Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Para, pra e para com

A preposição “para” é a forma padrão, mas outra forma é utilizada na linguagem coloquial: “pra”. Além disso, há a locução prepositiva “para com”, usada em certos contextos.

É importante saber quais os contextos mais adequados para utilizar os termos “para”, “pra” e “para com”.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A preposição “para” apresenta muitas variações em sua forma, gerando algumas dúvidas nos falantes da língua portuguesa. Afinal, quando é adequado usar “para”, “pra” e “para com”?

Tópicos deste artigo

Quando usar “para”?

A forma padrão da preposição “para” pode ser utilizada em qualquer contexto! Essa forma é aceita tanto em situações formais quanto informais, na escrita ou na oralidade, por isso, é a mais segura para ser utilizada.

É a forma presente em textos que exigem o uso da norma-padrão, como textos jornalísticos, acadêmicos, comunicações oficiais, entre outros. Também é recomendada na linguagem oral em contextos formais, como discursos oficiais, institucionais ou cerimoniais, e discurso jornalístico.

  • Foi uma honra ir para sua cerimônia de posse.

  • Elas discursaram para um grande público.

  • Tivemos que separar vários doces para as crianças.

Pode, ainda, ser usada em contextos informais, como em conversas familiares, diálogos coloquiais, textos em mídias sociais. No entanto, seu uso tem sido menos frequente nesses contextos do que o da variante “pra”.

  • Diga para ela que eu adorei o presente!

  • Fui para a Bahia mês passado, te contei?

  • A gente precisa de uma data para o casamento.

Leia também: 5 erros gramaticais que ninguém poderia cometer

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quando usar “pra”?

A forma “pra” é a contração da forma padrão “para”. Caso haja um artigo após essa preposição, ele será contraído com a própria preposição:

para → pra

para a → pra

para o → pro

É muito usada em contextos informais de escrita e, sobretudo, de oralidade, tendo estado cada vez mais presente no cotidiano. Por isso, além de ser uma forma muito utilizada na linguagem oral coloquial, também é muito usada em escritas informais, como posts em redes sociais ou mensagens instantâneas. É adotada, ainda, em discursos publicitários, que exploram a função conativa para se aproximar do receptor.

  • Diga pra ela que eu adorei o presente!

  • Fui pra Bahia mês passado, te contei?

  • A gente precisa de uma data pro casamento.

  • Temos muitas promoções pra você!

Quando usar “para com”?

A expressão “para com” é uma locução prepositiva usada em regências específicas, significando simplesmente “com” ou “em relação a”. Seu uso costuma ser restrito a contextos de extrema formalidade, não sendo uma expressão muito comum no dia a dia, já que informalmente costuma-se optar apenas pelo uso da preposição “com” no lugar de “para com”. Observe o uso nos exemplos a seguir:

  • Ele tem muito respeito para com os mais velhos.

  • Ela foi muito severa para com seus superiores.

  • Não tenho mágoas para com Vossa Excelência.

Veja também: Mecher ou mexer?

Exercícios resolvidos

Questão 1 - Em que contexto o uso da forma “pra” não é adequado?

A) Em uma mensagem instantânea para um amigo.

B) Em uma chamada publicitária com forte linguagem apelativa.

C) Em uma conversa coloquial com a família.

D) Em um texto escolar ou acadêmico.

E) Em uma postagem na sua rede social preferida.

Resolução

Alternativa D. Em textos escolares ou acadêmicos, espera-se o uso da norma-padrão e, portanto, da forma “para”.

Questão 2 - Leia o enunciado a seguir:

Mãe, eu trouxe um presente _____ você.

Assinale a alternativa que não apresenta uma forma que preenche corretamente a lacuna.

A) para

B) pra

C) para com

D) Todas as formas anteriores preenchem corretamente a lacuna.

E) Nenhuma forma anterior preenche corretamente a lacuna.

Resolução

Alternativa C. A locução prepositiva “para com” não cabe no contexto apresentado no enunciado.

 

Por Guilherme Viana
Professor de Português

Escritor do artigo
Escrito por: Guilherme Viana Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "Para, pra e para com"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/para-pra-para-com.htm. Acesso em 29 de maio de 2024.

De estudante para estudante


Artigos Relacionados


Agente, a gente ou há gente?

Neste artigo você vai sanar suas dúvidas a respeito das diferenças entre as expressões homófonas: a gente, agente e há gente. Vamos lá?
Gramática

Dedetizar ou detetizar?

Dedetizar ou detetizar? Acabe de vez com essa dúvida e entenda por que esse tipo de desvio ortográfico é tão comum.
Gramática

Dicas da língua: pressupostos ortográficos

Nada melhor que usufruir de algumas dicas da língua, mesmo porque pressupostos ortográficos são alvo de questionamentos. Clique e confira acerca de algumas delas!
Gramática

Dicas ortográficas

Dicas ortográficas são recursos acessíveis ao usuário no sentido de aperfeiçoar cada vez mais a competência linguística, sobretudo na escrita.
Gramática

Discutindo algumas estratégias referentes à ortografia

Constate acerca de alguns pressupostos que lhe serão bastante úteis!
Gramática

Emprego das letras G e J

Veja algumas dicas para entender quando usar a letra G ou J antes das vogais E e I. Leia algumas palavras escritas com G e com J. Resolva os exercícios propostos.
Gramática

Escolhas lexicais: uma relação entre ortografia e semântica

As escolhas lexicais que fazemos mantêm uma estreita relação entre ortografia e semântica. Clique, analise e entenda tal pressuposto!
Gramática

Prevenir ou previnir?

Prevenir ou previnir? Leia este artigo e tire suas dúvidas a respeito da ortografia desse verbo. Vamos lá?
Gramática

Que ou quê?

Entenda a diferença entre “que” e “quê”. Saiba quando usar “que” sem acento e quando a palavra “quê” deve ser acentuada. Faça alguns exercícios.
Gramática