Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Objeto direto

O objeto direto, termo integrante em uma oração, pode ser um substantivo ou um pronome. Ele exerce a função de complemento verbal. É unido ao verbo sem o uso de preposição.

O objeto direto atua como complemento da ação verbal.
O objeto direto atua como complemento da ação verbal.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Objeto direto é um termo integrante da oração e atua como complemento de um verbo transitivo. Assim, é unido a ele de maneira direta (sem preposição). Podem exercer esse papel o substantivo ou um vocábulo substantivado, os pronomes oblíquos e o pronome substantivo. Além disso, existem outros tipos de objeto direto: preposicionado, pleonástico e interno.

Leia também: Predicativo do objeto — expressa uma qualidade, um estado ou uma condição do complemento verbal

Tópicos deste artigo

Resumo sobre objeto direto

  • O objeto direto exerce a função de complemento de um verbo transitivo direto ou de um verbo transitivo direto e indireto.

  • Ele está conectado ao verbo de forma direta, isto é, sem qualquer preposição.

  • Exercem o papel de objeto direto: substantivo ou palavra substantivada, pronomes oblíquos e pronome substantivo.

  • Outros tipos de objeto direto: preposicionado, pleonástico e interno.

  • O objeto indireto também atua como complemento de um verbo transitivo, no entanto, está ligado a ele de forma indireta, ou seja, com uma preposição.

O que é objeto direto?

O objeto direto é o complemento de um verbo transitivo. Ele é ligado a esse verbo de forma direta, ou seja, sem preposição. Assim, completa o sentido de verbos transitivos diretos e indiretos.

Veja este exemplo:

Peguei o pacote de biscoitos.

O verbo da oração é “peguei”. Então, vamos fazer a seguinte pergunta: Peguei O QUÊ? A resposta é o objeto direto: “o pacote de biscoitos”. Note que entre o verbo transitivo e seu complemento não há uma preposição.

Agora, vamos analisar este enunciado:

Deu presente aos filhos.

O verbo transitivo direto e indireto é “deu”. Isso porque quem dá, dá alguma coisa a alguém. Dá O QUÊ? Presente. A QUEM? Aos filhos. Assim, temos um objeto direto (“presente”) e um objeto indireto (“aos filhos”).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Representações do objeto direto

  • Substantivo ou palavra substantivada

A menina chuta a bola.

Encontramos o belo nas coisas simples.

  • Pronomes oblíquos “me”, “te”, “se”, “a”, “o”, “nos”, “vos”, “as”, “os”

Ele me ama muito!

Luísa chamou-te muitas vezes.

Clóvis mirou-se no espelho.

Vejo-a mais tarde.

Conheceu-o no ano passado.

Ele nos ama muito!

Luísa chamou-vos muitas vezes.

Vejo-as mais tarde.

Conheceu-os no ano passado.

  • Pronome substantivo

Não tinha ninguém ao seu lado?

O livro que eu li é genial!

Achei isso muito bom!

Confira no nosso podcast: Regência dos verbos assistir, trazer, agradar e prever

Tipos de objeto direto

Homem fazendo o número com a mão e sentado em frente a notebook
Existem mais três tipos de objeto direto.
  • Objeto direto preposicionado

Em alguns casos especiais, o objeto direto vem antecedido de preposição:

Os fiéis amam a Cristo.

Observou a ambos durante algum tempo.

Ele é o amigo a quem você busca?

Ouviu a mim, não a esposa.

Convidei a todos para a festa de sábado.

Usar de violência.

  • Objeto direto pleonástico

É a repetição enfática do objeto direto em uma mesma oração:

O medo já não o tenho.

  • Objeto direto interno

Possui o mesmo radical do verbo transitivo direto ou apresenta sentido paralelo:

Riu um riso encantador.

Dormiu um sono profundo.

Chorou lágrimas de crocodilo.

Leia também: Complemento nominal — outro termo integrante da oração

Frases com objeto direto

Maria sufocou a raiva em seu coração.

Ele vendeu a casa de seus pais.

Olha-o e não o .

Admiramos pessoas de caráter.

Não posso deixá-lo, pois o amo muito.

Bebo água de coco todos os dias.

Luciano esperou-me durante 15 anos.

Hélio ajudou o irmão mais uma vez.

Dina entendeu a atitude da amiga.

Objeto direto e objeto indireto

O objeto indireto, assim como o direto, exerce a função de complemento do verbo transitivo. No entanto, ele é ligado a esse verbo de forma indireta, isto é, com o uso de uma preposição:

A criança perdoou ao seu pai.

Não se trata de obrigação, mas de responsabilidade.

Não se esqueça dos dias felizes.

Eu só obedeço à minha consciência.

  • Videoaula sobre objeto direto e indireto

Exercícios resolvidos sobre objeto direto

Questão 1

(Enem)

Tirinha “As cobras”, de Luís Fernando Veríssimo

VERÍSSIMO, L. F. As cobras em: Se Deus existe que eu seja atingido por um raio. Porto Alegre: L&PM, 1997.

O humor da tira decorre da reação de uma das cobras com relação ao uso de pronome pessoal reto, em vez de pronome oblíquo. De acordo com a norma-padrão da língua, esse uso é inadequado, pois

a) contraria o uso previsto para o registro oral da língua.

b) contraria a marcação das funções sintáticas de sujeito e objeto.

c) gera inadequação na concordância com o verbo.

d) gera ambiguidade na leitura do texto.

e) apresenta dupla marcação de sujeito.

Resolução:

Alternativa B

No segundo quadro, a frase “Vamos arrasar eles” não está de acordo com a norma-padrão da língua, pois “eles” está sendo usado como objeto direto. O pronome pessoal reto não pode atuar como objeto, mas apenas como sujeito. Portanto, o correto, segundo a norma culta, seria utilizar o pronome oblíquo: “Vamos arrasá-los”.

Questão 2

(Unimontes)

Triângulo da alegria

Ruy Castro

Na condição de passageiro profissional — nunca dirigi um carro —, sempre vi com simpatia a categoria dos taxistas. O fato de não saber onde fica a rebimboca da parafuseta não me impede de apreciar o drama desses homens que passam 12 horas por dia amarrados a uma poltrona, enfrentando engarrafamento, calor, barulho, fumaça, ônibus, caminhões, grosserias, o irritante bibi das motos e, mesmo assim, principalmente em São Paulo, não gostam de ligar o ar-condicionado.

Pela vida, sentado no banco de trás ou do carona, a quantidade de motoristas que conheci deve ter superado em número os elencos de Balzac e Zola em seus romances e, em figuras da psicologia, todos os desvios e transtornos do catálogo.

Já viajei com motoristas neuróticos, estressados, depressivos, hipocondríacos, bipolares, dementes, delirantes, amnésicos, fóbicos, obsessivos, compulsivos, sonados, insones, bulímicos, anoréxicos, hiperativos e sujeitos a tiques.

Você dirá que, em 30 minutos de corrida, é impossível diagnosticar o problema do taxista. Também acho. Na verdade, o que me interessa neles não é a doença, mas o que fazem com ela. Cada qual tem seu estilo de vencer a exasperação.

Meu favorito é um motorista do ponto de táxis do hotel em que me hospedo há mais de dez anos em São Paulo. Chama-se Fernando, tem uns 60 anos, cabelos brancos e parece mal-humorado. Mas não é.

Quando o trânsito para naqueles infernais nós, ele tira do porta-luvas um triângulo. Um triângulo metálico, prateado, e um bastão idem — instrumento vital na cozinha rítmica dos baiões, xaxados, cocos e outros ritmos do Nordeste de onde, um dia, ele saiu.

Fernando põe para tocar um CD de Luiz Gonzaga. Segura o triângulo com a mão esquerda, o bastão com a direita e, por alguns minutos, com a maior competência e alegria, torna melhor a vida dele e a minha.

Folha de São Paulo, 2 de abril de 2011, Caderno Opinião.

O substantivo “Fernando”, em “Chama-se Fernando” exerce, nessa oração, a função sintática de

a) sujeito.

b) objeto direto.

c) predicativo.

d) agente da passiva.

Resolução:

Alternativa C

O substantivo “Fernando”, em “Chama-se Fernando”, à primeira vista, pode se confundir com um objeto direto. No entanto, aos fazermos uma análise mais cuidadosa, percebemos que tal substantivo é um predicativo do sujeito, já que qualifica o sujeito “ele”, ou seja, Ele chama-se Fernando.

Questão 3

Analise as frases a seguir e marque a alternativa que apresenta um objeto direto.

a) Tratava-se de coisa muito complicada.

b) Apenas obedeçam às minhas ordens.

c) Assistimos ao filme emocionados.

d) Não lhe nego coisa alguma.

e) Todos pareciam contentes.

Resolução:

Alternativa D

Nas frases, temos estes objetos indiretos: “de coisa muito complicada”, “às minhas ordens”, “ao filme” e “lhe” (em “lhe nego”). Já em “Todos pareciam contentes”, temos um verbo de ligação. Assim, o único objeto direto pode ser encontrado na oração “Não lhe nego coisa alguma”, em que “coisa alguma” é objeto direto do verbo “negar”.

 

Por Warley Souza
Professor de Português  

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Objeto direto"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/as-particularidades-objeto-direto.htm. Acesso em 12 de agosto de 2022.

De estudante para estudante


Qual a diferença entre os “porquês”?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Qual a diferença entre frase e oração?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Videoaulas


Lista de exercícios


Exercício 1

Marque a alternativa cujo objeto direto preposicionado é representado por um pronome oblíquo tônico:

a) Admiro a você e sua família.

b) Agradeceram ao carteiro toda a vizinhança.

c) Abra a boca para que eu possa ver.

d) Ela não dirige a palavra a mim.

e) Ele não gosta de você.

Exercício 2

(PUC-RJ) "O homem está imerso num mundo ao qual percebe". O termo em negrito é:

a) objeto direto preposicionado

b) objeto indireto

c) adjunto adverbial

d) agente da passiva

e) adjunto adnominal.

PUBLICIDADE

Estude agora


Tempos derivados do presente do indicativo

São derivados do tempo presente do indicativo o pretérito perfeito do indicativo, o presente do subjuntivo e o...

Transgênicos

Se tornou bastante comum a utilização de alimentos transgênicos em nossa alimentação. Alguns produtos são...