Assíndeto

Gramática

PUBLICIDADE

Assíndeto é uma figura de estilo que consiste na supressão de conectivos em uma oração. Originalmente, a palavra assíndeto tem origem do grego assyndetos, que significa “desunião” ou “separação”. Opondo-se a essa definição, polissíndeto é a figura de linguagem que consiste no uso repetitivo dos conectivos e tem significado vindo do grego polysýndeton, isto é, “múltiplas ligações”.

Leia também: Hipérbato – figura de linguagem que diz respeito à inversão sintática do enunciado

O que é assíndeto?

Dentro das figuras de linguagem, o assíndeto ocupa a classificação das figuras de sintaxe. Por isso, consiste na supressão dos conectivos coordenativos, ou seja, elementos que ligam as orações coordenadas.

Veja os exemplos:

  • Engordou muito. Não seguiu a dieta.

  • Engordou muito, pois não seguiu a dieta.

Note que, no segundo período, ocorre a inserção da conjunção pois.

  • Participou do evento. Ficou muito feliz!

  • Participou do evento e ficou muito feliz!

Ocorre no segundo período, a inserção da conjunção e.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Eu não fui ao treino. Não fui ao colégio.

  • Eu não fui ao treino nem fui ao colégio.

Ocorre no segundo período, a inserção da conjunção aditiva nem.

Veja também: Metáfora – figura de linguagem que consiste em comparações implícitas

O assíndeto é uma figura de linguagem frequentemente utilizada.
O assíndeto é uma figura de linguagem frequentemente utilizada.

Assíndeto e polissíndeto

Assíndeto é uma figura de linguagem que consiste na omissão dos conectivos coordenativos, ou seja, aqueles que ligam as orações coordenadas. Trata-se de um recurso expressivo que aumenta a eloquência do discurso, tornando-o conciso e eficiente. Normalmente, as pausas expressivas em períodos assindéticos são marcadas por vírgula.

Veja o exemplo:

O cantor interpretava a canção, o público vaiava. Ele insistia, o público continuava. Ele parou, quebrou o violão, saiu do palco.

Perceba que nesse período a vírgula cumpre um papel que poderia ser atribuído às conjunções. Caso assim fosse, teríamos uma construção definida por polissíndeto:

O cantor interpretava a canção e o público vaiava. Ele insistia e o público continuava. Ele parou e quebrou o violão, e saiu do palco.

Observe o uso repetitivo da conjunção aditiva e no período anterior. A função expressiva dessa figura de linguagem — polissíndeto — é dar a ideia de sucessão de fatos, atribuindo ao texto um discurso pausado e ao mesmo tempo convencional. 

 

Pro Marcelo Sartel
Professor de Gramática

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SARTEL, Marcelo. "Assíndeto"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/assindeto.htm. Acesso em 27 de outubro de 2020.

Gramática Metáfora
Gramática Hipérbato
Gramática Anacoluto
Gramática Ironia
Gramática Hipérbole