Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Traqueia

A traqueia é um tubo cilíndrico e vertical formado por anéis de cartilagem. Está localizada entre a laringe e os brônquios e funciona como um canal para a passagem de ar.

Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Traqueia é uma porção do sistema respiratório que atua como um canal para a passagem de ar. Esse órgão inicia-se logo após a laringe e segue até o local onde se ramifica em brônquios. Situada na região anterior ao esôfago, a traqueia é constituída por uma série de cartilagens em formato de “C”, as quais são importantes para evitar o seu colapso e garantir uma passagem adequada de ar até os pulmões.

Leia também: Pulmões — anatomia desse órgão fundamental para o sistema respiratório

Tópicos deste artigo

Função da traqueia

A traqueia é uma espécie de tubo que serve como local de passagem para o ar em direção aos pulmões. A oclusão da traqueia provoca, portanto, a interrupção da passagem de ar, levando à dificuldade de respiração.

A traqueia é um tubo vertical que garante que o ar seja levado até os pulmões.
A traqueia é um tubo vertical que garante que o ar seja levado até os pulmões.

Características da traqueia

A traqueia é um órgão cilíndrico e cartilaginoso que apresenta formato de tubo. Esse órgão, que pertence ao sistema respiratório, estende-se desde a região da sexta vértebra cervical até a quinta vértebra torácica, apresentando um comprimento de cerca de 9 a 12,5 cm.

Ela se inicia logo após a laringe e segue até o local onde se ramifica, originando dois brônquios, que  penetram os pulmões. Na altura do segundo, terceiro e quarto anéis da traqueia está localizada, na região anterior, a glândula tireoide, responsável pela produção de hormônios relacionados com o nosso metabolismo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A traqueia apresenta uma série de cartilagens, de número variável (entre 16 a 20), as quais evitam o fechamento do canal, proporcionando um fluxo adequado de ar. As cartilagens da traqueia são  hialinas e apresentam formato de “C”, sendo a porção aberta voltada para o lado posterior.

Essas porções livres são conectadas por ligamentos fibroelásticos e músculo liso, que atuam, respectivamente, impedindo a distensão excessiva do lúmen e regulando seu tamanho. O  músculo liso, ao se contrair, reduz o lúmen da traqueia, aumentando a velocidade do ar expirado, sendo importante no reflexo da tosse.

Observe o revestimento interno da traqueia. Na figura é possível perceber que se trata de um epitélio pseudoestratificado ciliado.
Observe o revestimento interno da traqueia. Na figura é possível perceber que se trata de um epitélio pseudoestratificado ciliado.

A traqueia é revestida internamente por um epitélio cilíndrico pseudoestratificado ciliado com  células caliciformes. A lâmina própria é de tecido conjuntivo frouxo, onde estão presentes glândulas seromucosas, as quais apresentam ductos que se abrem no lúmen do órgão. As células caliciformes e as glândulas seromucosas são responsáveis pela secreção de muco, o qual recobre o interior do órgão.

O muco está relacionado com a limpeza do ar inspirado, sendo levado da traqueia para a faringe por batimentos ciliares. Essa movimentação garante que o muco, junto com as impurezas retidas, seja deglutido. Além do muco atuando na limpeza, na traqueia existe uma barreira linfocitária que também garante a proteção contra partículas que possam causar danos ao sistema respiratório. Externamente, a traqueia é revestida por tecido conjuntivo frouxo.

Leia também: Órgãos do corpo humano

Traqueostomia

A traqueostomia consiste na abertura da traqueia, comunicando-a com o meio externo.
A traqueostomia consiste na abertura da traqueia, comunicando-a com o meio externo.

Traqueostomia é um processo realizado diante de situações como obstrução de vias aéreas superiores, tumores, inchaço causado por infecções, queimaduras ou reação alérgica aguda e intubação orotraqueal prolongada. Na traqueostomia é feita uma abertura na porção cervical da traqueia, permitindo sua comunicação com o meio externo. A abertura é mantida aberta por um tubo (cânula), o qual pode ser constituído por diferentes materiais, como plástico ou metal. A traqueostomia pode ser definitiva ou não, o que dependerá das condições do paciente e os motivos que levaram à realização do procedimento.

A traqueia dos artrópodes

Alguns artrópodes respiram por traqueias (respiração traqueal), estruturas bastante diferentes da traqueia humana. As traqueias dos artrópodes são responsáveis pelas trocas gasosas e se caracterizam por serem tubos que se ramificam pelo corpo do animal. Os tubos maiores abrem-se para o meio externo e são chamados de traqueias.

Na região dos órgãos internos e tecidos, verifica-se que os ramos apresentam-se mais delgados, sendo chamados de traquéolas. O ar entra na traqueia por aberturas localizadas no corpo do animal denominadas espiráculos. O sistema traqueal permite que o oxigênio seja levado diretamente para as células, sem que seja necessário um transporte por meio do sistema circulatório.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Traqueia"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/traqueia.htm. Acesso em 25 de maio de 2024.

De estudante para estudante