close
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Romance policial

Romance policial é um subgênero literário cuja origem remonta ao século XIX. Foi nessa época que o escritor Edgar Allan Poe escreveu as primeiras narrativas policiais.

Ilustração da silhueta do detive Sherlock Holmes atrás de pegadas em um ambiente verde-claro.
Sherlock Holmes é o detetive mais famoso dos romances policiais.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Romance policial é um subgênero literário e está relacionado a narrativas que contam a história de um crime. Nelas, o narrador mantém o suspense até o final, quando revela a identidade do criminoso. O escritor americano Edgar Allan Poe foi o criador das narrativas policiais.

Essas obras contam também com um detetive, que utiliza métodos racionais para desvendar o mistério. Um dos detetives mais famosos é Sherlock Holmes, criação do escritor escocês Arthur Conan Doyle. E uma das escritoras mais conhecidas desse tipo de romance foi a inglesa Agatha Christie.

Leia também: Romance indianista — um tipo de narrativa cujo protagonista é um indígena

Tópicos deste artigo

Origem do romance policial

A origem do romance policial está no século XIX, quando o americano Edgar Allan Poe (1809-1849) escreveu as primeiras narrativas policiais. Assim, o primeiro detetive desse tipo de obra foi Auguste Dupin, personagem de contos do autor, como o famoso “Os crimes da rua Morgue”, de 1841.

Características do romance policial

O romance policial tem alguns elementos clássicos encontrados em todas as narrativas:

  • um crime (roubo ou assassinato, por exemplo);

  • o mistério em torno da identidade do criminoso;

  • um detetive (ou personagem que decide fazer a investigação);

  • pistas e descobertas no decorrer da obra;

  • a revelação, ao final da história, da autoria e do motivo do crime.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Outro elemento clássico das narrativas policiais é a capacidade dedutiva do detetive. Assim, ele consegue solucionar o mistério ao utilizar a razão e analisar os fatos. São exemplos desse tipo de personagem: Auguste Dupin (de Edgar Allan Poe), Sherlock Holmes (de Arthur Conan Doyle) e Hercule Poirot (de Agatha Christie).

Dessa forma, a maior parte do enredo dessas obras está centrada na investigação. O crime inicia a narrativa, a investigação é feita, e a revelação da identidade do criminoso encerra a história. Além disso, os personagens do romance estão relacionados à vítima do crime de alguma maneira.

É com base em seus depoimentos que o detetive encontra elementos para solucionar o mistério. Dessa forma, o criminoso se oculta entre eles, já que é um desses personagens. Portanto, quando o leitor descobre sua identidade, acaba descobrindo também a verdadeira personalidade do autor do crime.

Em regra, o romance policial é um livro de entretenimento, o que não impede que autoras e autores possam utilizar esse subgênero literário para fins mais críticos. Isso tem a ver com a época de sua origem. Afinal, Poe fez parte do romantismo americano, um estilo de época marcado pelo seu caráter de entreter.

Daí a presença de um herói (detetive) e de um vilão (criminoso), elementos tão comuns à estética romântica. No mais, o romance policial explora o mistério e o suspense. Então o narrador, se onisciente, precisa omitir certos fatos ao leitor. É comum, portanto, a presença de um narrador observador.

Nesse caso, o leitor vai descobrindo a verdade ao mesmo tempo que o narrador. De qualquer modo, o leitor precisa ser surpreendido no final. E, às vezes, a surpresa vai além, por exemplo, em um dos livros de Agatha Christie, o narrador da história é o assassino.

Saiba mais: Romance histórico — um tipo de narrativa que mistura ficção com fatos históricos

Autores de romance policial

  • Émile Gaboriau (1832-1873) — francês

  • Arthur Conan Doyle (1859-1930) — escocês

  • Maurice Leblanc (1864-1941) — francês

  • Rex Stout (1886-1975) — estado-unidense

  • Raymond Chandler (1888-1959) — estado-unidense

  • S. S. Van Dine (1888-1939) — estado-unidense

  • Agatha Christie (1890-1976) — inglesa

  • Dashiell Hammett (1894-1961) — estado-unidense

  • P. D. James (1920-2014) — inglesa

  • Rubem Fonseca (1925-2020) — brasileiro

  • Luiz Alfredo Garcia-Roza (1936-2020) — brasileiro

  • Patricia Cornwell — estado-unidense

  • Jô Soares — brasileiro

Obras do romance policial

  • O caso Lerouge (1866), de Émile Gaboriau

  • Um estudo em vermelho (1887), de Arthur Conan Doyle

  • A agulha oca (1909), de Maurice Leblanc

  • O caso Benson (1926), de S. S. Van Dine

  • Seara vermelha (1929), de Dashiell Hammett

  • Assassinato no Expresso do Oriente (1934), de Agatha Christie

  • Picada mortal (1934), de Rex Stout

  • O sono eterno (1939), de Raymond Chandler

  • A chantagista (1962), de P. D. James

  • O caso Morel (1973), de Rubem Fonseca

  • Post-mortem (1990), de Patricia Cornwell

  • O xangô de Baker Street (1995), de Jô Soares

  • O silêncio da chuva (1996), de Luiz Alfredo Garcia-Roza

Videoaula sobre romance

 

Por Warley Souza
Professor de Literatura

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Romance policial"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/literatura/romance-policial.htm. Acesso em 23 de maio de 2022.

De estudante para estudante


Quando essa matéria foi publicada ? preciso do ano para colocar como citação em meu TCC.

Por Ana Kelly
Responder
Ver respostas

Por que o Quinhentismo não é uma escola literária?

Por Samara Barros
Responder
Ver respostas

Videoaulas


Estude agora


Racismo e Ciência

Nesta aula, o prof. João Gabriel apresenta a ideia de que “raças humanas” e o racismo subsequente têm uma origem...

Pré-Enem | Pensadores brasileiros para citar na redação

O Pré-Enem é o intensivo preparatório do Brasil Escola para o Enem. Nele nós separamos os principais temas que...