Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Esse ou este?

Os pronomes demonstrativos “esse” e “este” são usados de acordo com a posição do referente em relação à pessoa do discurso, ou seja, se mais afastado ou mais próximo.

Duas árvores indicadas por flexões dos pronomes este e esse.
“Este” e “esse” indicam proximidade ou distância de um termo sobre o qual se fala. Flexionam em gênero e número.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Esse ou este? Os pronomes demonstrativos “este” e “esse” são usados em contextos relativamente diferentes, mas isso pode causar confusão em alguns falantes de português.

Leia também: Desse ou deste — quando usar?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre “esse” ou “este”

  • Os pronomes demonstrativos “este” e “esse” indicam a posição de um termo em relação à pessoa do discurso, podendo se tratar de proximidade ou distância no espaço, no tempo ou no texto.

  • O pronome “este” é usado para indicar referentes que estão próximos da 1ª pessoa do discurso (quem fala).

  • O pronome “esse” é usado para indicar referentes menos próximos da 1ª pessoa, às vezes mais próximos da 2ª pessoa do discurso (para quem se fala).

  • Há, ainda, o pronome “aquele”, usado para indicar referentes muito distantes no tempo ou no espaço, tanto da 1ª pessoa quanto da 2ª pessoa.

Videoaula sobre “esse” ou “este”

Qual a diferença entre “esse” e “este”?

Os dois pronomes demonstrativos são usados para indicar a posição de um termo referente em relação às pessoas do discurso, ou seja, para indicar qual a proximidade ou a distância de um termo sobre o qual se fala. Veja:

Esse tênis fica lindo em você!”

No enunciado acima, o uso do pronome demonstrativo “esse” indica que o referente “tênis” não está tão próximo de quem emite o discurso (a 1ª pessoa), mas sim da pessoa com quem se fala (a 2ª pessoa).

Atenção! Vale ressaltar que, no Brasil, o pronome demonstrativo “este” está caindo em desuso, já que os falantes só o utilizam em contextos de linguagem formal e escrita. No geral, os falantes de português no Brasil tendem a usar “esse” para ambas as situações. No entanto, a norma-padrão do idioma ainda orienta o uso de “este” para os casos específicos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quando usar “este”?

O pronome “este” é usado para indicar muita proximidade, geralmente da 1ª pessoa do discurso, a que emite o enunciado. É um pronome variável, podendo flexionar de acordo com o gênero (masculino ou feminino, como “este” e “esta”) e o número (singular ou plural, como “este”/“esta” e “estes”/“estas”) do termo referente.

  • No espaço

Quando se refere ao espaço, o pronome “este” indica que o referente está mais próximo da 1ª pessoa do discurso. Veja nos exemplos a seguir:

Este vestido está muito apertado, eu mal consigo respirar!”

Estas são as minhas anotações da aula. Você me devolve depois?”

“Não tenho nada além destas moedas para ajudar com o projeto.”

  • No tempo

Quando se refere ao tempo, o pronome “este” indica que o referente ocorre no tempo presente do discurso. Veja nos exemplos a seguir:

Este dia ficará marcado para sempre em nossas memórias.”

“Mas esta hora parece estar se arrastando...”

“Eu estava pensando em você neste instante!”

  • No texto

Quando se refere à posição textual, o termo “este” indica que o referente é o termo mais próximo no discurso. Veja nos exemplos a seguir:

“Eu era estudioso, mas ela era inteligente. Esta era sua maior qualidade.”

“Entre os salgadinhos e as balas, ele preferiu estas por serem mais saborosas.”

“Sendo estas as novidades, eu fico mais tranquilo.”

“Havia um caderno roxo e outro lilás. Este era meu, enquanto aquele era do Arnaldo.”

Veja também: Uso correto de “dentre” e “entre”

Quando usar “esse”?

Já o pronome “esse” é usado para indicar menos proximidade da 1ª pessoa do discurso; em muitos casos, pode indicar, inclusive, maior proximidade da 2ª pessoa do discurso, aquela para quem o enunciado é direcionado. Também se trata de um pronome variável, flexionando de acordo com o gênero (masculino ou feminino, como “esse” e “essa”) e o número (singular ou plural, como “esse”/“essa” e “esses”/“essas”) do termo referente.

  • No espaço

Quando se refere ao espaço, o pronome “esse” indica que o referente está menos próximo da 1ª pessoa do discurso, e mais próximo da 2ª pessoa do discurso. Veja nos exemplos a seguir:

Esse vestido parece meio apertado em você...”

Essas anotações da aula vão me ajudar muito! Você pode me emprestar?”

“Você não tem nada além dessas moedas para ajudar com o projeto?”

  • No tempo

Quando se refere ao tempo, o pronome “esse” indica que o referente ocorre em tempo mais distante do tempo presente do discurso, podendo se tratar de passado ou de futuro. Em todo caso, não é um tempo tão distante do tempo presente. Veja nos exemplos a seguir:

Esse dia ficou marcado para sempre em nossas memórias.”

“Mas nessa hora eu já tinha desembarcado.”

“Ele deverá entrar em contato nessa semana que virá.”

  • No texto

Quando se refere à posição textual, o termo “esse” indica que o referente é o termo menos próximo no discurso. Veja o uso de “esse” nos exemplos a seguir:

“Se não houvesse viagens no decorrer deste ano, essas seriam feitas no ano seguinte.”

“Não tive muitas vitórias na vida. Porém, me orgulho dessas poucas que tive, por terem sido difíceis.”

“Aguardei algum contato, que nunca veio. Mas esse continuou sendo minha espera e meu anseio.”

Outros exemplos de pronomes demonstrativos

Além de “este” e “esse”, há um terceiro pronome demonstrativo usado para se referir a uma maior distância espacial, temporal ou textual: “aquele”. O pronome demonstrativo “aquele” indica que o referente não está próximo nem da 1ª, nem da 2ª pessoa do discurso, sendo, portanto, o mais distante possível.

Aquele tempo ficou para trás...”

“Você pode buscar aquela caneca para mim, por favor?”

“O boticário, hoje, é mais conhecido como farmacêutico. Se este é um termo atual, aquele é um termo antigo que caiu em desuso.”

Além desses pronomes demonstrativos, há ainda as formas invariáveis: isto, isso e aquilo.

Saiba mais: Ocorrência da crase nos pronomes aquele, aquela e aquilo

Exercícios resolvidos sobre “esse” ou “este”

Questão 1

(Vunesp)

Texto para a questão.

O empobrecimento da nossa sociedade provocou uma diminuição crônica dos investimentos em educação em nosso país e, por causa disso, houve nítida piora da qualidade do ensino público. Essa queda se acentuou nos últimos 30 anos, e a educação pré-universitária foi, com certeza, a mais prejudicada.

É consenso que o acesso ao conhecimento é fator fundamental para inclusão e transformação social. Assim, mais do que nunca, todos os brasileiros devem ter acesso à educação, desde a mais tenra idade até a profissionalização, seja esta de que nível for.

No caso brasileiro, contudo, é preciso ir além desse consenso. Tendo em vista os graves problemas sociais que vivenciamos atualmente, não basta apenas educar até o estágio profissionalizante. É necessário discutir que tipo de profissionalização devemos promover. São tantas as carências, que a formação profissionalizante deve ir além da capacitação técnica.

(Marcos Boulos, Folha de S.Paulo, 21.08.2006)

Em — ... seja esta de que nível for. — o pronome esta refere-se a

A) transformação

B) educação.

C) tenra idade.

D) inclusão.

E) profissionalização.

Resposta

Alternativa E. O termo “profissionalização”, sendo o mais próximo, é o referente do pronome demonstrativo “esta”.

Questão 2

(Vunesp)

Texto para a questão.

Diamantes no deserto

Vales marcados pela intensa aridez parecem ter se tornado ambientes ideais para o florescimento de frutos típicos do século XXI: os produtos tecnológicos. O maior centro de inovação do planeta se encontra em uma região seca da Califórnia. Todos os anos, o Vale do Silício concentra 50 bilhões de dólares de investimentos de alto risco, usualmente destinados a startups — quase metade do montante movimentado dentro dos Estados Unidos —, além de 15% da produção de patentes desse país.

A mais de 10.000 quilômetros de distância de lá, no Oriente Médio, o Deserto de Nevegue, em Israel, vê crescer, sobre seu solo abrasador, um complexo industrial que põe o território em disputa direta com a cidade chinesa de Shenzhen pelo posto de maior polo de inovação do mundo. No oásis tecnológico proliferam companhias de ponta, que se espalham ainda pela costa litorânea, nos arredores de Tel-Aviv, fazendo dessa pequeníssima nação, com menos de 10% da área do estado de São Paulo e população pouco maior que a da cidade do Rio de Janeiro, um sinônimo de progresso.

Como Israel transformou um deserto árido em centro de inovação mundial? Responde Ran Natanzon, especialista em vender tal faceta do país: “Trata-se de uma combinação dos seguintes fatores, todos igualmente essenciais: somos uma nação altamente militarizada; mantemos a indústria em ligação com as pesquisas acadêmicas; o governo atua para fomentar o setor; há operação ativa de fundos de investimentos e multinacionais; e existe uma proliferação de startups”.

Todo israelense, homem ou mulher, é obrigado a servir no exército ao completar 18 anos. O que não quer dizer, no entanto, que o contingente completo vá para a linha de frente. Há, por exemplo, uma unidade, a 8.200, integrante do Corpo de Inteligência das Forças de Defesa, cujos membros se dedicam a decifrar códigos de computador. “Essa tropa fornece veteranos hábeis em trabalhar com segurança de dados digitais e em outras áreas do mercado da tecnologia”, explicou o engenheiro israelense Lavy Shtokhamer, que chefia uma divisão que mescla agentes ligados ao governo e representantes de empresas parceiras, como a IBM, em ações contra ataques de hackers que têm como alvo Israel ou, como vem sendo mais frequente, sistemas de companhias privadas.

(Filipe Vilicic. Veja, 12.02.2020. Adaptado)

Assinale a alternativa com os pronomes demonstrativos que retomam as expressões destacadas, dando sequência à passagem — ... o Deserto de Nevegue, em Israel, vê crescer, sobre seu solo abrasador, um complexo industrial que põe o território em disputa direta com a cidade chinesa de Shenzhen pelo posto de maior polo de inovação do mundo.

A) Essa se destaca mundialmente; este se desenvolve a cada dia.

B) Aquela se destaca mundialmente; aquele se desenvolve a cada dia.

C) Esta se destaca mundialmente; aquele se desenvolve a cada dia.

D) Essa se destaca mundialmente; esse se desenvolve a cada dia.

E) Esta se destaca mundialmente; este se desenvolve a cada dia.

Resposta

Alternativa C. Pelo contexto, a que se destaca mundialmente é o referente mais próximo no texto, portanto, “esta”; já o que se desenvolve a cada dia é o referente mais distante no texto, nesse caso melhor referido por “aquele”.

Fontes

AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Parábola, 2021.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 38ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2020.

CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. 7ª ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2016.

Escritor do artigo
Escrito por: Guilherme Viana Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "Esse ou este?"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/esse-ou-este.htm. Acesso em 29 de maio de 2024.

De estudante para estudante


Videoaulas