Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Ramadã

Ramadã é o nono mês do calendário lunar islâmico e é um período sagrado marcado pela realização de jejuns e obras de caridade.

Muçulmanos ajoelhados em uma mesquita fazendo orações durante o Ramadã.
Ramadã, o nono mês do calendário islâmico, é o mês mais sagrado para os muçulmanos. [1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Ramadã ou Ramadan é o nono mês do calendário islâmico (baseado nos ciclos da Lua). Os muçulmanos acreditam que nesse mês, em 610, o profeta Muhammad recebeu a revelação da palavra de Allah. Assim, por ser um mês sagrado, os muçulmanos fazem jejum do nascer ao pôr do Sol.

Esse período é muito importante para os muçulmanos, e uma série de regras é observada, além do jejum de comida e água realizado entre o nascer e o pôr do Sol. Durante o Ramadã, também é realizado jejum de relações sexuais, se torna diária a leitura do Alcorão e práticas que aproximam as pessoas de Alá são incentivadas.

Leia também: Quaresma — período que antecede a Páscoa cristã e é marcado por jejuns e penitências

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o Ramadã

  • Ramadã é o nome do nono mês do calendário islâmico.

  • Nesse mês, os muçulmanos realizam um jejum que se estende do nascer ao pôr do Sol.

  • Esse mês é sagrado para os muçulmanos, porque se acredita que nele Muhammad recebeu a revelação do Alcorão do anjo Gabriel.

  • Além dos jejuns, os muçulmanos procuram manter uma observância religiosa, com leitura do Alcorão, orações diárias e abandono de práticas consideradas más.

  • Aqueles que não possuírem condições de realizar o jejum típico do Ramadã podem observá-lo em outro momento do ano ou substituí-lo pelo ato de alimentar uma pessoa necessitada.

O que é o Ramadã?

O Ramadã, também escrito como Ramadan, é o nono mês do calendário islâmico, que se baseia nos ciclos lunares e possui 354 ou 355 dias. Esse é um mês sagrado para os muçulmanos, pois na religião islâmica, esse foi o momento em que o arcanjo Gabriel desceu do céu com o Alcorão, isto é, com a mensagem de Allah que foi dada a Muhammad (Maomé).

A revelação do Alcorão teria acontecido na Arábia Saudita, quando Muhammad estava em meditação no deserto, por volta do ano 610 d.C. Durante a revelação, Muhammad recitou um verso que pertencia à palavra de Allah, e esse acontecimento ficou conhecido como Noite do Destino. A partir disso, Muhammad passou a espalhar a mensagem de Allah, que é a seguinte: “Não existe nenhum deus além de Allah, e Muhammad é seu profeta.”

A revelação da mensagem de Allah a Muhammad transformou o Ramadã no mês mais importante para os muçulmanos e, por isso, nele ocorre o ritual do jejum. Esse jejum é realizado em celebração à revelação da palavra de Allah e é um dos cinco pilares do islamismo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quanto tempo dura o Ramadã?

O Ramadã se estende por 29 ou 30 dias. O início do Ramadã é determinado por meio de cálculos ou de observação astronômica. O marco para o fim do Shaaban (oitavo mês do calendário islâmico) é o aparecimento da Lua crescente. No 29º dia desse mês, a Lua crescente é procurada no céu; se avistada, o Ramadã inicia-se no dia seguinte.

Caso a Lua não seja avistada e os cálculos não apontem o início dela, o dia seguinte será o 30º dia do Shaaban, e, assim, o Ramadã se iniciará depois que ele se encerrar. Esse processo também é usado para definir o fim do Ramadã e o início de Shawwal, o décimo mês do calendário islâmico.

Esse processo deve ser realizado com bastante atenção, porque o aparecimento da Lua crescente é um fenômeno que acontece por aproximadamente 20 minutos. Por ser uma celebração baseada em um calendário com duração menor que o calendário gregoriano, isso significa que em cada ano, a celebração ocorre em um período diferente.

Veja também: Ano-Novo chinês — a celebração da passagem de ano para essa cultura

Qual é a importância do jejum no Ramadã?

Ao longo do período do Ramadã, os muçulmanos devem realizar um jejum (sawm) como celebração à revelação do Alcorão ao profeta Muhammad. Como mencionado, o jejum é uma prática obrigatória do islamismo e faz parte dos cinco pilares dessa religião. Seu intuito é permitir que os filhos de Allah possam se aproximar dele e crescer espiritualmente. A importância do jejum pode ser identificada no próprio Alcorão:

183. Ó vós que credes! É-vos prescrito o jejum, como prescrito aos que foram antes de vós, para serdes piedosos.

184. Durante dias contados. E quem de vós estiver enfermo ou em viagem, que jejue o mesmo número de outros dias. E impende aos que podem fazê-lo, mas com muita dificuldade, um resgate: alimentar um necessitado. E quem mais o faz, voluntariamente, visando ao bem, ser-lhe-á melhor. E jejuardes vos é melhor. Se soubésseis!|1|

Essa citação também nos ajuda a perceber que, apesar de obrigatório, a fé islâmica permite algumas exceções ao jejum. Assim, pessoas doentes, idosos, crianças, mulheres grávidas, em amamentação ou menstruadas e pessoas em viagem não são obrigados a jejuar. Nesses casos, o jejum pode ser reposto no restante do ano antes do próximo Ramadã. Em último caso, se a pessoa não tiver condição de cumprir o jejum, ela deve alimentar uma pessoa necessitada por dia de Ramadã.

Como é o jejum do Ramadã?

O dia de um muçulmano durante o Ramadã se inicia cedo, pois por volta das quatro horas da madrugada acontece a Suhur, a primeira refeição do dia. Logo em seguida, ocorre a Fajr, a primeira oração do dia.

Depois que o Sol se põe, os muçulmanos realizam a Magrib, uma oração, e o Iftar, a refeição da noite, que é tida como um momento de comunhão das pessoas. Um alimento muito importante ao longo do período do Ramadã são as tâmaras.

Mesa posta com pratos contendo tâmaras e outros alimentos típicos das refeições dos muçulmanos durante o Ramadã.
Depois que o Sol se põe, os muçulmanos realizam o Iftar, a refeição da noite.

É muito comum também que, ao longo do dia, as pessoas se reúnam nas mesquitas para fazer as suas orações diárias. Além disso, as pessoas tendem a aumentar a sua devoção nos dez dias finais do Ramadã, pois acredita-se que a revelação do Alcorão para Muhammad aconteceu nos últimos dez dias desse mês.

Outros costumes praticados durante o Ramadã

Os sacrifícios físicos cobrados com o jejum são apenas uma parte do Ramadã, uma vez que esse mês, por ser sagrado, é um momento em que as pessoas se aproximam de Allah. O Ramadã é considerado o mês do perdão, então é um momento para que os muçulmanos possam se reconectar com Allah a fim de terem seus pecados perdoados e de se tornarem pessoas melhores.

Dessa forma, algumas práticas dos muçulmanos são reforçadas nesse período. Nesse caso, estamos falando das orações e das recitações dos versos presentes no Alcorão. Durante o Ramadã, também são reforçadas as práticas de caridade, outro dos pilares do islamismo. Os muçulmanos também evitam brigas, desentendimentos e todo tipo de mentira.

Encerramento do Ramadã

O Ramadã é encerrado em uma celebração conhecida como Eid al-Fitr, o que pode ser traduzido como “festival de quebra de jejum”. Nesse festival, são feitas celebrações que se estendem por três dias e em que há muita comida. Esses três dias são entendidos como feriado em muitos países muçulmanos, e neles é muito comum que as pessoas troquem presentes entre si.

Saiba mais: De onde vem o costume das mulheres muçulmanas de usar hijab?

Ramadã no calendário islâmico

Vimos que o Ramadã é o nono mês do calendário islâmico. Os demais meses presentes nesse calendário são os seguintes:

  1. Muharram

  2. Safar

  3. Rabi al-Awwal

  4. Rabi al-Akhir

  5. Jamadi al-Awwal

  6. Jamadi al-Akhir

  7. Rajab

  8. Shaaban

  9. Ramadã

  10. Shawwal

  11. Dhu al-Qidah

  12. Dhu al-Hija

Ramadã 2023

Como mencionado, a data do Ramadã se baseia no calendário islâmico, um calendário lunar que possui meses com 29 ou 30 dias. O início dessa celebração depende da aparição da Lua crescente, conforme já mencionado. Por isso, o Ramadã é uma celebração com data móvel — para o calendário gregoriano — e geralmente se inicia dez a 12 dias antes em relação ao ano anterior. O calendário gregoriano é o calendário utilizado no Brasil.

Em 2023, o Ramadã estava previsto para se iniciar em 23 de março, segundo a previsão para Meca. Isso porque a previsão apontava que a Lua crescente estaria visível em 22 de março. Em outras partes do planeta, como a Indonésia, a estimativa era de que a Lua crescente só estaria visível no dia 23 de março, assim o Ramadã se iniciaria no dia seguinte.

Os muçulmanos de todo o mundo têm a obrigação de seguir as regras do Ramadã, com exceção para o caso em que a pessoa não tem condições de saúde para sustentar o jejum do período. Aqui no Brasil, o jejum vai se estender por aproximadamente 12 horas diárias, já que o Sol nasce por volta das seis horas e se põe por volta das 18 horas.

Sendo assim, o jejum de comida e água e outras regras devem ser observados pelos fiéis do islamismo, mesmo que a maioria das pessoas ao redor não observem os costumes desse período. O encerramento do Ramadã em 2023 está previsto para acontecer no dia 21 de abril.

Notas

|1| NASR, Helmi. Tradução do sentido do nobre Alcorão para a língua portuguesa. Para acessar, clique aqui.

Créditos da imagem

[1] hikrcn / Shutterstock

 

Por Daniel Neves Silva
Professor de História 

Escritor do artigo
Escrito por: Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Ramadã"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/religiao/ramada.htm. Acesso em 26 de fevereiro de 2024.

De estudante para estudante