close
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Química do Ecstasy

O ecstasy é uma droga ilegal, cuja substância química principal é o MDMA, ou seja, o 3,4-metilenodioximetanfetamina. Seu uso pode levar à morte.

O componente base do ecstasy é um derivado das anfetaminas, do grupo das aminas
O componente base do ecstasy é um derivado das anfetaminas, do grupo das aminas
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

A substância que define o ecstasy é o 3,4-metilenodioximetanfetamina, mais conhecido pela sigla MDMA. Sua fórmula estrutural está representada abaixo, sendo um composto derivado das anfetaminas, isto é, substâncias sintéticas pertencentes ao grupo amina e que atuam no sistema nervoso, estimulando-o.

Fórmula estrutural do ecstasy

Porém, o ecstasy não faz parte do grupo das anfetaminas. Para entender melhor sobre esse grupo e verificar a sua distinção com o ecstasy, leia o texto “Química das anfetaminas”.

O MDMA possui parte de sua molécula semelhante a um alucinógeno, no entanto, não chega a produzir alucinações do ácido lisérgico (LSD), nem os efeitos estimulantes da cocaína. Seus efeitos são como uma mistura moderada das duas substâncias.

Comprimidos de ecstasy apreendidos pela polícia

O seu uso é ilegal e provoca inúmeras reações adversas, podendo levar até mesmo à morte. A maior causa de morte associada ao uso do ecstasy é a hipertermia, ou seja, o aumento da temperatura corporal, que causa um superaquecimento.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Isso ocorre porque o ecstasy atua sobre os neurotransmissores do cérebro (serotonina, dopamina e noradrenalina). A que mais sofre influência dessa droga é a serotonina, responsável por controlar as emoções, regular os domínios sensorial e motor, a capacidade associativa do cérebro e também regular a temperatura do corpo. Com o ecstasy atingindo essa função da serotonina, o corpo pode atingir temperaturas acima de 41 ºC, levando o sangue a coagular, produzindo convulsões e parada cardíaca.

Outros efeitos colaterais do uso dessa droga são: dores de cabeça, dores musculares, náuseas, hepatite tóxica, problemas renais, arritmia cardíaca, alucinações e crises de pânico.


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "Química do Ecstasy"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/quimica-ecstasy.htm. Acesso em 27 de maio de 2022.

De estudante para estudante


Calcule a energia de ativação (Ea) para a reação de decomposição do pentóxido de nitrogênio,

Por Rebeca Ciriaco
Responder
Ver respostas

Qual o nome dos compostos: CH3-CH2-CH3 e CH3- CH2- CH2-CH2-CH3, respectivamente:

Por ODETE PINTO ROCHA
Responder
Ver respostas

Estude agora


Pré-Enem | Estratégias para a hora de fazer a prova

O Pré-Enem é o intensivo preparatório do Brasil Escola para o Enem. Nele nós separamos os principais temas que...

O que é facilitação social?

Como é possível melhorar nosso desempenho: sozinho ou em público? Veja isso e muito mais nesta videoaula sobre...