close
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Palácios do Brasil

Desde o Brasil Colônia, os palácios sempre foram marcas do governo. Alguns dos palácios do Brasil são o Palácio do Planalto e o Palácio da Alvorada.

Palácio do Itamaraty é a sede do Ministério das Relações Exteriores
Palácio do Itamaraty é a sede do Ministério das Relações Exteriores
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Um palácio sempre vai ser sinônimo de poder, seja aquisitivo, seja de governo. No Brasil, não é diferente. Desde os tempos coloniais, os governantes sempre edificaram grandes prédios para funcionarem como sedes do poder. A tradição passou pelo Imperialismo e chegou à República.

Tópicos deste artigo

Brasília

Projetada na década de 50, a capital federal do Brasil é uma cidade jovem, se comparada com as demais capitais brasileiras. Sede do Governo Federal e também do Distrito Federal, Brasília abriga instituições importantes da República, como o Congresso Nacional, formado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado.

Além disso, Brasília é a cidade onde estão localizados os principais palácios do Brasil: Palácio do Planalto, Palácio da Alvorada, Palácio do Jaburu e Granja do Torto. Todas as construções, apesar de funções diferentes, possuem singular importância.

Palácio do Planalto

O Palácio do Planalto é a sede do Poder Executivo do Brasil. O edifício está localizado na Praça dos Três Poderes, em Brasília, e foi idealizado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, como boa parte das construções da cidade. Ele foi uma das primeiras construções da cidade e é o edifício mais importante do Brasil.

Com quatro pavimentos, o palácio tem uma área de 36 mil metros quadrados e quatro anexos. No primeiro pavimento, estão os serviços de Recepção e Portaria e Comitê de Imprensa. O segundo andar é formado pelos salões Leste, Nobre, Oeste, Sala de Reuniões e pela Secretaria de Imprensa e Divulgação. Já no terceiro pavimento está o Gabinete da Presidência e de seus assessores mais diretos. No quarto e último andar funcionam a Casa Civil e o Gabinete de Segurança Institucional.

A frente do Palácio do Planalto conta com espelho d'água, rampa e parlatório
A frente do Palácio do Planalto conta com espelho d'água, rampa e parlatório | Crédito da imagem: R. M. Nunes (Shutterstock)

Na fachada principal do Palácio do Planalto há uma rampa que liga o prédio à rua, passando sobre um espelho d'água. Na cerimônia de posse dos últimos presidentes, o eleito subiu por essa rampa para receber a faixa presidencial do que estava deixando o cargo. Outro elemento usado na cerimônia de posse é o parlatório, localizado à direita da entrada principal do planalto, de onde o recém-empossado discursa logo após receber a faixa.

A sede do Executivo conta com traços horizontais, aliando curvas e retas em um efeito plástico moderno, características marcantes do arquiteto que projetou a cidade.

Palácio da Alvorada

Localizado em uma península que divide o Lago Paranoá em Lago Sul e Lago Norte, o Palácio da Alvorada foi o primeiro prédio construído em alvenaria na nova capital. Sua arquitetura reúne elementos modernos, como uma fachada de vidro e um espelho d'água que cria um espaço virtual infinito. No entanto, as colunas externas lembram redes estendidas em varandas e uma capela externa ao prédio remete às antigas casas de fazenda do Brasil Colônia.

O Palácio da Alvorada é a residência oficial do Presidente da República
O Palácio da Alvorada é a residência oficial do Presidente da República | Crédito da imagem: Palácio do Planalto

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O Palácio da Alvorada é a residência oficial do Presidente da República. Todavia, nem todos os presidentes escolhem morar no Palácio, como é o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que preferiu a Granja do Torto. Vale lembrar que o presidente só deixa o palácio no término do mandato. No caso da Presidente Dilma Rousseff, afastada em 2016, ela continuou residindo no Alvorada, mesmo não despachando no Palácio do Planalto.

Granja do Torto

É um dos prédios mantidos pela Presidência do Brasil para uso do chefe do executivo. Com características de uma casa de campo, a Granja do Torto está fora do Plano Piloto, na Fazenda do Riacho Torto, em Brasília. São 37 hectares com lago e córrego artificiais, piscina, campo de futebol, churrasqueira e mata nativa.

A Granja do Torto foi projeta como casa de lazer e descanso

A Granja do Torto foi projeta como casa de lazer e descanso | Crédito da imagem: Ichiro Guerra/PR 

Apesar de ser projetada como uma casa de descanso, a Granja do Torto já foi residência oficial do General João Figueiredo, além de Luiz Inácio Lula da Silva.

Palácio do Jaburu

Localizado entre os Palácios da Alvorada e do Planalto, o Jaburu foi construído às margens do Lago Paranoá 17 anos depois da inauguração de Brasília. Projetado para ser a residência oficial do Vice-presidente da República, o Palácio tem um projeto arquitetônico diferente dos demais prédios oficiais, pois se assemelha muito mais com as residências comuns.

Desde o governo de Ernesto Geisel, o Palácio do Jaburu é ocupado pelos vice-presidentes
Desde o governo de Ernesto Geisel, o Palácio do Jaburu é ocupado pelos vice-presidentes | Crédito da imagem: Ichiro Guerra/PR

Outros Palácios

Além dos palácios ligados diretamente à chefia do Executivo, o Brasil possui outros de grande importância para a República, como o Palácio do Itamaraty e o Palácio da Justiça, que estão localizado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e são sedes dos Ministérios das Relações Exteriores e da Justiça, respectivamente. Brasília conta ainda com o Palácio do Buriti, mas esse é sede do Governo Distrital e não está ligado à Presidência da República.

Como o Distrito Federal, os outros 26 estados também contam com uma sede de governo, que, em grande parte dos casos, são chamadas de Palácios. Confira a lista das sedes dos governos estaduais:

→ Acre - Palácio Rio Branco

→ Alagoas - Palácio República dos Palmares

→ Amapá - Palácio do Setentrião

→ Amazonas - Palácio do Rio Negro

→ Bahia - Palácio de Ondina

→ Ceará - Palácio da Abolição

→ Espírito Santo - Palácio Anchieta

→ Goiás - Palácio das Esmeraldas

→ Maranhão - Palácio dos Leões

→ Mato Grosso - Palácio Paiaguás

→ Mato Grosso do Sul - Governadoria

→ Minas Gerais - Cidade Administrativa

→ Pará - Palácio dos Despachos

→ Paraíba - Palácio da Redenção

→ Paraná - Palácio Iguaçu

→ Pernambuco - Palácio Campo das Princesas

→ Piauí - Palácio Karnak

→ Rio de Janeiro - Palácio Guanabara

→ Rio Grande do Norte - Centro Administrativo

→ Rio Grande do Sul - Palácio Piratini

→ Rondônia - Complexo Rio Madeira

→ Roraima - Palácio Senador Hélio Campos

→ Santa Catarina - Centro Administrativo

→ São Paulo - Palácio dos Bandeirantes

→ Sergipe - Palácio Governador João Alves Filho

→ Tocantins - Palácio Araguaia

Por Rafael Batista
Equipe Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

BATISTA, Rafael. "Palácios do Brasil"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/brasil2/palacios-brasil.htm. Acesso em 16 de maio de 2022.

Tire suas dúvidas


Estude agora


Continente Americano: aspectos gerais e divisão territorial

Assista à nossa aula sobre o continente americano e conheça os aspectos marcantes da geografia desse território....

Morfologia vegetal: semente

A semente é um embrião protegido e com um suprimento de nutrientes, é a garantia de que uma nova planta pode...