Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Suástica

A suástica é um símbolo milenar em forma de cruz com braços dobrados, em ângulos retos, que tem origem indiana.

Suástica gravada no santuário budista de Asakusa, em Tóquio, representando prosperidade e boa fortuna.
Suástica gravada no santuário budista de Asakusa, em Tóquio, representando prosperidade e boa fortuna.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A suástica é um símbolo milenar, uma cruz com braços dobrados em ângulos retos que tem origens na Índia, por volta de 3000 a.C., associada a conceitos de "bem-estar" e "boa fortuna". Ao longo da história, ela desempenhou papéis diversos, destacando-se na arte, arquitetura e religião, sendo presente em templos indianos, associada a divindades gregas como Dionísio e representando boa fortuna no contexto budista.

Contudo, sua imagem foi manchada durante a Segunda Guerra Mundial, quando os nazistas a apropriaram, invertendo-a e distorcendo seu significado original para propagar ideais de superioridade racial. Atualmente, a suástica gera debates legais no Brasil devido à sua associação nazista, enquanto no mundo é utilizada em contextos não relacionados ao ódio, como em celebrações religiosas na Ásia.

Leia também: Sol Negro — símbolo nazista associado a crenças ocultistas e esotéricas

Tópicos deste artigo

Resumo sobre a suástica

  • A suástica é um símbolo antigo, composto por uma cruz com braços dobrados em ângulos retos.
  • Com raízes sânscritas, a suástica emergiu na Índia por volta de 3000 a.C., sendo posteriormente adotada por diversas culturas ao redor do mundo, como China, Grécia e América do Norte.
  • Os significados da suástica são diversos. Em culturas orientais, ela representava boa fortuna.
  • A suástica é frequentemente associada ao Sol em várias culturas antigas, representando a energia vital e a renovação.
  • Os nazistas se apropriaram da suástica durante a Segunda Guerra Mundial, distorcendo o significado do seu uso.
  • No Brasil, a suástica gera debates legais devido à sua associação com o nazismo. A legislação brasileira proíbe o uso de símbolos nazistas.
  • A suástica ainda é utilizada em contextos não relacionados ao ódio, especialmente em celebrações religiosas na Ásia.
  • Existem variedades da suástica, como a suástica direita e invertida, cada uma carregando significados distintos.
  • Alguns esforços de reabilitação buscam separar o símbolo de suas associações negativas.

O que é a suástica?

A suástica é um símbolo que consiste em uma cruz com braços dobrados, em ângulos retos, formando um padrão semelhante a uma roda ou a quatro “L” invertidos. É um símbolo antigo que tem sido utilizado em diversas culturas ao longo da história, representando diferentes significados dependendo do contexto cultural e religioso.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Origem da suástica

A origem da suástica remonta a tempos antigos, sendo um dos símbolos mais antigos encontrados em diversas culturas ao redor do mundo. A palavra "suástica" tem raízes sânscritas e significa "bem-estar" ou "boa fortuna". Ela apareceu inicialmente na Índia, por volta de 3000 a.C., onde era associada a divindades hindus e jainistas.

A suástica hindu.
A suástica hindu.

A suástica também foi encontrada em artefatos arqueológicos em regiões como China, Japão, Grécia e América do Norte, sugerindo uma difusão global ao longo dos séculos.

Veja também: Rio Ganges — divindade líquida que é símbolo de pureza e proteção para os hindus

Uso da suástica na história

→ Suástica na arte e na arquitetura

Suástica em um mosaico romano.
Suástica em um mosaico romano do século II.[1]

A suástica foi amplamente utilizada em diversos contextos artísticos e arquitetônicos. Na Índia, por exemplo, ela aparece em muitos templos e monumentos, simbolizando prosperidade e boa sorte. Na Grécia Antiga, a suástica era associada a Dionísio, o deus do vinho, e era frequentemente usada em cerâmicas e mosaicos.

→ Suástica na religião

Estátua de Buda com uma suástica gravada.
Estátua de Buda com uma suástica gravada.

A suástica desempenhou um papel significativo em várias religiões. Além do hinduísmo e do jainismo, ela também foi encontrada em artefatos budistas, representando boa fortuna e prosperidade. A presença da suástica em diferentes tradições religiosas destaca seu significado amplo em diversos contextos e culturas.

→ Suástica no nazismo

Tropas nazistas segurando estandartes com a suástica.
Tropas nazistas segurando estandartes com a suástica em um desfile, em 1933.[2]

A suástica também é fortemente associada ao regime nazista liderado por Adolf Hitler. Os nazistas apropriaram-se do símbolo, dando-lhe um significado distorcido de superioridade racial. A suástica nazista tornou-se um símbolo de intolerância e genocídio, manchando a imagem do símbolo ancestral.

Saiba mais: Você sabe o que é antissemitismo?

Como a suástica é usada na atualidade?

No Brasil, a suástica tem um status legal ambíguo. Embora o país tenha uma legislação que proíba a exibição de símbolos nazistas para promover a discriminação, muitas vezes é difícil aplicar essa lei de maneira eficaz. A suástica ainda é ocasionalmente utilizada por grupos neonazistas e racistas, provocando debates sobre a liberdade de expressão versus a necessidade de combater o discurso de ódio.

Globalmente, a suástica ainda é usada em contextos não relacionados ao nazismo. Em algumas regiões da Ásia, por exemplo, ela continua a ser um símbolo religioso e é empregada em celebrações e festivais. A coexistência da suástica em diferentes contextos culturais destaca a complexidade de sua história e os desafios associados ao seu significado.

Curiosidades sobre a suástica

  • A suástica é frequentemente associada ao Sol em várias culturas antigas, representando a energia vital e a renovação.
  • Existem várias formas de suástica, incluindo a suástica direita e a suástica invertida. Cada uma delas pode ter significados diferentes em diferentes culturas.
Quatro versões da suástica.
Quatro versões da suástica: quadrada, hindu, solar e asteca (da esquerda para a direita).[3]
  • Artistas modernos, como o pintor Wassily Kandinsky, incorporaram a suástica em suas obras antes da ascensão do nazismo, refletindo a influência cultural global do símbolo.
  • Algumas organizações e ativistas buscam reabilitar o símbolo, separando-o de suas associações nazistas e destacando seu significado original em diferentes culturas.
  • Em alguns países europeus, a exibição de suásticas é proibida por lei devido à sua associação com o nazismo.

Créditos das imagens

[1] Wikimedia Commons

[2] Everett Collection

[3] Wikimedia Commons

Fontes

ARONIS, Carolin. O Funcionamento Tecnológico da Suástica: Uma perspectiva da Ecologia das Mídias. ALCEU, [S. l.], v. 22, n. 46, p. 96–117, 2022. DOI: 10.46391/ALCEU.v22.ed46.2022.284. Disponível em: https://revistaalceu.com.puc-rio.br/alceu/article/view/284

LANGER, J. Suásticas, ritos e espacialidades. Revista Brasileira de História das Religiões, v. 15, n. 44, 24 ago. 2022. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RbhrAnpuh/article/view/62031

Escritor do artigo
Escrito por: Tiago Soares Campos Bacharel, licenciado e doutorando em História pela USP. Bacharel em Direito e pós-graduado em Direito pela PUC. É professor de História e autor de materiais didáticos há mais de 15 anos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

CAMPOS, Tiago Soares. "Suástica"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiag/suastica.htm. Acesso em 23 de fevereiro de 2024.

De estudante para estudante