Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Literatura grega

“Ilíada” e “Odisseia”, de Homero, são as primeiras obras da literatura grega. Essa literatura é dividida em antiga, era romana, além das literaturas bizantina e moderna.

Homero, o pai da literatura grega.
Homero, o pai da literatura grega.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Literatura grega é aquela produzida na Grécia desde a Antiguidade, mas também inclui as obras em latim produzidas durante a dominação romana, mas influenciadas pela cultura grega. Assim, ela tem início com as obras de Homero — os poemas épicos Ilíada e Odisseia —, que fazem parte da literatura antiga.

A literatura antiga está dividida em período arcaico, clássico e helenístico. A era romana precede a literatura bizantina. Já a literatura grega moderna tem início no Renascimento e possui autores como: Geōrgios Chortatzēs, Dionísios Solomós, Andreas Karkavitsas e Níkos Kazantzákis.

Leia também: Literatura inglesa — produção que teve William Shakespeare como um de seus principais nomes

Tópicos deste artigo

Resumo sobre literatura grega

  • As epopeias Ilíada e Odisseia, ambas de Homero, são as primeiras obras da literatura grega.

  • A literatura antiga é dividida em período arcaico, clássico e helenístico, e apresenta elementos épicos, mitológicos e trágicos.

  • Durante a dominação romana, os autores latinos foram influenciados pela cultura grega.

  • A literatura bizantina retoma a língua grega e apresenta elementos profanos e cristãos.

  • A literatura grega moderna tem início no Renascimento e se fortalece a partir do Romantismo.

Características da literatura grega

Literatura antiga

  • Período arcaico (século VIII a. C. até o século VI a.C.):

    • caráter oral;

    • temas mitológicos;

    • heroísmo;

    • poesia cantada.

  • Período clássico (séculos V e IV a.C.):

    • textos trágicos;

    • comédias;

    • elementos mitológicos;

    • crítica social;

    • textos de cunho satírico;

    • obras de cunho teórico e filosófico;

    • reflexão sobre questões morais.

  • Período helenístico ou greco-romano (a partir do século III a.C.):

    • elementos de transição entre a cultura grega e a romana;

    • poesia lírica e épica;

    • surgimento da prosa literária;

    • caráter aventureiro e idealizador;

    • aspecto mítico.

Era romana:

  • influências da literatura grega antiga;

  • uso do latim;

  • caráter ensaístico;

  • neoplatonismo;

  • elementos satíricos;

  • erotismo;

  • misticismo.

Literatura bizantina:

  • elementos cristãos e profanos;

  • retomada da língua grega;

  • valorização dos modelos clássicos;

  • caráter histórico;

  • aspectos religiosos.

Literatura grega moderna

  • Renascimento:

    • retomada das tragédias e comédias;

    • pastoralismo;

    • elementos religiosos;

    • poesia épica.

  • Romantismo:

    • patriotismo;

    • sátira;

    • profundidade filosófica;

    • drama histórico.

  • Realismo:

    • divulgação da cultura popular;

    • elementos folclóricos;

    • valorização do ambiente rural;

    • crítica sociopolítica;

    • romance de costumes;

    • ausência de idealização.

  • Modernismo:

    • Geração de 1922:

      • elementos expressionistas e surrealistas;

      • pessimismo;

      • fuga da realidade.

    • Geração de 1930:

      • influências do surrealismo na poesia;

      • retomada da tradição na prosa.

    • Geração de 1940:
      • prosa histórica;

      • temas universais.

    • Literatura do pós-guerra:

      • poesia social ou de resistência;

      • poesia marxista e existencialista;

      • poesia surrealista;

      • temática de guerra na prosa;

      • prosa do cotidiano e da vida urbana;

      • crítica sociopolítica.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Fases da literatura grega

  • Literatura antiga

  • Era romana

  • Literatura bizantina

  • Literatura grega moderna

Principais autores da literatura grega

  • Homero.

  • Hesíodo.

  • Safo.

  • Ésquilo (525 a.C. – 455 a.C.).

  • Sófocles (497 a.C. – 405 a.C.).

  • Eurípides (480 a.C. – 406 a.C.).

  • Aristófanes (447 a. C. – 385 a.C.).

  • Platão (428 a.C. – 347 a.C.).

  • Aristóteles (384 a.C. – 322 a.C.).

  • Calímaco (310 a.C. – 240 a.C.).

  • Apolônio de Rodes (295 a.C. – 215 a.C.).

  • Cáriton de Afrodísias.

  • Heliodoro de Émeso.

  • Longo.

  • Aquiles Tácio.

  • Tito Lucrécio (99 a.C. – 50 a.C.).

  • Virgílio (70 a.C. – 19 a.C.).

  • Sêneca (4 a.C. – 65 d.C.).

  • Petrônio (27-66).

  • Apuleio (124-170).

  • Aulo Gélio (125-180).

  • Plotino (204-270).

  • Procópio (500-565).

  • Cirilo de Citópolis (525-558).

  • Agatias (536-582).

  • Evágrio Escolástico (536-594).

  • Geōrgios Chortatzēs (1545-1610).

  • Vitsentzos Kornaros (1553-1613).

  • Dionísios Solomós (1798-1857).

  • Alexandros Soútsos (1803-1863).

  • Pavlos Kalligás (1814-1896).

  • Emmanuel Roídis (1836-1904).

  • Alexandros Papadiamantis (1851-1911).

  • Andreas Karkavitsas (1865-1922).

  • Níkos Kazantzákis (1883-1957).

  • Stratis Myrivilis (1890-1969).

  • Kostas Kariotakis (1896-1928).

  • Giórgos Seféris (1900-1971).

  • Elias Venezis (1904-1973).

  • Stratis Tsirkas (1911-1980).

  • Odysséas Elýtis (1911-1996).

  • Antonis Samarakis (1919-2003).

  • Miltos Sachtouris (1919-2005).

  • Renos Apostolides (1924-2004).

  • Manolis Anagnostakis (1925-2005).

  • Alexandros Kotzias (1926-1992).

  • Kostas Tachtses (1927-1988).

  • Kiki Dimoula (1931-2020).

  • Vassilis Vassilikos (1934-).

Leia também: Epopeia — o gênero literário utilizado por Homero

Principais obras da literatura grega

 Capa do livro Ilíada, de Homero, publicado pela editora Companhia das Letras.[1]
 Capa do livro Ilíada, de Homero, publicado pela editora Companhia das Letras.[1]
  • Obras da literatura antiga grega

    • Ilíada (século VIII a.C.), de Homero.

    • Odisseia (século VIII a.C.), de Homero.

    • Teogonia (século VIII a.C.), de Hesíodo.

    • Ode a Afrodite (século VII a. C.), de Safo.

    • Medeia (431 a.C.), de Eurípides.

    • Édipo rei (427 a.C.), de Sófocles.

    • Lisístrata (411 a.C.), de Aristófanes.

    • Prometeu acorrentado (século IV a.C.), de Ésquilo.

    • A república (século IV a.C.), de Platão.

    • Poética (século IV a.C.), de Aristóteles.

    • As origens (século III a.C.), de Calímaco.

    • As argonáuticas (século III a.C.), de Apolônio de Rodes.

    • Quéreas e Calírroe (século I d.C.), de Cáriton de Afrodísias.

    • As etiópicas, de Heliodoro de Émeso.

    • Dáfnis e Cloé, de Longo.

    • As aventuras de Leucipe e Clitofonte, de Aquiles Tácio.

  • Obras da era romana

    • De rerum natura (século I a. C.), de Tito Lucrécio.

    • Eneida (século I a. C.), de Virgílio.

    • Fedra (ano 54), de Sêneca.

    • Satíricon (ano 60), de Petrônio.

    • Noites áticas (século II), de Áulio Gélio.

    • O asno de ouro (século II), de Apuleio.

    • As enéadas (ano 270), de Plotino.

Obras da literatura bizantina grega

  • História secreta (século VI), de Procópio.

  • Daphniaca (século VI), de Agatias.

  • História eclesiástica (século VI), de Evágrio Escolástico.

  • As vidas dos monges da Palestina (século VI), de Cirilo de Citópolis.

Obras da literatura grega moderna

  • Erofili (1590), de Geōrgios Chortatzēs.

  • Erotokritos (século XVII), de Vitsentzos Kornaros

  • Hino à liberdade (1823), de Dionísios Solomós.

  • O exílio (1831), de Alexandros Soutsos.

  • Thanos Vlekas (1855), de Pavlos Kalligás.

  • A papisa Joana (1866), de Emmanuel Roídis.

  • O mendigo (1896), de Andreas Karkavitsas.

  • A assassina (1903), de Alexandros Papadiamantis.

  • Elegias e sátiras (1927), de Kostas Kariotakis.

  • Número 31328 (1931), de Elias Venezis.

  • A cisterna (1932), de Giórgos Seféris.

  • Zorba, o grego (1946), de Níkos Kazantzákis.

  • A sereia Madonna (1949), de Stratis Myrivilis.

  • Pirâmide 67 (1950), de Renos Apostolides.

  • Épocas 3 (1951), de Manolis Anagnostakis.

  • O cerco (1953), de Alexandros Kotzias.

  • Esperança desejada (1954), de Antonis Samarakis.

  • In absentia (1958), de Kiki Dimoula.

  • Axion Esti (1959), de Odysséas Elýtis.

  • A terceira coroa de casamento (1962), de Kostas Tachtses.

  • Z (1967), de Vassilis Vassilikos.

  • Cidades à deriva (1974), de Stratis Tsirkas.

  • Poemas (1977), de Miltos Sachtouris.

Origem da literatura grega

A literatura grega tem origem no século VIII a.C., que é a provável data de produção dos famosos poemas épicos de Homero, isto é, a Ilíada e a Odisseia. Na sequência, os textos teatrais assumem o protagonismo na Grécia Antiga. A poesia lírica também é produzida, concomitantemente à épica.

Assim, a literatura grega é a base da literatura ocidental, onde se estabeleceram os três gêneros literários: épico, lírico e dramático. Com a dominação romana, por volta de 168 a.C., ela continua viva, mesmo escrita em latim, já que os escritores romanos sofreram influência da cultura grega. Durante o Império Bizantino (330-1453), a língua grega é retomada.

Com o Renascimento, surge a literatura grega moderna, em territórios gregos ainda subjugados. Situação que só vai mudar com a independência da Grécia em 1821, que coincide com a chegada do Romantismo. O Realismo toma forma em 1880. Já o Modernismo, em 1922.

Créditos da imagem

[1] Companhia das Letras (reprodução)

 

Por Warley Souza
Professor de Literatura

Escritor do artigo
Escrito por: Warley Souza Professor de Português e Literatura, com licenciatura e mestrado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Literatura grega"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/literatura/literatura-grega.htm. Acesso em 13 de julho de 2024.

De estudante para estudante