Topo
pesquisar

Vitaminas usadas em cosméticos

Química

As vitaminas mais usadas em cosméticos são a A (retinol) – vitamina normalizadora – e a E – vitamina protetora.
PUBLICIDADE

As vitaminas são componentes muito presentes em produtos para fins cosméticos. As que possuem maior interesse comercial são as vitaminas A, E, C, D, B3, pantenol (provitamina B5) e B6. Entre elas, as mais utilizadas em cosméticos e que vamos falar a seguir em mais detalhes são as vitaminas A e E:

  • Vitamina A:

A forma pura da vitamina A é o retinol, pertencente à classe dos retinoides, que são compostos usados em cosmetologia principalmente porque possuem um poder antioxidante. São incorporados principalmente a cremes e a óleos corporais.

Pesquisas indicam que a vitamina A ajuda na regeneração da pele, combatendo os sinais comuns do envelhecimento. Com o tempo, a pele vai perdendo colágeno e a sua capacidade de manter a flexibilidade, elasticidade e firmeza naturais. Mas o retinol ajuda a pele a reter água e a se recuperar, ficando com uma aparência melhor. Além disso, o fato de favorecer a regeneração celular cutânea é bom porque torna a pele sensível de pessoas mais velhas menos suscetível a lesões.

A vitamina A é usada em cosméticos para combater o envelhecimento

O retinol também se fixa aos radicais livres que têm um efeito nocivo para as células e são tidos como causadores de arteriosclerose, catarata, tumores, doenças da pele e doenças reumáticas.

A vitamina A também penetra na pele e normaliza o processo de queratinização, deixando a pele lisa e macia, reduz o espessamento da epiderme, normaliza a pele ressecada e reduz a escamação do couro cabeludo.

Alguns autores dizem que o mecanismo de ação do retinol pode estar ligado a um produto do seu metabolismo, o ácido trans-retinoico. Esse ácido se liga a receptores no núcleo da célula e interage com determinadas sequências do DNA, regulando a produção de certas  proteínas e enzimas, reduzindo os sinais de envelhecimento da pele. Ele também sofre oxidação antes das estruturas essenciais para a homeostase, daí a sua ação antioxidante.

Conversão do retinol (vitamina A) em sua forma ativa na pele, o ácido trans-retinoico

Visto que essa vitamina presente em nossa pele pode ser destruída através da exposição à luz solar, ela é também incluída em protetores solares para pele e cabelos.

Como em todos os casos, o efeito da vitamina A depende da dose administrada. A Anvisa regulamenta que a utilização de retinoides em produtos cosméticos deve ser orientada pela seguinte determinação: no caso da Vitamina A, nas suas formas Retinol e Palmitato de retinila (forma da vitamina A que possui maior estabilidade química), devem ser usadas na concentração máxima de 10.000 UI de vitamina A/g, já na sua forma Retinaldeído, a concentração máxima é de 0,05%, sendo condicionada à comprovação de sua estabilidade química no produto acabado.

  • Vitamina E:

A vitamina E é constituída, na verdade, por oito diferentes moléculas, entre quatro tocoferóis e quatro tocotrienóis, como mostrado abaixo, sendo que as estruturas α, β, γ ou δ são determinadas de acordo com a posição do grupamento metila (CH3).

Estruturas da Vitamina E, em que α, β, γ ou δ são determinados de acordo com a posição do grupamento metila

Ela age como lubrificante, hidratante e regenerador da pele que sofreu ação do tempo, do sol, da poluição e estresse oxidativo, principalmente por proteger membranas contra a lipoperoxidação. Como é estimulante do colágeno, também aumenta a firmeza e elasticidade da pele.

Sendo assim, a vitamina E é muito utilizada em suplementos orais e em produtos de uso tópico para a prevenção de doenças ou fotoenvelhecimento. Após a aplicação tópica, ela é facilmente absorvida pela pele. A vitamina E é um ingrediente altamente desejável em formulações para rejuvenescer e proteger os tecidos cutâneos, porque ela possui capacidade antioxidante in vivo.

A vitamina E é muito utilizada em produtos pós-sol porque reduz os danos induzidos pelos raios UV, diminui o eritema e a sensibilidade da pele após a exposição da luz UV.

A exposição ao sol destrói as vitaminas presentes nos tecidos cutâneos. Uma excelente alternativa é incluí-las em protetores solares

Além disso, ela também está presente em cremes para assaduras de bebês, pós-barbas e hidratantes para mãos e pés em virtude de suas propriedades anti-inflamatórias, calmantes e cicatrizantes.


Por Jenninfer Fogaça
Graduada em Química

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "Vitaminas usadas em cosméticos"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/quimica/vitaminas-usadas-cosmeticos.htm>. Acesso em 27 de julho de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA