Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Senão ou se não?

Senão ou se não? Para responder a essa pergunta, é preciso saber se você quer usar um sinônimo para “do contrário” ou iniciar uma oração subordinada adverbial condicional.

Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Senão ou se não? Se você pretende usar um sinônimo para “exceto”, “do contrário”, “a não ser”, “porém” ou “problema”, o correto é utilizar a palavra “senão”. Mas se você está iniciando uma oração subordinada adverbial condicional, causal ou temporal, o certo é escrever “se não”.

Leia também: Mecher ou mexer?

Tópicos deste artigo

Senão ou se não: qual a diferença?

A palavra “senão” é usada como sinônimo de “exceto”, “do contrário”, “a não ser”, “porém” ou “problema”. Já a expressão “se não” é utilizada no início de orações subordinadas adverbiais condicionais, causais ou temporais. Desse modo, quando um pai fala para o seu filho “Faça o dever de casa agora, senão vai ficar de castigo no fim de semana”, ele está dizendo: “Faça o dever de casa agora; do contrário, vai ficar de castigo no fim de semana”.

Porém, é diferente quando o mesmo pai diz: “Se não fizer o dever de casa agora, vai ficar de castigo no fim de semana”. Nesse exemplo, “Se não fizer o dever de casa agora” é uma oração subordinada adverbial condicional, já que indica a condição para o filho ficar de castigo no fim de semana. Portanto, nesse caso, é correto utilizar a expressão “se não”.

Quando usar senão?

O uso de “senão” ou “se não” depende do que o enunciador pretende expressar.
O uso de “senão” ou “se não” depende do que o enunciador pretende expressar.

O termo “senão” pode exercer as seguintes funções:

  • Preposição:

Dançamos tudo, senão a valsa.

ou

Dançamos tudo, exceto a valsa.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Conjunção alternativa:

A Nova Zelândia seguiu as regras de distanciamento social; senão, haveria muitas vítimas da doença.

ou

A Nova Zelândia seguiu as regras de distanciamento social; do contrário, haveria muitas vítimas da doença.

  • Conjunção condicional:

Matar é um ato abominável, senão por legítima defesa.

ou

Matar é um ato abominável, a não ser por legítima defesa.

  • Conjunção adversativa:

Não buscava fama, senão dinheiro.

ou

Não buscava fama, mas dinheiro.

  • Substantivo:

Não tenho sossego, há sempre um senão na minha vida.

ou

Não tenho sossego, há sempre um problema na minha vida.

Leia também: Chego ou chegado?

Quando usar se não?

Para utilizar o “se não”, basta conhecer um pouco de gramática.
Para utilizar o “se não”, basta conhecer um pouco de gramática.

A expressão “se não” é usada no início das seguintes orações subordinadas adverbiais:

  • Condicional:

Se não usar o seu senso de justiça, o sofrimento não terá fim.

ou

Caso não use o seu senso de justiça, o sofrimento não terá fim.

  • Causal:

Se não têm outras perguntas, a aula está encerrada.

ou

Já que não têm outras perguntas, a aula está encerrada.

  • Temporal:

Se não fala nada, todos usam o seu computador.

ou

Quando não fala nada, todos usam o seu computador.

Por terem a mesma pronúncia, os termos “senão” e “se não” são muitas vezes confundidos.
Por terem a mesma pronúncia, os termos “senão” e “se não” são muitas vezes confundidos.

Questão 1 – Leia o fragmento a seguir:

Depois de longas investigações, convenci-me por fim de que o Sol é uma estrela fixa rodeada de planetas que giram em volta dela e de que ela é o centro e a chama. Que, além dos planetas principais, há outros de segunda ordem que circulam primeiro como satélites em redor dos planetas principais e com estes em redor do Sol. [...] Não duvido de que os matemáticos sejam da minha opinião, se quiserem dar-se ao trabalho de tomar conhecimento, não superficialmente mas duma maneira aprofundada, das demonstrações que darei nesta obra. Se alguns homens ligeiros e ignorantes quiserem cometer contra mim o abuso de invocar alguns passos da Escritura (sagrada), a que torçam o sentido, desprezarei os seus ataques: as verdades matemáticas não devem ser julgadas senão por matemáticos.

COPÉRNICO, Nicolau. De revolutionibus orbium coelestium.

O termo “senão”, destacado no texto, exerce a função gramatical de:

A) conjunção alternativa, com o mesmo sentido de “do contrário”.

B) conjunção condicional, com o mesmo sentido de “a não ser”.

C) conjunção adversativa, com o mesmo sentido de “porém”.

D) adjunto adverbial de tempo no início de oração subordinada.

E) adjunto adverbial de causa no início de oração subordinada.

Resolução

Alternativa B. A palavra “senão”, no enunciado “as verdades matemáticas não devem ser julgadas senão por matemáticos”, exerce a função de conjunção condicional e pode ser substituída por “a não ser”. Portanto, “as verdades matemáticas não devem ser julgadas a não ser por matemáticos”. Desse modo, fica explicitada a condição para as verdades matemáticas serem julgadas, isto é, só matemáticos podem julgar essas verdades.

Questão 2 – Preencha corretamente as lacunas do texto a seguir com as expressões “senão” ou “se não”.

______ chegar na hora marcada, você não será recebida. E se quiser seu dinheiro de volta, faça o pedido por escrito, ______ sua solicitação não poderá ser atendida. Mas ______ concordar com essas condições, por favor, não assine este contrato.

Marque a alternativa que apresenta a sequência correta de preenchimento das lacunas.

A) Senão, senão, se não.

B) Se não, senão, se não.

C) Se não, se não, se não.

D) Senão, senão, senão.

E) Se não, senão, senão.

Resolução

Alternativa B. A sequência correta de preenchimento das lacunas é: Se não (inicia oração subordinada adverbial condicional — “caso não chegue na hora marcada, você não será recebida”), senão (conjunção alternativa — “do contrário, sua solicitação não será atendida”) e se não (inicia oração subordinada adverbial condicional — “caso não concorde com essas condições, não assine este contrato”).

 

Por Warley Souza
Professor de Gramática 

Escritor do artigo
Escrito por: Warley Souza Professor de Português e Literatura, com licenciatura e mestrado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Senão ou se não?"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/senao-ou-se-nao.htm. Acesso em 21 de julho de 2024.

De estudante para estudante


Videoaulas


Artigos Relacionados


A ou há?

Entenda quando utilizar “a” e quando utilizar “há”. Aprenda a identificar seus usos e a não cometer erros muito comuns.
Gramática

Agente, a gente ou há gente?

Neste artigo você vai sanar suas dúvidas a respeito das diferenças entre as expressões homófonas: a gente, agente e há gente. Vamos lá?
Gramática

Ao encontro de ou de encontro a?

Isso vai ao encontro ou de encontro aos meus interesses? Depende!
Gramática

De repente ou derrepente: qual o correto?

Clique aqui e saiba qual a maneira correta de se escrever.
Gramática

Dedetizar ou detetizar?

Dedetizar ou detetizar? Acabe de vez com essa dúvida e entenda por que esse tipo de desvio ortográfico é tão comum.
Gramática

Dentre ou entre?

Aprenda quando usar “dentre” e “entre”. Veja exemplos de frases com essas preposições e conheça casos em que o uso das duas formas é opcional.
Gramática

Mecher ou mexer?

Descubra a grafia que se deve utilizar: “mexer” ou “mecher”. Veja também como se dá o uso desse verbo e aprenda a fazer sua conjugação adequadamente.
Gramática

Prevenir ou previnir?

Prevenir ou previnir? Leia este artigo e tire suas dúvidas a respeito da ortografia desse verbo. Vamos lá?
Gramática

Que ou quê?

Entenda a diferença entre “que” e “quê”. Saiba quando usar “que” sem acento e quando a palavra “quê” deve ser acentuada. Faça alguns exercícios.
Gramática

Quis ou quiz?

Já teve dúvidas sobre a grafia de “quis” e de “quiz”? Aprenda a diferença entre essas duas palavras, e descubra quando usar cada uma delas com os exemplos listados.
Gramática