Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Cultura do Centro-Oeste

A cultura do Centro-Oeste é o conjunto de manifestações culturais da região Centro-Oeste do Brasil. Tem influência indígena, espanhola, africana, portuguesa e de territórios vizinhos.

Festival de Cururu e Siriri, uma das festas que fazem parte da cultura do Centro-Oeste.
A cultura da região Centro-Oeste é marcada por festas populares e por manifestações que representam a sua população. [1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A cultura do Centro-Oeste é o conjunto de expressões culturais e de tradições que representam a identidade da população que habita essa região do Brasil, formada por três estados e pelo Distrito Federal. Originada a partir das influências indígenas, espanholas, africanas, portuguesas e de estados vizinhos, a cultura do Centro-Oeste é de grande importância para a riqueza cultural característica do território brasileiro.

A região apresenta festas típicas como as Congadas, o Festival do Cururu e Siriri, que são também as danças tradicionais do Mato Grosso, e a Procissão do Fogaréu. A música local é composta por ritmos diversos, da moda de viola ao rock. Na culinária é possível identificar a influência da cultura indígena e dos povos vizinhos, com preparos tradicionais como os peixes, o arroz com pequi e o caldo de piranha.

Leia também: Como é a cultura do Nordeste?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a cultura do Centro-Oeste

  • A cultura do Centro-Oeste é o conjunto de manifestações culturais que representam a população de cada um dos três estados que formam a região Centro-Oeste do Brasil, além do Distrito Federal.

  • É importante porque reflete a identidade da população do Centro-Oeste e contribui para o enriquecimento da cultura popular brasileira.

  • Possui influências dos indígenas, dos povos africanos, das populações de países e estados vizinhos e dos imigrantes europeus.

  • As festas populares são parte importante da cultura de determinado local. No Centro-Oeste, podemos destacar celebrações como as Congadas, a Procissão do Fogaréu e o Festival do Cururu e Siriri.

  • As danças típicas incluem cururu, siriri, catira, chupim e xote.

  • A música do Centro-Oeste é formada por ritmos diversos que vão da moda de viola ao rock.

  • A literatura do Centro-Oeste tem grandes nomes da arte literária nacional, como Cora Coralina, Manuel de Barros e Miguel Jorge.

  • O artesanato é uma das formas de arte do Centro-Oeste, sendo caracterizado por peças feitas com elementos como madeiras, sementes, cerâmica, barro, argila, fibras e couros.

  • Entre os pratos típicos do Centro-Oeste estão arroz com pequi, caldo de piranha e pacu.

  • Muitas lendas permeiam o imaginário da população do Centro-Oeste. O folclore local tem histórias como Romãozinho, Pé-de-Garrafa e joão-de-barro.

  • A religiosidade da população reflete a religião dos brasileiros como um todo, sendo a maioria formada por católicos.

  • A cultura do Centro-Oeste é muito importante para o enriquecimento do multiculturalismo característico do território brasileiro.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quais são as principais manifestações da cultura do Centro-Oeste?

Festas populares da região Centro-Oeste

As festas populares são parte importante da cultura de uma localidade, uma vez que essas celebrações expressam mais de um tipo de manifestação cultural típica daquele povo, como a religiosidade, a música, a dança e a culinária. Assim acontece na região Centro-Oeste do Brasil, que é formada por três estados e pelo Distrito Federal. A seguir, confira as principais festividades que compõem o calendário cultural do Centro-Oeste.

Congada

Grupo de cortejo em congada de Catalão, uma das festas que fazem parte da cultura do Centro-Oeste.
A congada de Catalão é uma das mais tradicionais do Centro-Oeste.

A congada é uma manifestação cultural formada por danças, músicas e celebrações com elementos religiosos católicos e elementos de origem africana. Realizada em diversas partes do Brasil, a congada acontece nos estados do Mato Grosso e Goiás, com destaque para a congada de Catalão (GO), que reúne milhares de dançadores. A festividade celebra os santos católicos negros, como São Benedito, Nossa Senhora do Rosário e Santa Efigênia, além de ter danças que representam a coroação do rei do Congo e as disputas entre os cristãos e os mouros. Para saber mais sobre essa festa, clique aqui.

Procissão do Fogaréu na Cidade de Goiás (GO)

Procissão do Fogaréu na Cidade de Goiás, uma procissão religiosa que faz parte da cultura do Centro-Oeste.
A Procissão do Fogaréu encena a perseguição e a prisão de Jesus Cristo. [2]

O fogaréu não é necessariamente uma festa, mas sim uma procissão religiosa que acontece todos os anos na Cidade de Goiás, conhecida também como Goiás Velho, antiga capital do estado de Goiás. Realizada durante a Semana Santa, a procissão conta com 40 pessoas encapuzadas (farricocos), portando tochas, que caminham pelas ruas da cidade encenando a perseguição e a prisão de Jesus Cristo. Elas são acompanhadas por milhares de fiéis, e, no caminho, cânticos são entoados. Ao final, representa-se a prisão e a morte de Jesus por meio de toques e sermões. |1|

Festival de Cururu e Siriri

Homem tocando instrumento musical no Festival de Cururu e Siriri, uma das festas que fazem parte da cultura do Centro-Oeste.
O Festival de Cururu e Siriri é tradicional do estado do Mato Grosso. [3]

O festival acontece desde 2002 em Cuiabá, capital do Mato Grosso, sendo uma das principais manifestações culturais desse estado. As danças apresentam herança indígena, paulista e ibérica, e são realizadas a partir do som de instrumentos como a viola de cocho, mocho e ganzá. No caso do cururu, a dança é realizada apenas por homens, que, dispostos em círculo, tocam viola e realizam repentes com temáticas diversas, inclusive religiosa. O siriri, por sua vez, é dançado por homens, mulheres e crianças.

Festa do Boi-à-Serra

A Festa do Boi-à-Serra é uma festividade que celebra os vaqueiros e os bois que desbravaram as terras interioranas do país, incluindo a região Centro-Oeste. Essa parcela do país é, aliás, reconhecida pela força da atividade pecuária na economia. A Festa do Boi-à-Serra, realizada principalmente no Mato Grosso, tradicional de cidades como Santo Antônio do Leverger, conta com danças e encenações, além das figuras dos bois, que estão presentes durante toda a festividade.

Festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

A Festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é uma das mais antigas festas religiosas do país, e acontece em diversas cidades do território brasileiro. Uma delas é Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. No ano de 2019, celebrou-se pela primeira vez a Festa da Padroeira de MS, com Nossa Senhora do Perpétuo Socorro tendo sido declarada a padroeira desse estado. A celebração conta com atividades religiosas e também de lazer, com quermesse, shows e apresentações de dança.|2|

Danças da região Centro-Oeste

As danças típicas da região Centro-Oeste do Brasil são apresentadas durante as festas tradicionais de cada um dos estados, e apresentam muitas influências de outras regiões brasileiras, das populações tradicionais e, ainda, dos europeus e africanos. A seguir, conheça algumas das danças típicas do Centro-Oeste:

  • Catira: dança realizada em duplas, com os participantes um de frente para o outro. Ao som de uma viola, eles dançam, pulam e batem palmas. A catira, ou cateretê, é tradicional dos tropeiros e boiadeiros, e tem influência indígena.

  • Siriri: dançados por homens vestidos em roupas coloridas e portando chapéu com fitas, mulheres de amplos vestidos coloridos e, também, crianças, os passos do siriri são acompanhados do som da viola. Apresenta influência portuguesa e indígena.

  • Cururu: dança realizada em círculo e apenas por homens, também ao som da viola. Durante a dança são feitos repentes com temáticas religiosas e mundanas, como desavenças e amores.

  • Chupim: típico do Mato Grosso do Sul, o chupim é dançado aos pares por homens vestidos com calça e camisa, e mulheres de vestidos longos. O movimento realizado lembra o do pássaro chupim, por isso o nome, e a dança apresenta forte influência paraguaia e espanhola.

  • Xote: divide-se em xote carreirinho (origem alemã) e xote bragantino (origem portuguesa), e é também dançado aos pares.

Músicas da região Centro-Oeste

Homem tocando um violão, um dos instrumentos do sertanejo, gênero musical que faz parte da cultura do Centro-Oeste.
O sertanejo é um dos gêneros musicais tradicionais do Centro-Oeste.

A música da região Centro-Oeste do Brasil é composta por gêneros e ritmos variados, embora o sertanejo seja o mais popular deles. Além do sertanejo, que abrange desde o clássico até o moderno, que recebeu a alcunha de universitário, a moda de viola é um ritmo muito difundido nos estados do Centro-Oeste. Ambos esses ritmos apresentam bastante influência da guarânia, que tem origem no Paraguai e está presente também no cancioneiro regional do Centro-Oeste.

Ainda, cabe destacar a importância que a cidade de Brasília (DF) teve na música brasileira, em especial no rock e no punk. Na década de 1980 uma série de bandas, que hoje são consideradas referências em seus respectivos estilos musicais, se apresentavam pela primeira vez. Entre elas estão:

  • Aborto Elétrico, que durou pouco tempo mas foi muito influente à época, tendo Renato Russo como um de seus integrantes;

  • Legião Urbana;

  • Capital Inicial;

  • Plebe Rude;

  • Raimundos.

Poesia e literatura popular do Centro-Oeste

Busto de Cora Coralina, uma poetisa que faz parte da cultura do Centro-Oeste, em frente à sua antiga casa na cidade de Goiás.
Busto de Cora Coralina em frente à sua antiga casa na Cidade de Goiás, local de nascimento da poetisa. [4]

A riqueza cultural da região Centro-Oeste do Brasil se estende também para a literatura. Não somente a literatura regional, mas a literatura brasileira recebeu enorme contribuição dos escritores e poetas que nasceram e passaram a maior parte de suas vidas nos estados do Centro-Oeste. Conheça, a seguir, os principais autores brasileiros, entre poetas e romancistas, que são naturais dessa região:

Arte da região Centro-Oeste

Bonecos produzidos pelos povos indígenas, uma das formas de arte do Centro-Oeste.
O artesanato produzido pelos povos indígenas é uma das formas de arte do Centro-Oeste. [5]

A música e a literatura são duas formas de arte da região Centro-Oeste. Além delas, as artes manuais, ou artesanato, são manifestações culturais muito importantes desses estados. É através do artesanato que parte da população, principalmente as comunidades tradicionais e os povos originários, expressam um pouco de sua cultura e obtêm renda. Esses trabalhos são feitos a partir de matérias-primas muito diversas, como madeira, barro cozido, folhas, fibras, sementes, palhas, lãs, couro de animais e argila. São exemplos de artesanato do Centro-Oeste:

  • bonecas de cerâmica produzidas pelas populações indígenas;

  • acessórios, como brincos e colares, feitos de matérias-primas naturais (biojoias);

  • bordados;

  • violas feitas em madeira;

  • esculturas e objetos feitos em madeira;

  • cestos feitos de capim do brejo.

Lendas da região Centro-Oeste

João-de-barro em seu ninho, o pássaro que protagoniza uma lenda que faz parte da cultura do Centro-Oeste.
Uma das lendas do Centro-Oeste é a do pássaro joão-de-barro.

Os estados do Centro-Oeste do Brasil são repletos de lendas e mitos folclóricos que permeiam o imaginário de sua população desde muito cedo. A seguir, confira três das principais lendas dessa região.

  • Romãozinho: esse é o nome de um menino que ficou conhecido pelas maldades que gostava de fazer, tanto com animais quanto com pessoas. Certa vez, sua mãe pediu que ele levasse o almoço ao seu pai, que trabalhava na roça. Mesmo de má vontade, Romãozinho fez como a mãe pediu. Mas, no caminho, ele comeu o frango que a mãe havia preparado para o pai, deixando apenas os ossos. Ao entregar a comida para seu genitor, Romãozinho disse que a mãe havia mandado daquela forma mesmo. O pai puniu gravemente a mãe de Romãozinho, que riu o tempo todo. A mãe então o amaldiçoou, dizendo que ele não morreria: não iria nem para o céu, nem para o inferno. Romãozinho, então, vaga pelas estradas de Goiás até hoje.

  • Pé-de-Garrafa: trata-se de uma criatura animalesca, mas que ainda apresenta algumas feições humanas, tal qual um lobisomem. Ele vive nas matas, sendo protetor desses ambientes. Os relatos sobre o Pé-de-Garrafa contam que não é possível vê-lo, mas sim ouvir os seus gritos altos e estridentes.

  • João-de-barro: a lenda do joão-de-barro conta que um indígena chamado Jaebé fez uma prova de amor para se casar com a moça mais bonita da sua comunidade. Ele disse que ficaria em jejum por nove dias e, assim, enrolou-se em um couro muito pesado para que não pudesse sair e quebrar a sua promessa. No último dia, o pai da moça permitiu que o couro fosse aberto, e Jaebé estava em ótima saúde, exalando perfume. Quando viu sua amada ele se pôs a cantar, transformando-se gradativamente em um pássaro.

Culinária da região Centro-Oeste

Panelada de arroz com pequi, um prato típico que faz parte da cultura do Centro-Oeste.
O arroz com pequi é um dos preparos típicos da região Centro-Oeste.

A culinária do Centro-Oeste do Brasil utiliza muitos dos ingredientes naturais derivados da agropecuária e da pesca da região. Nos preparos e pratos típicos dessa área do território nacional é possível identificar a forte influência da culinária indígena e dos países vizinhos, especialmente do Paraguai. Confira abaixo alguns dos pratos típicos do Centro-Oeste:

  • arroz com pequi;

  • pamonha (doce e salgada);

  • bolinho de arroz;

  • caldo de piranha;

  • mojica de pintado;

  • pacu (frito ou assado);

  • carnes exóticas, como javali, capivara, jacaré;

  • empadão goiano.

Nas sobremesas, temos:

  • bolo mané pelado;

  • cuca goiana;

  • furrundum, feito com mamão ralado.

Existe, também, uma bebida típica dos estados do Mato Grosso do Sul, que é original do Paraguai. Assim como o chimarrão do Sul, o tereré é feito com erva-mate. No entanto, a bebida paraguaia e sul-mato-grossense é preparada com água gelada. Além disso, a bomba que se utiliza para o consumo é diferente.

Religião da região Centro-Oeste

A religiosidade da região Centro-Oeste reflete muito bem a distribuição de credos e matrizes religiosas que temos no Brasil. Os católicos são aproximadamente 60% da população, seguidos de 27% de evangélicos e 2,3% de espíritas. As demais religiões, como a umbanda e o candomblé, representam menos de 1% da população.

Lembrancinhas da Festa de Trindade (ou Romaria do Divino Pai Eterno), uma festa que faz parte da cultura do Centro-Oeste.
A Festa de Trindade (ou Romaria do Divino Pai Eterno) é uma importante festa religiosa que acontece no estado de Goiás. [6]

As festas religiosas são destaque entre as celebrações tradicionais do Centro-Oeste. Uma festa de grande relevância é a Romaria do Divino Pai Eterno, ou Festa da Trindade, realizada anualmente, na última sexta-feira de junho, na cidade goiana de Trindade.

Veja também: Como é a cultura da região Norte?

Importância da cultura da região Centro-Oeste

A cultura da região Centro-Oeste é importante porque é através das manifestações culturais que a compõem que os habitantes dessa região do Brasil expressam a sua individualidade, ao mesmo tempo que mostram as suas tradições e costumes, que remontam tanto às populações tradicionais do país quanto aos estrangeiros. Não somente isso, mas a cultura do Centro-Oeste contribui para o enriquecimento do multiculturalismo característico do território brasileiro.

Origem da cultura do Centro-Oeste

A cultura do Centro-Oeste mantém elementos que foram incorporados pelos povos indígenas que vivem no interior do Brasil desde muito antes da chegada dos portugueses no país e, principalmente, antes do avanço dos colonizadores espanhóis pelas terras dessa região. Então, podemos dizer que a cultura que conhecemos até aqui tem origem com as diferentes populações indígenas do Centro-Oeste, muitas das quais ainda vivem nos estados dessa região e expressam a sua cultura por meio da culinária, do artesanato, das músicas e das danças.

Os primeiros estrangeiros que chegaram ao Centro-Oeste foram os espanhóis, que colonizaram boa parte da América do Sul. Durante o século XVI, quando o Brasil era colônia portuguesa, a metade oeste do país pertencia à Espanha, graças ao Tratado de Tordesilhas. A partir do século seguinte, os bandeirantes oriundos de São Paulo começaram a adentrar na região Centro-Oeste. Dessa forma, a cultura regional tem fortes influências, até hoje, da cultura dos países vizinhos de colonização espanhola, como o Paraguai, e também de outras regiões brasileiras, como o Sudeste.

Para além da cultura dos povos originários e dos imigrantes, as manifestações culturais da população africana, trazida à força para o Brasil, também está presente nas influências culturais da região Centro-Oeste, tanto nas festas tradicionais quanto nas danças, na culinária e na religiosidade.

Curiosidades sobre a região Centro-Oeste

  • O Pantanal fica na região Centro-Oeste do Brasil.

  • A região Centro-Oeste concentra aproximadamente 8% da população brasileira, o que equivale a 16,2 milhões de habitantes.

  • Fica no Centro-Oeste, também, a capital do Brasil: Brasília. A cidade foi construída nessa região por estar no centro do território nacional, havendo possibilidade de integração com as demais áreas do país.

  • A cidade de Cuiabá, capital do Mato Grosso, é considerada o centro geodésico da América do Sul. Isso significa que ela abriga o ponto mais central do subcontinente.

  • Cuiabá já foi considerada a cidade mais quente do Brasil por vários anos consecutivos. O clima predominante na capital mato-grossense e na região como um todo é o tropical típico.

Notas

|1| REDAÇÃO. Conheça 12 festas típicas da região Centro-Oeste. Rotas de Viagem, 21 jan. 2020. Disponível em: https://rotasdeviagem.com.br/festas-tipicas-da-regiao-centro-oeste/.

|2| ARQUIDIOCESE DE CAMPO GRANDE. Festa Da Padroeira De MS – Nossa Senhora Do Perpétuo Socorro. Arquidiocese de Campo Grande, c2019. Disponível em: https://arquidiocesedecampogrande.org.br/event/1a-festa-da-padroeira-de-ms/.

Créditos de imagem

[1] Caio Pederneiras / Shutterstock

[2] Sputnik 360 / Shutterstock

[3] Caio Pederneiras / Shutterstock

[4] Judson Castro / Shutterstock

[5] Augusto Miranda / Mtur Destinos / Wikimedia Commons (reprodução)

[6] Angela_Macario / Shutterstock

Fontes

ARQUIDIOCESE DE CAMPO GRANDE. Festa Da Padroeira De MS – Nossa Senhora Do Perpétuo Socorro. Arquidiocese de Campo Grande, c2019. Disponível em: https://arquidiocesedecampogrande.org.br/event/1a-festa-da-padroeira-de-ms/.

CARBONARI, Pâmela. Mapa literário: o escritor mais importante de cada Estado. Super Interessante, 22 mai. 2017. Disponível em: https://super.abril.com.br/coluna/literal/mapa-dos-26-autores-mais-importantes-do-pais-estado-a-estado.

DANÇAS TÍPICAS. 7 Danças Típicas da Região Centro Oeste do Brasil. Danças Típicas, 16 nov. 2018. Disponível em: https://www.dancastipicas.com/brasileiras/dancas-regiao-centro-oeste/.

ECOCÂMARA. João de Barro: conheça o pássaro construtor e sua lenda indígena. Memória EBC, 11 set. 2015. Disponível em: https://memoria.ebc.com.br/infantil/voce-sabia/2015/09/joao-de-barro-conheca-o-passaro-construtor-e-sua-lenda-indigena.

ODARA, Norma. Guarânia: o ritmo paraguaio que influenciou a música raiz e sertaneja brasileira. Brasil de Fato, 22 mar. 2019. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/2019/03/22/guarania-o-ritmo-paraguaio-que-influenciou-a-musica-raiz-e-sertaneja-brasileira/.

REDAÇÃO. Conheça 12 festas típicas da região Centro-Oeste. Rotas de Viagem, 21 jan. 2020. Disponível em: https://rotasdeviagem.com.br/festas-tipicas-da-regiao-centro-oeste/

SEBRAE. Artesanato do Centro-Oeste reflete influência indígena e de migrantes. Sebrae, 09 nov. 2022. Disponível em: https://sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/artesanato-do-centro-oeste-reflete-influencia-indigena-e-de-migrantes,f15bc73afdc54810VgnVCM100000d701210aRCRD.

TV BRASIL. O Pé de Garrafa. TV Brasil, 13 jun. 2019. Disponível em: https://tvbrasil.ebc.com.br/um-conto-em-cada-ponto/2019/06/o-pe-de-garrafa.

VILLAS BOAS, Iêda. O mito do Romãozinho. Xapuri, 09 abr. 2023. Disponível em: https://xapuri.info/o-mito-do-romaozinho/.

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Cultura do Centro-Oeste"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/brasil/aspectos-culturais-regiao-centrooeste.htm. Acesso em 30 de maio de 2024.

De estudante para estudante


Videoaulas