavra “cocô”, com acento e tônica na última sílaba, é um sinônimo para “fezes”, “excremento” e, ainda, uma gíria para indicar má qualidade.

Cachorro ao lado de cocô em tapete higiênico.
Quando sinônimo de “fezes”, escreve-se com acento: “cocô”.

Veja alguns exemplos:

Para entender essa doença, precisaremos analisar o cocô desse animal.

Estou preocupada, pois faz dias que meu filho não faz cocô.

Eu fiz um trabalho que ficou um verdadeiro cocô...

Leia também: Por que, por quê, porque ou porquê?

Coco”, “cocô” e a acentuação

Veja algumas dúvidas sobre acento nessas duas palavras.

  • Por que “coco” não tem acento?

A maioria das palavras na língua portuguesa é paroxítona, ou seja, tem a tônica na penúltima sílaba. O acento gráfico é usado geralmente para indicar que a sílaba tônica não é aquela que o falante imaginaria intuitivamente.

A palavra “coco” é uma paroxítona terminada em -o e, como tal, não precisa de acento. Ela só seria acentuada se o final dela fizesse o falante pensar que a tônica pudesse estar no fim (por exemplo, se ela terminasse em -i ou em -u). Como é uma paroxítona terminada em -o, não há justificativa para pensar que a sílaba tônica seja diferente da penúltima, logo, não é necessário o acento gráfico.

  • Por que “cocô” tem acento?

a palavra “cocô”, por ser oxítona e terminar em -o, precisa ser acentuada. Do contrário, ela seria lida como “coco”, com tônica na penúltima.

  • Por que a grafia “côco” é tão comum de ser vista?

Apesar de não ser considerada correta pela gramática tradicional, a forma “côco” é comumente escrita pelos falantes da língua portuguesa. Uma hipótese é o receio de que, quando as pessoas leiam “coco”, elas confundam com a palavra “cocô”. Assim, acentua-se a primeira sílaba para reforçar que não se trata de “cocô”, e sim de “coco”, com tônica na primeira sílaba.

Fontes:

AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Parábola, 2021.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 38ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2020.

CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. 7ª ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2016.

Escritor do artigo
Escrito por: Guilherme Viana Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "“Coco”, “côco” ou “cocô”?"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/coco-coco-ou-coco.htm. Acesso em 12 de abril de 2024.

De estudante para estudante