Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Diafragma

Biologia

Diafragma é um método contraceptivo de barreira que possui o formato de cúpula e deve ser inserido no interior da vagina de modo a cobrir o colo do útero.
O diafragma é um método contraceptivo que pode ser reutilizado.
O diafragma é um método contraceptivo que pode ser reutilizado.
PUBLICIDADE

O diafragma é um método contraceptivo utilizado pelas mulheres e que consiste em um anel flexível coberto por uma membrana de silicone ou látex. O diafragma possui o formato de cúpula e deve ser colocado no interior da vagina, de modo que cubra completamente o colo uterino. Antes de adotar esse método contraceptivo, é fundamental que a mulher converse com seu ginecologista e entenda as vantagens e desvantagens do uso do diafragma. É importante também que ela compreenda como o método deve ser utilizado para garantir sua maior eficácia.

Leia também: Principais métodos contraceptivos

Resumo sobre diafragma

  • É um método contraceptivo de barreira que apresenta formato de capuz.
  • Deve ser colocado no canal vaginal de modo a cobrir o colo do útero.
  • Pode ser utilizado em associação com o espermicida.
  • Existem diferentes tamanhos de diafragma, sendo fundamental que a mulher, antes de adquirir o método, faça uma medição com um profissional da saúde.
  •  Pode permanecer, no máximo, 24 horas no corpo da mulher.
  • Deve ser colocado de 15 a 30 minutos antes da relação sexual. Algumas mulheres fazem o uso contínuo do método.
  • Só deve ser retirado de seis a oito horas após a relação sexual.
  • Após o uso, é necessário sua lavagem com água limpa e sabão neutro.
  • Não deve ser usado durante a menstruação.

O que é diafragma?

O diafragma é um método de barreira que evita que o espermatozoide atinja o útero. Ele possui um formato de cúpula e é constituído por um anel flexível envolvido por uma camada de silicone ou látex. O diafragma não possui um tamanho único, portanto, é fundamental que um profissional faça a medição e indique o diâmetro aproximado do diafragma que deverá ser adquirido.

O diafragma não é um método descartável, portanto, pode ser higienizado e utilizado novamente. Se todas as recomendações de uso e conservação forem seguidas corretamente, sua vida útil é em média de três anos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Eficácia do diafragma

A taxa de gravidez varia de 6% a 21% entre as mulheres que fazem uso do método. Vale salientar que a eficácia varia de acordo com a forma como a mulher faz uso do diafragma. Sendo assim, é fundamental que ela seja bem orientada quanto à forma de utilização antes de sua adoção como método contraceptivo.

Leia também: Camisinha - forma muito eficaz de prevenir doenças sexualmente transmissíveis e gravidez

Como funciona o diafragma?

O diafragma é um método contraceptivo que atua impedindo a entrada dos espermatozoides no útero, funcionando, portanto, como um método de barreira. Ele deve ser colocado no interior da vagina de modo a garantir a completa cobertura do colo uterino.

Como usar o diafragma?

Para que o método consiga atingir sua máxima eficácia, é necessário fazer seu uso de maneira correta. O primeiro ponto é escolher o tamanho adequado do diafragma. A medição deve ser feita por um profissional.

Esquema ilustrativo sobre o método de barreira do diafragma no útero da mulher
O diafragma é um método de barreira, pois impede que o espermatozoide consiga entrar no útero.

Escolhido o tamanho adequando, deve-se estar atenta ao momento de colocar e retirar o método. O diafragma deve ser inserido de 15 a 30 minutos antes da relação sexual e só deve ser retirado, no mínimo, seis horas após a relação. Obedecer esse prazo é importante para garantir que todos os espermatozoides estejam mortos ao fazer a retirada.

Vale salientar que o diafragma pode permanecer, no máximo, 24 horas no corpo da mulher. Algumas pessoas fazem uso dele de maneira contínua, sendo necessário, nesse caso, retirá-lo uma vez ao dia para a higienização. O diafragma não deve ser utilizado durante a menstruação.

O diafragma pode ser utilizado em associação com o espermicida, substâncias que atuam imobilizando ou matando os espermatozoides. Nesse caso, a mulher deve colocar aproximadamente uma colher de sobremesa de espermicida na parte côncava do diafragma. Vale destacar que seu uso frequente pode causar irritações e fissuras na mucosa vacinal e cervical, o que pode aumentar os riscos de contrair infecções sexualmente transmissíveis.

Antes que a mulher comece a utilizar o método, é importante que a usuária aprenda a identificar a localização do colo uterino. Conhecer bem o corpo é importante, pois, após colocar o diafragma, a mulher deve ser capaz de sentir a região do colo através do material do qual o diafragma é feito.

Antes de colocar o diafragma, a mulher deve urinar e lavar bens as mãos. Deve-se também analisar se ele possui algum furo ou outro defeito. Para inseri-lo, é importante que a mulher adote a posição que lhe for mais confortável, aperte as bordas do diafragma e o introduza em direção ao fundo da vagina. Após colocá-lo, por meio do autotoque, ela deve se certificar de que o colo uterino esteja completamente coberto.

Após a sua retirada, o diafragma deve ser higienizado. Para a higienização, a mulher deve lavá-lo utilizando água limpa e sabão neutro. Ele deve ser conservado seco e em local limpo. No caso do diafragma de látex, este deve ser polvilhado com amido de milho. O uso de talcos pode danificar o diafragma e também desencadear alergias.

  • Videoaula sobre anticoncepcionais orais

Quando o diafragma deve ser trocado?

O diafragma não é um método descartável, podendo ser, portanto, reutilizado. A vida útil de um diafragma é de, em média, três anos, se todas as recomendações de uso forem seguidas adequadamente. Ele deve ser trocado se apresentar aparência enrugada ou se tiver algum furo. Em caso de aumento de peso ou gravidez, pode ser necessária uma nova medição e a troca do diafragma.

Vantagens e desvantagens do uso do diafragma

O diafragma é um método que não causa danos à saúde da mulher, sendo relativamente eficaz se a usuária estiver bem orientada e fazer uso adequado do método. Além disso, o diafragma ajuda a mulher a conhecer bem o seu corpo, não interfere no aleitamento materno e no ciclo menstrual, possui alta durabilidade e seu uso pode ser interrompido a qualquer momento.

O uso do diafragma exige muita disciplina por parte da mulher, o que pode ser considerado uma desvantagem. Além disso, algumas pessoas apresentam alergia ao material do qual ele é feito e ao espermicida. O método também não garante proteção contra infecções sexualmente transmissíveis, como herpes genital, infecção pelo HPV, tricomoníase e infecção pelo HIV.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Diafragma"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/diafragma.htm. Acesso em 28 de setembro de 2021.

Artigos Relacionados
Método contraceptivo hormonal com princípios semelhantes ao da pílula.
Saiba mais sobre a camisinha, um método que impede a gravidez e a contaminação por doenças transmitidas por via sexual.
Saiba quais são as vantagens e desvantagens desse método contraceptivo, o coito interrompido.
Saiba mais sobre o DIU, um método contraceptivo que se destaca por sua grande eficácia na prevenção contra uma gravidez indesejada.
As doenças sexualmente transmissíveis, DST, Doenças venéreas, Relações sexuais, Lâminas e seringas contaminadas, Agentes patogênicos, A promiscuidade, O contágio e a disseminação, Sífilis, Gonorréia, Tricomonas, Clamídia, AIDS.
Saiba mais sobre o espermicida para ampliar seus conhecimentos sobre os métodos contraceptivos.
Conheça o implante contraceptivo, um método contraceptivo reversível que confere proteção por três anos.
Saiba mais sobre as injeções anticoncepcionais, seu mecanismo de ação e efeitos colaterais.
Conheça o método da temperatura basal, um tipo de método contraceptivo comportamental.
Conheça os principais métodos contraceptivos existentes e o que deve ser avaliado no momento da escolha do método.