Topo
pesquisar

Oscar Niemeyer

Biografia

O carioca Oscar Niemeyer é o nome mais importante da arquitetura brasileira.
Oscar Niemeyer viveu quase 105 anos e projetou até o final de sua vida [Arquivo Público do Distrito Federal]
Oscar Niemeyer viveu quase 105 anos e projetou até o final de sua vida [Arquivo Público do Distrito Federal]
PUBLICIDADE

Ao pensar na Arquitetura, é quase impossível não se lembrar de Oscar Niemeyer (1907-2012) e sua importante contribuição para a História do Brasil e, em especial, para a capital Brasília. O arquiteto deixou um legado impressionante: realizou projetos icônicos em vários estados brasileiros e em outros países também.

Nascido em 15 de dezembro de 1907, no Rio de Janeiro, Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho estudou na Escola Nacional de Belas Artes da cidade de 1929 a 1934 e obteve o diploma de engenheiro arquiteto. No ano seguinte, iniciou sua vida profissional no escritório do arquiteto e urbanista Lúcio Costa, que realizou o projeto do Plano Piloto de Brasília. A Obra do Berço, no Rio de Janeiro, em 1937, foi o primeiro projeto de Niemeyer que foi construído.

O carioca também realizou diversas outras atividades, tais como gravuras e esculturas, como a do Monumento ao presidente Juscelino Kubitschek (JK) em Brasília e a mão no Memorial da América Latina em São Paulo. Além disso, ele editou revistas, como a Módulo, e escreveu 12 livros, como “A forma na Arquitetura” e “As curvas do tempo – memórias”.

O arquiteto faleceu aos 104 anos, no dia 5 de dezembro de 2012, no Rio de Janeiro. Segundo relatos, projetou até o final da vida.

Do prestígio ao exílio

Em 1956, Kubitschek convidou Oscar Niemeyer para projetar Brasília. O arquiteto também se tornou diretor do Departamento de Urbanismo e Arquitetura da Novacap, empresa responsável pela construção da futura capital, e organizador do concurso que escolheu o plano piloto da cidade.

Niemeyer foi nomeado coordenador da Escola de Arquitetura da Universidade de Brasília (UnB) em 1962. Três anos depois, ele se demitiu da instituição juntamente a mais 200 professores em protesto à política universitária instaurada com o governo militar. Membro do Partido Comunista Brasileiro desde 1945, o arquiteto foi impedido de trabalhar no Brasil e, em 1967, transferiu-se para Paris, onde projetou a sede do Partido Comunista Francês.

Durante o exílio, Niemeyer realizou projetos internacionais, tais como a sede da Editora Mondadori, na Itália, e a Universidade de Constantine, na Argélia. O seu escritório localizava-se nos Champs Elysées, em Paris. Ele voltou ao Brasil no início dos anos 80, com o fim da ditadura.

Estilo

Oscar Niemeyer gostava de trabalhar com formas arredondadas e, ao longo de sua trajetória, tornou-se dono de um estilo único que privilegiava as formas monumentais, simbólicas e esculturais. Em algumas ocasiões, ele manifestou que se inspirava na natureza e nas suas curvas para criar os seus projetos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Principais projetos brasileiros

Niemeyer é conhecido como o arquiteto mais importante do Brasil por ter deixado um legado admirável e ter sido o autor de projetos que se tornaram verdadeiros pontos turísticos. Em Brasília, por exemplo, destacam-se:

-Catedral de Brasília (1958)

-Congresso Nacional (1958)

-Memorial JK (1976)

-Museu de Arte Moderna de Brasília (1997)

-Palácio do Planalto (1958)

-Palácio da Alvorada (1957)

-Supremo Tribunal Federal (1958)

-Teatro Nacional (1958)

O Congresso Nacional foi projetado em 1958*
O Congresso Nacional foi projetado em 1958*

Na sua cidade natal, o arquiteto colocou seu nome na história ao realizar projetos do Centro de Convenções do Rio Centro (1997), Conjunto Lagoa Rodrigo de Freitas (1947), Fundação Getúlio Vargas (1955), Palco no Cristo Redentor (1991), Passarela do Samba – Sambódromo (1983), Teatro Municipal do Rio de Janeiro – anexo (1976) e Tribunal de Justiça (1985). Em Niterói, o Museu de Arte Contemporânea(1991) chama a atenção pelo formato inusitado.

Em São Paulo, destacam-se o Memorial da América Latina (1987), o Conjunto Ibirapuera (1951) e a urbanização do Parque Tietê (1986). Em Minas Gerais, Niemeyer foi convidado pelo então prefeito JK para desenhar o Conjunto da Pampulha (1940). Em Curitiba, o arquiteto projetou o Museu Oscar Niemeyer (2001), mais conhecido como Museu do Olho.

A Igreja da Pampulha é um dos cartões-postais de Belo Horizonte**
A Igreja da Pampulha é um dos cartões-postais de Belo Horizonte**

Projetos Internacionais

Niemeyer foi reconhecido internacionalmente por projetar obras em mais de 20 países. Entre elas, destacam-se:

- Organização das Nações Unidas, em Nova York (1947)

-Museu de Arte Moderna de Caracas, na Venezuela (1954)

- Conjunto de edifícios para o bairro Hansa, em Berlim (1954)

- Mesquita de Argel – Argélia (1968)

- Centro Cultural de Le Havre, na França (1972)

- Centro Niemeyer, na Espanha (2011)

O Centro Niemeyer, na Espanha, foi um dos últimos projetos concluídos de Oscar Niemeyer***
O Centro Niemeyer, na Espanha, foi um dos últimos projetos concluídos de Oscar Niemeyer***

Créditos das Imagens:

* Giancarlo Liguori / Shutterstock.com

** Ronaldo Almeida / Shutterstock.com

*** pedrosala / Shutterstock.com


Por Silvia Tancredi
Equipe Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

TANCREDI, Silvia. "Oscar Niemeyer"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/biografia/oscar-niemeyer.htm>. Acesso em 16 de novembro de 2018.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola