Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Alcorão

O Alcorão é o livro sagrado do islamismo. Foi revelado por Allah a Muhammad, profeta da religião. Os ensinamentos contidos nele foram transcritos depois da morte do profeta.

Muçulmano segurando o Alcorão.
O Alcorão é o livro sagrado do islamismo.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O Alcorão é o livro sagrado do islamismo, sendo considerado pelos muçulmanos a mensagem do próprio Allah para a humanidade. Os muçulmanos acreditam que a mensagem presente no Alcorão foi revelada diretamente por Allah a Muhammad ao longo de 22 anos. A primeira revelação aconteceu durante a Noite do Destino.

O Alcorão foi compilado pelos seguidores de Muhammad, já que o profeta era iletrado, sendo recitado por ele e memorizado para ser redigido. Depois da morte do profeta, os versos foram organizados em um livro. Os muçulmanos afirmam que o Alcorão nunca sofreu modificações, devendo ser recitado em árabe.

Leia mais: Islamofobia — aversão ou ódio praticados contra pessoas que cultuam o islamismo ou têm origem étnica no islã

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o Alcorão

  • O Alcorão é o livro sagrado do islamismo.
  • É entendido como a mensagem de Allah, revelada a Muhammad durante 22 anos.
  • A primeira revelação aconteceu em um evento chamado Noite do Destino.
  • Ao todo, o Alcorão é composto por 114 suratas, que seguem uma ordem decrescente.
  • O livro contém valores básicos da religião islâmica, além de abordar questões morais, éticas e de apresentar a história dos profetas.

O que é o Alcorão?

O Alcorão é o livro sagrado do islamismo, religião que surgiu na Península Arábica, no século VII. Os muçulmanos acreditam que o Alcorão foi escrito por inspiração direta de Allah, sendo a transcrição das suas palavras. A escrita do Alcorão se deu por intermédio de uma revelação, e o livro foi organizado em 114 versos, conhecidos como suratas.

O Alcorão é entendido como o grande milagre do islamismo por ter sido uma revelação das palavras de Allah, sendo a base religiosa dos muçulmanos bem como o texto que norteia as noções éticas e morais do islamismo, estabelecendo-se como um guia de conduta para todos os fiéis dessa religião.

Originalmente, o texto sagrado do Alcorão não foi compilado em prosa, mas em versos, recitados por Muhammad à medida que lhe eram revelados. O livro surgiu por meio da organização dessa compilação sob a ordem dos maiores versos aos menores.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Importância do Alcorão para os muçulmanos

O Alcorão tem enorme importância para os muçulmanos porque, como pontuado, o livro é considerado uma revelação direta de Allah. Os muçulmanos acreditam que o Alcorão foi a última revelação de Allah, sendo, portanto, um texto sagrado e que dita como eles devem seguir sua vida. É, portanto, o guia moral e de fé de todos os muçulmanos.

Significado da palavra Alcorão

A palavra Alcorão tem origem no idioma árabe, mais especificamente do termo Al-Qur’an, traduzido como “a recitação”. Isso é uma referência ao fato de que o Alcorão só pode ser lido como uma recitação, além de que a revelação foi realizada a Muhammad dessa maneira.

Princípios do Alcorão

O Alcorão reforça elementos básicos da crença islâmica, dos quais o primeiro é a consideração de Allah como o único deus na crença dos muçulmanos. O islamismo defende que Allah é o criador e aquele que sustenta o Universo, sendo onipotente, eterno e misericordioso. Essa crença é um dos princípios do islamismo.

Além disso, o Alcorão reforça a crença do islamismo na atuação dos profetas, isto é, seres humanos que foram usados por Allah para trazer sua mensagem e sua revelação. O texto do Alcorão menciona o nome de 25 profetas e afirma que houve outros que não foram revelados a Muhammad, o último profeta do islamismo.

Entre alguns dos profetas no islamismo, estão: Adão, Abraão, Moisés, Jesus, entre outros. Os muçulmanos também acreditam que Allah avaliará a todos em um julgamento que decidirá o destino da alma de cada pessoa. Aqueles que forem condenados serão enviados para um local de sofrimento eterno.

A revelação de Allah estabeleceu os cinco pilares do islamismo:

  1. Recitar o credo “não existe nenhum deus além de Allah, e Muhammad é seu profeta”.
  2. Realizar cinco orações por dia e todas elas devem acontecer na direção de Meca.
  3. Realizar o jejum durante o Ramadã (desde que a pessoa tenha condição para tal).
  4. Realizar o zakat, uma doação de 2,5% dos lucros (se possível) para atender aos mais pobres.
  5. Visitar Meca uma vez na vida, se tiver condições para a viagem.

Como o Alcorão é dividido?

O Alcorão está dividido em 114 capítulos, conhecidos como suratas, das quais 92 foram reveladas a Muhammad quando ele estava em Meca e as outras 22 foram reveladas quando ele estava em Medina. Essas 114 suratas são formadas por pequenos versículos, chamados ayat, e os estudiosos do islamismo divergem na quantidade de versículos existentes.

Alguns estudiosos do islamismo e de seu livro sagrado falam que o Alcorão tem 6236 versículos, enquanto outros falam em 6666. Cada surata tem um nome, e a organização das suratas no Alcorão é temática, não contendo uma ordem linear ou cronológica. Como exemplo, vejamos os nomes de algumas delas:

  • Surata 03 – Al Imran (A Família de Imran)
  • Surata 48 – Al-Fath (O Triunfo)
  • Surata 90 – Al-Balad (A Metrópole)

Temas do Alcorão

O Alcorão é um livro que abrange diversas questões, como a crença monoteísta do islamismo, questões éticas, morais e legais, bem como eventos da história do islamismo e a acontecimentos vividos pelo profeta Muhammad.

Os detalhes básicos da fé islâmica também são abordados no islamismo, e os fiéis encontram no Alcorão instrução de como se comportar da melhor maneira ao longo de suas vidas. Alguns dos valores básicos para um muçulmano, como a caridade e o perdão, são reforçados no texto do Alcorão.

O texto do Alcorão reforça a ideia de que Allah é o único deus, sendo onisciente e onipotente. O Alcorão condena a violência, denunciando que aquele que age de tal forma não está seguindo os princípios do islamismo. O livro, ainda, fala da história dos profetas e contempla como um muçulmano deve agir no comércio e no casamento, além de falar sobre leis criminais.

Diferenças entre o Alcorão e a Bíblia

Alcorão e Bíblia são os livros sagrados do islamismo e cristianismo respectivamente. Os dois livros têm algumas diferenças entre si. Primeiramente, a Bíblia é um livro escrito por homens que foram inspirados por Deus na crença cristã. Isso se difere do Alcorão, que se estabeleceu pelas revelações de Allah a Muhammad, sendo, portanto, as próprias palavras de Allah.

No caso da Bíblia, as traduções são aceitas sem nenhum problema na tradição cristã, mas, no caso Alcorão, a tradição muçulmana aceita apenas a tradução original, no árabe, uma vez que se entende que as traduções perdem muito da essência do texto original.

Existem diferenças nas histórias em comum nos dois livros. Sendo assim, existem inúmeras diferenças nos relatos dos personagens bíblicos e corânicos, pois cada livro apresenta sua versão. Também existem diferenças doutrinárias com base na leitura do Alcorão e da Bíblia.

Leia mais: Hebreus — povo semita que, segundo a Bíblia, fixou-se em Canaã, sendo liderado pelo patriarca Abraão

Origem e história do Alcorão

O Alcorão é entendido como a palavra revelada por Allah a Muhammad, o profeta. Os muçulmanos acreditam que não foi se trata de texto escrito sob inspiração de Allah, mas sim a própria palavra de Allah. Para os muçulmanos, a revelação do Alcorão se iniciou com a Noite do Destino, quando Muhammad recebeu a primeira revelação.

Nesse evento, Muhammad estava em retiro para oração e meditação, em uma caverna no Monte Hira. O anjo Gabriel apareceu então chamando-o de profeta de Deus e pediu que ele recitasse. Após hesitar, Muhammad recitou:

“Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.
Lê, em nome do teu Senhor que criou;
Criou o homem de algo que se agarra.
Lê, que o teu Senhor é Generosíssimo,
Que ensinou através do cálamo,
Ensinou ao homem o que este não sabia.”

Essas revelações ocorreram a Muhammad ao longo de 23 anos da sua vida, sendo compiladas por seus seguidores, que as ouviam, memorizavam e então compilavam. Isso só foi possível porque Muhammad teve um grande número de seguidores que se dedicaram a essa missão, e isso também acontecia porque o profeta era iletrado.

Os historiadores entendem que o Alcorão só se tornou um livro depois da morte do profeta. Sendo assim, o trabalho de elaboração do livro não foi feito por ele, que apenas foi quem recebeu as revelações. Isso se deu por decisão do califa que sucedeu a Muhammad, Abu Bakr. A compilação foi realizada entre 632 e 634.

A ideia era reunir os versos recitados por Muhammad, transformando-os em um livro para garantir sua preservação. Com base nisso, uma série de escribas foram mobilizados. Os muçulmanos afirmam que as transcrições foram feitas exatamente como reveladas a Muhammad, permanecendo até os dias de hoje sem modificação. Para os muçulmanos, a mensagem de Allah está apenas no texto original, em árabe.

Curiosidades sobre o Alcorão

  • No Alcorão não existe a história de que Noé se embriagou, como há na Bíblia.
  • Acredita-se que a primeira revelação do Alcorão para Muhammad tenha acontecido em 610.
  • Aquele que memoriza todos os versos do Alcorão recebe o título de hafiz.

Fontes

AMERISE, Atahualpa. O que o Alcorão diz sobre a homossexualidade e por que ela é punida no mundo muçulmano. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-63934941

IQARA ISLAM. Alcorão: O que é e como surgiu o livro sagrado do islamismo? Disponível em: https://iqaraislam.com/alcorao-livro-sagrado-do-islamismo

IQARA ISLAM. As principais diferençãs entre o Alcorão e a Bíblia. Disponível em: https://iqaraislam.com/as-principais-diferencas-entre-o-alcoro-e-a-biblia

IQARA ISLAM. Como sabemos que o Alcorão nunca foi modificado? Disponível em: https://iqaraislam.com/como-sabemos-que-o-alcorao-nunca-foi-modificado

JOMIER, Jacques. Islamismo: história e doutrina. Petropólis: Vozes, 1992.

KHAN. Syed Muhammad. Islam. Disponível em: https://www.worldhistory.org/islam/

Escritor do artigo
Escrito por: Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Alcorão"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/religiao/alcorao.htm. Acesso em 22 de maio de 2024.

De estudante para estudante