Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Química das axilas

Existe uma grande produção de substâncias químicas por bactérias na região das axilas. São essas substâncias que provocam o mau cheiro.

O suor apresenta diversas substâncias químicas diferentes
O suor apresenta diversas substâncias químicas diferentes
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Ter cuidado com a região das axilas é algo muito comum no cotidiano das pessoas. O interessante é que todos os cuidados que devemos ter com essa pequena e importante parte do nosso corpo estão relacionados com a Química. Neste texto, vamos conhecer quais são as relações existentes entre a Química e as axilas.

Antes de ter toda uma compreensão da relação entre a química e as axilas, vamos entender alguns aspectos importantes primeiro. O suor das axilas é produzido pelas chamadas glândulas sudoríparas apócrinas (presentes em apenas algumas regiões do corpo, como axilas e genitália). Veja o que está presente na composição do suor:

  • Água

  • sais minerais

  • carboidratos

  • triglicérides

  • ácido lático

  • ácidos graxos

  • amônia

  • compostos férricos

  • restos celulares

Na região das axilas, existem cerca de cem trilhões de bactérias, que podem ser:

  • Corynebacterium

  • Staphylococcus

  • Micrococcus

  • Propionibacterium

Cada uma dessas bactérias tem a capacidade de metabolizar vários dos componentes presentes no suor, com exceção da água e dos sais minerais. O resultado da metabolização proporcionada pelas bactérias nas axilas é a produção de vários compostos químicos. Esses compostos apresentam odor característico e desagradável.

Veja agora as fórmulas estruturais, o nome e o odor característico de várias das substâncias produzidas pelas bactérias na região das axilas, como alguns ácidos carboxílicos:

  • Ácido isovalérico (apresenta odor característico de queijo, como o chulé):

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Ácido propiônico (apresenta odor característico de queijo):

  • Ácido acético (apresenta odor característico de vinagre):

  • Ácido 3-metil-2-hexenoico (apresenta odor característico de cabra)

  • Ácido 3-hidróxi-3-metil-hexanóico (apresenta odor característico do cominho)

Como vimos, o mau cheiro na região das axilas é causado pela presença de milhares de bactérias e pelos ácidos que elas produzem. Assim, para resolver o problema do mau cheiro, basta utilizar as seguintes “saídas químicas”:

  • Bicarbonato de sódio (sal com propriedades básicas que neutraliza todos os ácidos produzidos pelas bactérias);

  • Desodorante antibacteriano (possui substâncias com a propriedade de matar as bactérias presentes na região das axilas).

Algumas medidas de higiene também são bem-vindas:

  • Depilar a região axilar, pois os pelos podem concentrar uma maior quantidade de bactérias;

  • Lavar bem as axilas com sabonete neutro para evitar a produção excessiva de suor;

  • Sempre enxugar bem as axilas após o banho (o excesso de umidade na região axilar pode fazer proliferar as bactérias; por isso, é interessante utilizar um desodorante antitranspirante);

  • Evitar o uso de roupas sintéticas.


Por Me. Diogo Lopes Dias

Escritor do artigo
Escrito por: Diogo Lopes Dias Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DIAS, Diogo Lopes. "Química das axilas"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/quimica-das-axilas.htm. Acesso em 26 de maio de 2024.

De estudante para estudante