Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Adjunto adverbial

Gramática

Adjunto adverbial, termo acessório em uma oração, pode ser um advérbio, locução adverbial ou adjetivo com função adverbial. Indica circunstâncias como tempo, lugar etc.
O adjunto adverbial é um termo acessório em uma oração e expressa diversas circunstâncias.
O adjunto adverbial é um termo acessório em uma oração e expressa diversas circunstâncias.
PUBLICIDADE

Adjunto adverbial é um termo acessório e aponta várias circunstâncias relacionadas ao verbo ou a uma oração. Podem exercer esse papel os advérbios, as locuções adverbiais ou os adjetivos com função adverbial. Assim, o adjunto adverbial pode indicar tempo, modo, lugar etc. Diferencia-se do adjunto adnominal, que acompanha e caracteriza um substantivo.

Leia mais: O que são modalizadores discursivos?

Resumo sobre adjunto adverbial

  • O adjunto adverbial aponta circunstâncias relacionadas a um verbo ou a toda uma oração.

  • Ele pode indicar várias circunstâncias, como: tempo, lugar, intensidade, modo etc.

  • O adjunto adnominal acompanha, caracteriza, especifica ou quantifica o substantivo.

  • A locução adverbial é formada por duas ou mais palavras com valor de advérbio.

Videoaula sobre adjunto adverbial

O que é adjunto adverbial?

O adjunto adverbial é um termo acessório. Ele indica diversas circunstâncias associadas ao verbo ou a toda uma oração. Assim, podem exercer esse papel os advérbios, as locuções adverbiais ou os adjetivos com função adverbial:

Júlio vai chegar daqui a pouco.

Tudo ocorreu perfeitamente.

Sempre sonhei alto.

Ele também pode modificar o sentido de um adjetivo ou de um advérbio:

Cláudia está bastante generosa.

O automóvel foi muito devagar.

Nesses dois últimos casos, o adjunto “bastante” está relacionado ao adjetivo “generosa”, e “muito” se refere ao advérbio “devagar”.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Classificação do adjunto adverbial

O adjunto adverbial pode expressar, entre outras, as seguintes circunstâncias:

  • Tempo: Farei o trabalho amanhã.

  • Lugar: Ninguém pode ficar aqui.

  • Modo: Preciso comer rapidamente.

  • Intensidade: Esperei pouco por você.

  • Causa: Estava caindo de sono.

  • Companhia: More conosco.

  • Instrumento: Com um carro, vou a qualquer lugar.

  • Dúvida: Talvez consiga um emprego novo.

  • Finalidade: Estudei para a prova.

  • Meio: Foi de trem para o Espírito Santo.

  • Assunto: Foi Montaigne que escreveu um ensaio sobre a amizade?

  • Negação: Não permitirei que me humilhe!

  • Afirmação: Quero sim, tudo que eu conseguir comprar.

  • Acréscimo: Além do livro, comprei um leitor digital.

  • Concessão: Apesar de tudo, ainda gosto de você.

  • Condição: Sem amigos, não há festa.

  • Frequência: Sempre como batatas fritas.

  • Matéria: O barquinho era feito de papel.

  • Preço: Comprei por 200 reais.

  • Substituição: Assinou o bilhete pela mãe.

  • Conformidade: Segundo Étienne de la Boétie, a servidão pode ser voluntária.

  • Ordem: Chegou em primeiro lugar.

  • Quantidade: Tentei por duas vezes e desisti.

  • Reciprocidade: Há muito respeito entre você e ele.

Diferenças entre adjunto adverbial e adjunto adnominal

O adjunto adverbial é um advérbio ou locução adverbial que indica uma circunstância relacionada a um verbo ou a uma oração. Pode apontar um lugar, modo, tempo, finalidade, entre outras circunstâncias. Já o adjunto adnominal acompanha, qualifica, especifica ou quantifica o substantivo:

Meu coração de papel não resiste muito.

A sabedoria é rara.

Três porquinhos fugiam de um lobo.

A feia conduta do monarca envergonhou a nação.

Nesses exemplos, são destaques os substantivos: “coração”, “sabedoria”, “porquinhos”, “lobo”, “conduta” e “nação”. Eles são, respectivamente, acompanhados dos adjuntos adnominais: “meu”, “de papel”, “a”, “três”, “um”, “feia” e “do monarca”.

Saiba mais: Advérbios interrogativos — utilizados em interrogações diretas ou indiretas

Locuções adverbiais

Uma locução adverbial é formada por dois ou mais vocábulos com valor de advérbio. Como exemplo, temos:

  • às cegas;

  • a cavalo;

  • às claras;

  • a esmo;

  • à toa;

  • ao vivo;

  • às pressas;

  • pouco a pouco;

  • a pé;

  • a torto e a direito;

  • a fundo;

  • a uma;

  • a sério;

  • às escondidas;

  • sob medida;

  • à noite;

  • aos trancos e barrancos;

  • às vezes;

  • em domicílio;

  • ao acaso;

  • de repente;

  • de forma alguma;

  • de cor;

  • de improviso;

  • de propósito;

  • de soslaio;

  • de vez em quando;

  • em breve;

  • em vão;

  • em cima;

  • por fora;

  • por trás;

  • de perto;

  • sem dúvida;

  • com certeza;

  • por um triz;

  • passo a passo;

  • lado a lado;

  • de alto a baixo etc.

Exercícios resolvidos

Questão 01 (Unimontes)

Respeitável público

CARLOS HEITOR CONY

Mania recente obriga os oradores e comunicadores em geral a citar, no início de suas falas ou discursos, o indefectível “brasileiros e brasileiras”. Nas reuniões especializadas, a expressão muda para doutoras e doutores, acadêmicos e acadêmicas, professores e professoras, eleitores e eleitoras — e por aí vai.

Fez parte das conquistas atribuídas à campanha do feminismo mais desvairado. As mulheres querem ser citadas, e não englobadas genericamente no masculino tradicional. No cristianismo, durante séculos, elas não se sentiam rejeitadas. Nem quando Bach, por exemplo, deu a uma de suas peças mais famosas o nome de “Jesus, alegria dos homens”. Nem sobre a expressão aceita universalmente entre os católicos, “Jesus, salvador dos homens”, JHS para os íntimos.

Nos circos, com a sabedoria da tradição, prevalece a forma ambígua do “respeitável público”, que junta homens e mulheres no mesmo saco, sem distinção ou prioridade. Ninguém fica ofendido, ainda mais porque todos se consideram respeitáveis.

Não sei qual foi o político que por primeiro usou a expressão “brasileiros e brasileiras”. Cheira a Brizola, mas talvez tenha sido criada por Sarney, Collor ou Ulysses Guimarães. Hoje, todos usam a distinção de gênero, como se a humanidade fosse constituída de dois seres especiais e estanques, quando, na realidade, a própria palavra (humanidade) lembra a raiz comum de todos nós: a condição humana, e não a condição humana e feminina. Exceção notável: acabaram-se as poetisas, todos agora são poetas.

Nos shows, com plateia mais descomprometida, é tradicional o “senhoras e senhores”. Prefiro o elegante “respeitável público” dos circos, é o único lugar onde todos ficamos realmente iguais como quer a Constituição.

Folha de São Paulo — 13/4/2010

Em todas as alternativas, o termo sublinhado relaciona-se com o verbo da passagem e é um adjunto adverbial, EXCETO em

a) “Prefiro o elegante ‘respeitável público’ dos circos...”

b) “Nos shows [...], é tradicional o ‘senhoras e senhores’.”

c) “Hoje, todos usam a distinção de gênero...”

d) “Nem sobre a expressão aceita universalmente entre os católicos...”

Resolução:

Alternativa “a”

As expressões “nos shows”, “hoje” e “universalmente” são, respectivamente, adjuntos adverbiais de lugar, tempo e modo. Já “dos circos” é um adjunto adnominal relacionado ao “respeitável público”, que, escrito entre aspas, assume um caráter substantivo, de forma que é, inclusive, caracterizado pelo adjetivo “elegante”.

Questão 02

Analise as orações abaixo e marque a alternativa em que o trecho em destaque NÃO é um adjunto adverbial.

a) Meus irmãos chegaram de manhã e me levaram com eles.

b) Meu primo não acreditou que fomos de avião até Nova Iorque.

c) Pessoas de cristal são insuportáveis em sua fragilidade.

d) Eu suava de ansiedade duas horas antes de qualquer prova.

e) Minha amiga tem a mania de olhar todo mundo de soslaio.

Resolução:

Alternativa “c”

São adjuntos adverbiais: “de manhã” (tempo), “de avião” (meio), “de ansiedade” (causa) e “de soslaio” (modo). Já “de cristal” é um adjunto adnominal qualificador do substantivo “pessoas”.

 

Por Warley Souza
Professor de Português   

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Warley. "Adjunto adverbial"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/adjunto-adverbial-adjunto-adnominalpontos-divergentes.htm. Acesso em 30 de novembro de 2021.

Assista às nossas videoaulas
Artigos Relacionados
Entre o adjunto adnominal e o predicativo há diferenças, uma vez que este representa um termo essencial da oração e aquele um termo integrante dela. Conheça-os aqui!
Descubra o que é o adjunto adnominal. Saiba quais classes gramaticais podem exercer esse papel. Veja a diferença entre ele e o complemento nominal.
O infinitivo, substantivo, adjetivo, entre outras classes, podem atuar como predicativo do sujeito.
Aprenda o que é complemento nominal e qual é sua função na oração. Descubra como identificá-lo no enunciado, e entenda por que é diferente do adjunto adnominal.
Em termos linguísticos, o determinante é definido pelo termo que acompanha o substantivo. Clique, confira e amplie ainda mais sua competência linguística.
Saiba o que é o predicativo do objeto. Conheça a diferença entre predicativo do objeto e predicativo do sujeito. Faça exercícios para fixar o conteúdo.
Saiba o que é o predicativo do sujeito. Conheça a diferença entre predicativo do sujeito e predicativo do objeto. Faça exercícios para fixar o conteúdo.
Conheça os termos acessórios da oração e aprenda mais sobre sua função de modificar ou especificar outros elementos do enunciado.
Características do sujeito: Clique e conheça os tipos de sujeito que podem ser encontrados nas orações.