Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Fimose

Fimose é uma condição que se caracteriza pela incapacidade de retração do prepúcio, pele que recobre a glande. Pode ser primária ou secundária.

Cerimônia judaica de circuncisão, correção da fimose, sendo realizada em um bebê.
A circuncisão é uma cirurgia feita para corrigir a fimose. Também é praticada em algumas culturas.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

   Fimose é uma condição relativamente comum em que o indivíduo apresenta dificuldade de expor a glande devido à não retratilidade do prepúcio. Em alguns casos, a fimose se resolve naturalmente, mas, em outros, faz-se necessária intervenção medicamentosa ou cirúrgica. No entanto, a cirurgia não é recomendada para todas as pessoas e é ainda motivo de debate entre os médicos.

A fimose, que pode ser diagnosticada facilmente por meio de exame físico, pode levar a complicações. Devido à dificuldade de retração do prepúcio e de higienização correta do local, observam-se o acúmulo de secreções e o desenvolvimento de bactérias. A fimose é considerada um dos principais fatores para o desenvolvimento de câncer de pênis.

Leia também: Câncer de próstata — sintomas, riscos, tratamento e prevenção da doença

Tópicos deste artigo

Resumo sobre fimose

  • A fimose é uma condição caracterizada pela incapacidade de retração do prepúcio.

  • Pode ser primária ou secundária.

  • A fimose primária é a condição mais comum e se resolve espontaneamente na maioria dos casos.

  • A fimose secundária pode estar associada, por exemplo, com traumas e balanopostites recorrentes (inflamação simultânea na glande e prepúcio).

  • A fimose dificulta a correta higienização do pênis e pode levar a complicações, como o desenvolvimento do câncer de pênis.

  • O tratamento varia e pode incluir medicamentos e até mesmo cirurgia.

O que é fimose?

Fimose é uma condição que consiste na dificuldade de expor a glande devido a uma incapacidade de retração da pele que recobre essa região. O termo é derivado do grego phimosis, que significa laço ou mordaça, sendo, portanto, uma referência à dificuldade da glande de ser descoberta.

Para melhor entender o que é a fimose, devemos compreender a estrutura peniana. A região chamada glande é a área mais sensível do pênis e destaca-se por ser uma área levemente dilatada do órgão. Quando o pênis não está ereto, a glande é recoberta por uma pele, denominada prepúcio.

O prepúcio é constituído por tecido epitelial e mucoso e é aderido de maneira frouxa à extremidade do pênis. No caso da fimose, o que ocorre é que o prepúcio não é permeável à glande, sendo as causas desse problema bem variáveis.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Tipos de fimose

A fimose pode ser classificada em primária ou secundária. A fimose primária ou fisiológica apresenta prepúcio normal e se resolve de maneira espontânea na maioria dos pacientes ainda na infância. Nesse tipo de fimose, observa-se o orifício prepucial distensível e sem cicatrizes.

Na fimose secundária, também denominada patológica, por sua vez, observa-se a presença de tecido fibrótico local. Essa fimose está relacionada com diferentes problemas, como trauma local e balanopostites recorrentes. Pode ocorrer tanto em crianças quanto em adultos.

Saiba mais: Órgãos do sistema reprodutor masculino

Quais são as consequências da fimose?

Na fimose, o prepúcio impede que a glande seja descoberta e, com isso, observa-se o acúmulo de secreção na região. A não retração da pele impede a higienização correta do local, o que pode até mesmo provocar o desenvolvimento de infecções bacterianas secundárias.

Vale a pena destacar que a fimose é considerada um dos principais fatores para o desenvolvimento do câncer de pênis e está também relacionada com o aumento do risco de se contrair infecções sexualmente transmissíveis e de se desenvolver infecções urinárias. A fimose também provoca dor nas relações sexuais.

Diagnóstico da fimose

Homem conversando com o médico urologista em um consultório, uma forma de diagnosticar a fimose.
Ao perceber a dificuldade de retração do prepúcio, é necessário procurar um médico urologista.

A fimose pode ser diagnosticada facilmente por meio do exame físico realizado pelo urologista. Em crianças, a primeira observação da região peniana ocorre quando o bebê é recém-nascido. Essa observação, de acordo com o Ministério da Saúde, é feita em todas as consultas até os 5 anos de idade.

A fimose também pode ocorrer em outras fases da vida do indivíduo. Nesse caso, o próprio paciente pode perceber a dificuldade da retração da pele, devendo procurar um médico para que uma avaliação correta possa ser feita.

Como é feito o tratamento da fimose?

Em geral, a fimose é observada logo após o nascimento e geralmente desaparece de forma espontânea ainda na infância. Essa resolução da fimose ocorre como consequência de diferentes fatores, como a descamação do epitélio da glande ou prepúcio e também devido à presença de secreção sebácea e ereções fisiológicas.

Em alguns casos, no entanto, essa resolução não acontece, sendo necessárias intervenções. Alguns dos tratamentos indicados são o uso de pomadas e exercícios de retração da fimose para meninos com idade superior a cinco anos.

Além disso, pode ser realizado um procedimento cirúrgico denominado circuncisão para a retirada do prepúcio. Apesar de ser um procedimento muito antigo e muito conhecido por todos, sua indicação é um assunto controverso e o procedimento vem sendo cada vez menos indicado.

Atualmente, recomenda-se a cirurgia da fimose apenas em casos específicos, como adolescentes que não conseguem expor sua glande, fimose patológica, infecções recorrentes do trato urinário e balanopostites recorrentes.

É importante destacar também que alguns autores consideram a circuncisão um procedimento benéfico. Entre os benefícios da retirada do prepúcio estão:

  • a redução do risco de contrair infecções sexualmente transmissíveis,

  • redução do risco de câncer de pênis;

  • prevenção contra infecções urinárias.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia   

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Fimose"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/saude/fimose.htm. Acesso em 21 de junho de 2024.

De estudante para estudante