Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Hipismo

O hipismo é uma prática esportiva que envolve o adestramento de cavalo e a habilidade de saltar e transpor obstáculos com esse animal.

Mulher loira em prática de hipismo durante salto com cavalo.
O hipismo é o único esporte em que homens e mulheres disputam juntos e nas mesmas condições.
Crédito da Imagem: shutterstock.com
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O hipismo é uma prática esportiva que envolve o adestramento de cavalo e a habilidade de saltar e transpor obstáculos com esse animal. Como esporte, surgiu no século XIX, e foi influenciado por distintas práticas realizadas com cavalos ao longo do tempo. A estreia nas Olimpíadas ocorreu em 1900, nos jogos de Paris.

Esse é o único esporte olímpico em que homens e mulheres disputam juntos e nas mesmas condições. Entre suas características e habilidades, estão técnicas direcionadas ao controle do cavalo durante as provas e ações corporais para realizar saltos e movimentos com o animal.

Leia também: Atletismo — modalidade esportiva que envolve habilidades como correr, arremessar e saltar

Tópicos deste artigo

Resumo sobre hipismo

  • O hipismo é uma prática esportiva que envolve o adestramento de cavalo e a habilidade de saltar e transpor obstáculos com esse animal.
  • Recebeu influências das práticas realizadas a cavalo, como a corrida de bigas nos Jogos Olímpicos da Antiguidade.
  • Oficializou-se como esporte, com regras definidas, no século XIX.
  • Sua estreia nas Olimpíadas aconteceu nos jogos disputados em Paris, em 1900.
  • O italiano Frederico Caprilli desenvolveu uma técnica de salto utilizada até hoje, em que os atletas projetam o corpo ligeiramente para frente. Nela, os cavalos realizam o movimento de forma mais confortável do que antigamente.
  • São tipos de provas do hipismo: salto, adestramento, e concurso completo de equitação (CCE).
  • Entre os benefícios proporcionados pelo hipismo, estão: melhora da coordenação motora, equilíbrio corporal, condicionamento cardiorrespiratório e autoconfiança.
  • É o único esporte olímpico disputado por homens e mulheres juntos e nas mesmas condições.
  • A Alemanha é um dos países que mais conquistaram títulos mundiais no hipismo.

O que é o hipismo?

Atleta de hipismo durante salto.
No hipismo, o corpo do atleta acompanha o movimento realizado pelo animal.

O hipismo é uma modalidade esportiva realizada com cavalos. Os atletas montam nos animais e realizam diferentes tipos de movimentações. Os objetivos são diversos a depender da categoria de prova praticada/disputada. Conjunto é o nome que se dá à formação de cavalo + atleta.

Entre os tipos de provas estão o adestramento e a de saltos. O esporte exige coordenação motora, condicionamento físico, e habilidades técnicas para controlar os animais durante os movimentos.

Objetivos do hipismo

Atleta durante salto no hipismo
Transpor obstáculos é um objetivo do hipismo em salto

Entre os objetivos do hipismo enquanto prática esportiva, estão:

  • realização de movimentos com os cavalos com o menor número de faltas possível;
  • execução da performance de movimentações (figuras) com os cavalos;
  • eficiência nos gestos esportivos realizados de forma conjunta (cavaleiro e cavalo).

Quando o atleta realiza o percurso sem cometer nenhuma falta, isso quer dizer que ele zerou a pista. Se houve empate entre os melhores conjuntos, é realizada uma série de desempate, chamada de jump-off. Caso tenha outro empate, vence quem fizer o circuito em menor tempo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Regras do hipismo

As regras do hipismo são determinadas conforme o tipo de prova. Os praticantes utilizam uma vestimenta específica, composta por casacas que costumam ser vermelhas ou pretas, botas e capacetes de proteção. Em geral, os competidores têm o objetivo de ter o menor número de faltas possível ao longo da disputa.

Nos cavalos, uma faixa é posicionada no peito do animal para que a sela não salte para trás, e uma proteção é fixada na barriga para evitar que o cavalo se machuque ao agrupar as patas dianteiras para saltar. Os cascos são protegidos por uma espécie de calçado de plástico.  Confira, a seguir, detalhes sobre cada categoria do esporte.

→ Tipos de provas do hipismo

Entre os tipos de provas do hipismo mais populares e disputados nas Olimpíadas, estão: salto, adestramento, e concurso completo de equitação (CCE).

◦ Salto

Na prova de salto do hipismo, o competidor tem o objetivo de transpor diferentes tipos de obstáculos em um tempo determinado.

Atleta em prova de salto do hipismo.[1]
Atleta em prova de salto do hipismo.[1]

Os atletas precisam saltar de oito a 12 obstáculos, distribuídos em um percurso de 700 a 900 metros, no menor tempo possível. Grupos de obstáculos que estão muito próximos contam como um só.

O salto é composto por quatro diferentes etapas, que são: aproximação, decolagem, salto e aterrissagem. Para realizar o movimento, são exigidas técnicas e habilidades físicas para evitar faltas.

As faltas são contabilizadas por juízes. Entre elas estão:

  • fazer outro percurso sem ser o determinado;
  • cavaleiro cair do cavalo;
  • queda do cavalo;
  • ultrapassar o limite de tempo da prova;
  • derrubar obstáculos;
  • cavalo pisar na água;
  • refugar (cavalo desistir de saltar);
  • desviar de obstáculos.

Os obstáculos são constituídos de barreiras fabricadas em materiais leves que são facilmente reguláveis e manipuláveis para reorganização dos objetos. Isso também evita acidentes. As bandeiras determinam os limites de cada obstáculo: brancas ficam à esquerda e vermelhas à direita. Veja, abaixo, alguns tipos de obstáculos:

  • Oxer: composto por dois elementos, a largura não pode ser maior que a altura.
  • Barra tripla: agrupamento de três obstáculos de alturas diferentes em ordem crescente.
  • Fosso: formado por uma área de água, o cavalo não pode tocar na água nem na borda do obstáculo.
  • Portões.
  • Muros feitos com blocos de madeira.

◦ Adestramento

O adestramento é realizado em uma área de 20 metros de largura por 60 metros de comprimento. O campo é demarcado por letras que servem como pontos de referências.

Cavalo em apresentação do adestramento, uma das provas do hipismo.
No adestramento, é avaliada a realização artística dos movimentos do conjunto.

Nesse tipo de prova, são avaliados a postura do atleta, a técnica do movimento com o cavalo, a performance artística da apresentação e a fluidez dos movimentos. Entre as movimentações que o cavalo pode executar, estão: passo, trote e galope. Também chamados de figuras, alguns tipos de movimentos são:

  • piaffer: trote no mesmo lugar;
  • cruzamento de pernas;
  • oito de conta: executado a galope.

O juri da competição atribui notas de 0 a 10, levando em consideração os critérios de julgamento. A posição estendida do cavalo não é permitida, sendo a posição reunida a aceita para essa categoria.

No adestramento, a disputa ocorre de forma individual e por equipes. No adestramento por equipes, a primeira etapa, chamada de Grande Prêmio, é realizada para a classificação das oito melhores equipes. No Grande Prêmio Especial, segunda fase da competição, são somadas as notas dos três cavaleiros que compõem cada equipe para definir o time vencedor.

A disputa individual ocorre após a realização das duas etapas de competição e é composta pelos 18 melhores atletas após o Grande Prêmio Especial. A final é chamada de Reprise Livre com Música. A pontuação não é transferida de uma prova para outra.

◦ Concurso completo de equitação (CCE)

O concurso completo de equitação (CCE) é a combinação das provas de adestramento, saltos e do cross-country. Muitos chamam o CCE de triatlo da equitação, em alusão à modalidade esportiva triatlo, composta por corrida, natação e ciclismo e que exige diferentes habilidades físicas dos atletas.

O cross-country é semelhante à prova de saltos, no entanto, os obstáculos são naturais (troncos de árvores e poços de água) e a velocidade do conjunto durante uma disputa é maior. São três dias de prova.

Acesse também: Ginástica — prática esportiva que trabalha várias capacidades físicas do corpo humano

Hipismo x equitação

  • Hipismo: é a modalidade esportiva que envolve diferentes habilidades, incluindo a equitação. Nesse sentido, consiste na prática de montar, controlar e adestrar o cavalo.
  • Equitação: é uma atividade que pode ser realizada como finalidade terapêutica e de lazer. O hipismo também pode ser realizado por lazer, mas tem regras e orientações direcionadas para o campo esportivo.

Benefícios do hipismo

O hipismo é uma modalidade esportiva que trabalha diferentes habilidades e características corporais, assim como influencia de maneira benéfica na fisiologia do organismo. Tais benefícios tratam:

  • coordenação motora;
  • condicionamento cardiorrespiratório;
  • regulação da pressão arterial;
  • equilíbrio;
  • postura corporal;
  • melhora nos reflexos do corpo.

Além do aspecto físico, o esporte proporciona benefícios à saúde psicológica dos praticantes por estimular a autoconfiança e a sociabilidade com os demais praticantes. A prática realizada no cavalo tem finalidades terapêuticas e ajuda a combater questões como ansiedade e depressão.

Hipismo no Brasil

O hipismo no Brasil iniciou sua história no século XVII, em um torneio de cavalaria realizado no ano de 1641, onde hoje se localiza Recife, capital de Pernambuco. Na ocasião, disputaram holandeses, franceses, alemães e ingleses em um grupo e brasileiros e portugueses em outro. Os últimos saíram vitoriosos.

Nos séculos seguintes, era comum a realização de corridas a cavalo, principalmente nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. O jornal Gazeta do Rio de Janeiro registrou um desses eventos, que ocorreu na praia de Botafogo, na capital fluminense, em 1814. Os torneios eram comuns à nobreza, e na plateia, eventualmente, havia a participação de D. Pedro I e Maria Leopoldina.

Com a importação de cavalos europeus, a prática se consolidou no país. O Jockey Club Fluminense foi inaugurado em 1854 nesse contexto. A oficialização do esporte no Brasil ocorreu com a fundação da Escola de Equitação de São Cristóvão, também no Rio de Janeiro, no ano de 1863.

Em 1941, iniciavam-se os trabalhos da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH). A instituição é responsável pela orientação, regulamentação e organização de eventos oficiais da modalidade esportiva e tem relação direta com as federações estaduais de hipismo.

A primeira participação internacional de brasileiros representando o esporte ocorreu em 1942, no Chile. Nas Olimpíadas, a estreia aconteceu na edição de Londres, em 1948. O Rio de Janeiro recebeu, em 1950, o Concurso Hípico Internacional da cidade.

A CBH é responsável por oito categorias de esportes hípicos realizados no país: adestramento, atrelagem, CCE, enduro, equitação especial (paraequestre), rédeas, volteio e salto.

Rodrigo Pessoa é um dos maiores atletas brasileiros do hipismo. A inspiração para a prática veio de Nelson Pessoa, seu pai, que chegou a competir com o filho nos Jogos Olímpicos de Barcelona em 1992. Pessoa conquistou ouro na modalidade em Atenas (2004), além de duas medalhas de bronze em Atlanta (1996) e Sydney (2000).

Rodrigo Pessoa em prova de hipismo durante salto em obstáculo.
Rodrigo Pessoa durante uma partida no Longines Global Champions, em 2013.[2]

Filho da atleta Hortência, uma das maiores do basquete brasileiro, João Victor Oliva é um atleta do hipismo que tem se destacado no esporte na categoria de adestramento. Uma de suas conquistas foi a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos 2023, realizados em Santiago, no Chile. Além disso, ele foi indicado para o prêmio Melhor Atleta do Ano, também em 2023. É um dos representantes do time brasileiro nos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024.

Veja também: Participação do Brasil nos Jogos Olímpicos

Hipismo no mundo

Um dos grandes nomes do hipismo mundial é o alemão Reiner Klimke. Sua primeira medalha olímpica foi conquistada aos 28 anos, nas Olimpíadas de Tóquio de 1964, na prova de adestramento por equipes. É considerado um dos maiores medalhistas olímpicos de todos os tempos do esporte. A Alemanha é uma das maiores potências mundiais do hipismo.

Foto em preto e branco mostra Reiner Klimke montado em um cavalo em um campo de hipismo.
Reiner Klimke em competição de hipismo na cidade de Rotterdam, em 1962.[3]

As principais competições, no nível internacional do hipismo, são os Jogos Olímpicos e os Jogos Equestres Mundiais. Estes últimos são organizados pela Federação Equestre Internacional (FEI) desde 1990, sendo a Alemanha o país com mais títulos no torneio. Confira os países que mais se destacaram no hipismo olímpico:

 

  • Alemanha
  • Estados Unidos
  • Suécia
  • França
  • Holanda
  • Reino Unidos
  • Itália

 

Hipismo adaptado

O hipismo adaptado (ou paraequestre) é a categoria do esporte disputada por pessoas com deficiência. A única modalidade que participa das Paralimpíadas é o adestramento. Existe uma classificação funcional das diferentes condições físicas dos paratletas que organiza a competição esportiva no paraequestre.

Atletas de hipismo com deficiência física em pódio das Paraolimpíadas do Rio 2016.
Sergio Oliva no pódio paralímpico ao conquistar medalha de bronze no Rio de Janeiro, em 2016.[4]

As disputas também são mistas, com a presença de homens e mulheres na mesma equipe, e podem ser realizadas de forma individual ou por equipes. A demonstração dos gestos esportivos do conjunto e a habilidade de controle do animal durante a prova são alguns dos aspectos avaliados pelo júri técnico.

A prática do hipismo adaptado contribui para a qualidade de vida e bem-estar de seus praticantes, uma vez que eles participam de uma atividade esportiva que desenvolve diferentes habilidades físicas. Além disso, a vivência é terapêutica e auxilia na saúde mental.

História do hipismo

O hipismo foi consolidado como esporte no século XX, mas é inspirado em uma prática mais antiga chamada de “caça à raposa”. Nessa atividade, o praticante montava no cavalo e tinha de passar pelos obstáculos e capturar a raposa. Ela era comum na segunda metade do século XIX e se realizava em um espaço mais natural, onde os obstáculos eram troncos e riachos.

O cavalo, antes da Revolução Industrial, era considerando um importante meio de transporte terrestre, e, devido à produção em grande escada dos automóveis, passou a ser utilizado mais para as atividades de lazer e competição.

Representação iconográfica em preto e branco com seres humanos e um grande cavalo, uma alusão ao hipismo.
A imagem acima representa a relação histórica do ser humano com o cavalo (produção de 1893).

Os primeiros registros históricos relacionados ao adestramento de cavalos para finalidade militar são de 1360 a. C. Esse tratado foi desenvolvido por Kikkulis, professor de equitação de um antigo reino localizado nas regiões da Turquia, da Síria e do Iraque.

Os animais estiveram presentes também nas Olimpíadas da Grécia Antiga, nas chamadas corridas de bigas, que utilizavam quatro cavalos por competidor.

Pintura representando competidor em biga com quatro cavalos, uma alusão à história do hipismo.
Representação da corrida de biga realizada nos eventos olímpicos da Antiguidade.[5]

Historicamente, para além da utilização como transporte, os cavalos têm uma relação com o poder social, econômico e político. Na Idade Média, por exemplo, a cavalaria se associava à honra e a códigos de conduta dos guerreiros, conforme pontuam Vanessa Pontes e Erik Pereira em uma pesquisa sobre a modalidade.

As primeiras atividades esportivas do hipismo eram restritas aos militares. Isso porque a cavalaria é uma parte importante na composição dos exércitos e fazia parte do treinamento das habilidades da corporação.

No século XIX, surgiram as primeiras competições de saltos a cavalo. Em 1868, a Real Sociedade de Dublin, em Bell’s Bridge, organizou uma prova de salto em distância. O objetivo era avaliar a capacidade dos cavalos de caça.

A Real Sociedade de Dublin desenvolveu uma pista em 1881, precursora da estrutura de competição que se tem hoje em dia. Já no século XX, o italiano Frederico Caprilli criou a técnica de saltos com cavalos adotada até hoje, chamada de “assento adiantado”. Ela consiste no puxar as rédeas de forma a não machucar o cavalo e sem a necessidade de o cavaleiro inclinar o corpo para trás.

A estreia do esporte nos Jogos Olímpicos ocorreu em 1900, na cidade de Paris, apenas pelos homens. Além disso, um dos requisitos para participar da competição nessa edição era ser um oficial militar. Na época, foram disputados cinco tipos de provas, das quais apenas a de saltos continua no torneio olímpico.

Nas duas edições seguintes à sua estreia, a modalidade não participou das Olimpíadas, retornando ao evento apenas na edição de 1912, em Estocolmo. A primeira vez que as mulheres disputaram no hipismo olímpico foi em 1952.

Curiosidades sobre o hipismo

  • Na edição de 1952 dos Jogos Olímpicos, as disputas no hipismo foram realizadas, pela primeira vez, de forma mista, com homens e mulheres nas mesmas provas.
  • A categoria mais popular do hipismo é a competição de saltos.
  • O hipismo é a única modalidade olímpica em que todas as provas são disputadas por homens e mulheres de forma conjunta; e é a única em que homens e mulheres têm as mesmas condições na competição.
  • De 1912 a 1952, os militares dominaram os pódios olímpicos no hipismo. Essa hegemonia foi rompida pelo ouro do francês Pierre Jonqueres d’Orila, em 1952.
  • Alguns dos atletas mais velhos que já disputaram os Jogos Olímpicos foram do hipismo. Em 1936, na edição de Berlim, Arthur Von Pongracz participou da competição aos 72 anos. Entre as mulheres, Lorna Johnstone tinha 70 anos ao competir nas Olimpíadas de 1972, em Munique.
  • Um fato inusitado marcou a edição dos Jogos Olímpicos de 1956. Naquele ano, a competição foi sediada na cidade australiana de Melbourne. Entretanto, devido a uma exigência do governo da Austrália, com receio de uma contaminação de seus rebanhos, impôs-se que os cavalos e éguas não competissem por lá. As partidas do esporte ocorreram na cidade sueca de Estocolmo.
  • Refugo é o nome que se dá quando o cavalo se recusa a pular um obstáculo no hipismo.

Créditos de imagem

[1]Governo da Índia / Academia Militar Indiana / Wikimedia Commons (reprodução)

[2]Clément Bucco-Lechat / Wikimedia Commons (reprodução)

[3]Harry Pot / Anefo / Wikimedia Commons (reprodução)

[4]Tomaz Silva / Agência Brasil / Wikimedia Commons (reprodução)

[5]Victor Michailovich Semernev / Wikimedia Commons (reprodução)

Fontes

AFP Português. Regras do jogo: hipismo. Youtube, 30 jul. 2012. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=_SZDZq_stqc.

COMITÊ Olímpico Brasileiro. Hipismo saltos. Disponível em: https://www.cob.org.br/pt/cob/time-brasil/esportes/hipismo-saltos/.

COMITÊ Olímpico Brasileiro. Hipismo CCE. Disponível em: https://www.cob.org.br/pt/cob/time-brasil/esportes/hipismo-cce/.

FEDERAÇÃO Paulista de Hipismo. O Hipismo. Disponível em: https://www.fph.com.br/artigos/o_hipismo.

MINISTÉRIO do Esporte. Hipismo. Rede do Esporte. Disponível em: http://rededoesporte.gov.br/pt-br/megaeventos/olimpiadas/modalidades/hipismo.

MINISTÉRIO do Esporte. Hipismo. Inteligência Esportiva. Disponível em: http://www.inteligenciaesportiva.ufpr.br/site_api/arquivos/hipismo.pdf.

MINISTÉRIO do Esporte. Hipismo Adaptado. Inteligência Esportiva. Disponível em: http://www.inteligenciaesportiva.ufpr.br/site_api/arquivos/hipismo1.pdf.

PEREIRA, Erik Giuseppe Barbosa; PONTES, Vanessa Silva. Sob rédeas curtas, de cabelos longos: reflexões sobre mulheres no hipismo. Movimento, Porto Alegre, v. 20, n. 3, p. 1197 - 1222, jul/set. de 2014. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1153/115332101017.pdf.

Escritor do artigo
Escrito por: Lucas Afonso Jornalista pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e bacharel em Educação Física pelo Centro Universitário Internacional (Uninter).

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

AFONSO, Lucas. "Hipismo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/educacao-fisica/hipismo.htm. Acesso em 22 de maio de 2024.

De estudante para estudante