Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Recifes do Amazonas

Os recifes do Amazonas são um complexo sistema de recifes localizado na região da foz do Rio Amazonas e que serve de habitat para diversas espécies marinhas.

Mapa da América do Sul mostrando a região onde se encontram os recifes do Amazonas.
Região onde se encontram os recifes do Amazonas.[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Os recifes do Amazonas são um complexo sistema de recifes localizado na região da foz do Rio Amazonas e que serve de habitat para diversas espécies marinhas. Existem estudos desde a década de 1970 que evidenciam a existência desses recifes. Em 2014, um grupo de pesquisadores se dedicou ao estudo dessa região e espalhou novas informações, com artigo publicado em 2016, na revista Science Advances, sobre a conformação dos recifes, localizados na borda da plataforma continental, onde a foz do Rio Amazonas se encontra com o Oceano Atlântico.

Muito se especulou sobre a existência dos recifes nessa região, uma vez que as águas turvas do Rio Amazonas dificultam a passagem de luz, além de formar um assoalho lodoso, o que são condições supostamente inadequadas para a existência dos organismos que formam os recifes. As pesquisas hoje confirmam que existe, sim, um complexo sistema de recifes na região, o qual é chamado de Grande Sistema de Recifes do Amazonas (GARS, em inglês), formado por algas calcárias, esponjas, corais e algas verdes e que abriga diversas espécies de organismos da fauna marinha, como espécies de peixes (peixe-borboleta, jaguareçá, fura-vasos), lagostas, caranguejos, camarões e ouriços. 

Leia também: O que são os recifes de corais?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre os recifes do Amazonas

  • Os recifes do Amazonas são um complexo sistema de recifes localizado na região da foz do Rio Amazonas.
  • Eles formam o Grande Sistema de Recifes do Amazonas, conhecido como GARS, em inglês.
  • Os recifes do Amazonas são estruturas rígidas construídas por algas calcárias e outros organismos e que servem de abrigo para diversas espécies marinhas.
  • O Grande Sistema de Recifes do Amazonas se estende por uma área de aproximadamente 56.000 km² entre a fronteira do Brasil com a Guiana Francesa até o estado do Maranhão.
  • Os recifes do Amazonas se encontram em uma região potencialmente rica em petróleo e gás natural, e a exploração desses recursos é uma ameaça à integridade dos recifes.
  • O Grande Sistema de Recifes do Amazonas funciona como um corredor biológico entre o Mar do Caribe e o Atlântico Sul.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que são os recifes do Amazonas?

Os recifes do Amazonas são um complexo sistema de recifes localizado na região da foz do Rio Amazonas. Apesar de os recifes do Amazonas serem referidos por algumas fontes como corais da Amazônia, na realidade, eles são estruturas principalmente construídas por algas calcárias em ambientes mais profundos e com baixa ocorrência de corais, mas que ainda funcionam como um local extremamente importante para abrigar diversas espécies. É importante pensar que, apesar de não terem os corais como seus principais construtores, os recifes abrigam uma imensa biodiversidade, que deve ser protegida.

→ O que são recifes?

Os recifes são estruturas rígidas construídas por organismos vivos que depositam carbonato de cálcio. Eles servem de habitat para diversas espécies marinhas.

Os recifes mais conhecidos são os recifes de corais, que ocorrem em regiões rasas, onde recebem grande quantidade de luz solar, como os famosos recifes do Caribe. Os recifes de corais, como o próprio nome diz, são formados por colônias de corais, que são animais parentes das medusas. Porém, nem todos os recifes são formados por corais. É o caso dos recifes do Amazonas.

Muitos recifes brasileiros se desenvolvem em ambientes mais fundos e são construídos por algas calcárias e outros organismos que também depositam carbonato de cálcio, mas não precisam de tanta luz para sobreviver. Esses recifes podem até ter corais crescendo sobre eles, mas estes não são seus principais construtores.

Acesse também: Bentos — seres vivos que vivem em associação no fundo dos ambientes aquáticos

Localização dos recifes do Amazonas

O Grande Sistema de Recifes do Amazonas está localizado na região da foz do Rio Amazonas, onde as águas do rio desembocam no Oceano Atlântico.

Os primeiros estudos, realizados na região por volta da década de 1970, indicaram que a área ocupada pelos recifes se estendia por aproximadamente 9.500 km², distribuindo-se entre a fronteira do Brasil e a Guiana Francesa até o estado do Maranhão. 

Mapa, desenvolvido por Phillip Terry Graham, que mostra a localização do sistema de recifes do Amazonas.
Mapa que mostra a localização do sistema de recifes do Amazonas, desenvolvido por Phillip Terry Graham com base nos primeiros estudos publicados.[2]

Estudos mais recentes realizados por pesquisadores de diversas universidades brasileiras estimaram que a área ocupada pelo Grande Sistema de Recifes do Amazonas é muito maior do que o descrito anteriormente, chegando a ocupar 56.000 km², uma área do tamanho do estado da Paraíba. Os recifes se situam entre 70 e 220 metros de profundidade, a uma distância entre 150 e 200 km da costa brasileira.

Mapa mais recente indicando, em cinza, a potencial área ocupada pelo Grande Sistema de Recifes do Amazonas.
Dados mais recentes, publicados em 2018, revelam em cinza a potencial área ocupada pelo Grande Sistema de Recifes do Amazonas. [3]

Ameaça aos recifes do Amazonas

Os recifes do Amazonas ocorrem em uma região potencialmente rica em petróleo e gás natural. A exploração desses recursos por grandes empresas representa uma ameaça significativa ao meio ambiente por ser uma atividade suscetível a vazamentos de óleo e com capacidade de destruir a biodiversidade local.

Essa ameaça é intensificada por uma série de fake news e controvérsias que afirmam que os recifes do Amazonas não existem, e o que se encontraria na região seria um amontoado de rochas calcárias. Isso abre margem para uma série de discussões entre cientistas, ambientalistas, políticos e empresários sobre os impactos que essas atividades podem gerar para o meio ambiente e para as comunidades locais, revelando-se um verdadeiro conflito de interesses entre diferentes setores.

É fundamental que as questões ambientais sejam tratadas com seriedade e que as decisões relacionadas à exploração de recursos naturais considerem cuidadosamente a necessidade de se proteger esse ambiente único, objeto central desse debate, que está, sim, vivo e continua crescendo.

Importância dos recifes do Amazonas

O Grande Sistema de Recifes do Amazonas, assim como acontece com outros grandes recifes, não é um único recife contínuo, mas sim de uma grande rede de ambientes recifais, que se conectam formando o que os pesquisadores acreditam ser um corredor que conecta o Mar do Caribe com o Atlântico Sul. A maioria das espécies que vivem nessas duas regiões não consegue atravessar a pluma de sedimentos depositados pelo Rio Amazonas, porém algumas espécies vivem dos dois lados, e os cientistas sugerem que essas espécies conseguiram atravessar a pluma utilizando os recifes como corredor.

Um outro aspecto que torna os recifes do Amazonas tão importante é o fato de que não se acreditava ser possível a existência de um ecossistema como esse embaixo da água barrenta e turva da região. Isso faz dos recifes do Amazonas um ambiente extremamente complexo, formado por uma diversidade de hábitats, os quais abrigam as mais diferentes espécies de organismos, sendo considerado um dos mais importantes sistemas recifais do Atlântico Sul.

Créditos de imagem

[1] Uwe Dedering / Wikimedia Commons (Imagem editada: Foi inserido um retângulo vermelho para destacar a localização dos recifes do Amazonas.)

[2] Camilo Sanchez / Philip Terry Graham / Wikimedia Commons (reprodução)

[3] Francini-Filho RB / Asp NE / Siegle E / Hocevar J / Lowyck K / D'Avila N / Vasconcelos AA / Baitelo R / Rezende CE / Omachi CY / Thompson CC and Thompson FL / Wikimedia Commons (Imagem editada: Termos e expressões presentes em inglês na imagem foram traduzidos.)

Fontes

BANHA, Thomás NS et al. The Great Amazon Reef System: A fact. Frontiers in Marine Science, v. 9, p. 1088956, 2022.

ESCOBAR, H. Cientistas garantem: recifes da Amazônia existem, e estão vivos. Jornal da USP, 27 set. 2019. Disponível em: https://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-biologicas/cientistas-garantem-recifes-da-amazonia-existem-e-estao-vivos/.

FRANCINI-FILHO, Ronaldo B. et al. Perspectives on the Great Amazon Reef: extension, biodiversity, and threats. Frontiers in Marine Science, p. 142, 2018.

MAHIQUES, Michel Michaelovitch de et al. Insights on the evolution of the living Great Amazon Reef System, equatorial West Atlantic. Scientific Reports, v. 9, n. 1, p. 13699, 2019.

MOURA, Rodrigo L. et al. An extensive reef system at the Amazon River mouth. Science advances, v. 2, n. 4, p. e1501252, 2016.

STAM, G. Os intrigantes recifes da foz do Amazonas. Revista Pesquisa FAPESP, 14 mar. 2023. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/os-intrigantes-recifes-da-foz-do-amazonas/.

Escritor do artigo
Escrito por: Nicole Fernanda Sozza Formada em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo. Desde 2021 atua na elaboração e revisão de conteúdos didáticos de Ciências e Biologia. Atualmente se dedica ao estudo de edição e preparação de textos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOZZA, Nicole Fernanda. "Recifes do Amazonas"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/recifes-do-amazonas.htm. Acesso em 22 de julho de 2024.

De estudante para estudante