Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Candomblé

O candomblé é uma religião afro-brasileira que combina elementos das religiões africanas tradicionais com influências do catolicismo e do espiritismo.

Evento de reconhecimento do candomblé em Brasília, 2018, religião afro-brasileira que está presente no país desde o Brasil Colônia.
O candombe é uma religião afro-brasileira que está presente no país desde o Brasil Colônia. [1]
Crédito da Imagem: Commons
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

O candomblé é uma religião afro-brasileira que combina elementos das religiões africanas tradicionais com influências do catolicismo e do espiritismo, centrada no culto aos Orixás, que representam forças da natureza e aspectos da vida humana. Suas crenças incluem a veneração dos Orixás como intermediários entre o mundo espiritual e o material, a presença de um Orixá protetor para cada pessoa e a importância do Axé, a força vital que garante equilíbrio e harmonia. Os rituais são caracterizados por danças, músicas, cânticos, oferendas de alimentos e, ocasionalmente, sacrifícios de animais, realizados para invocar e agradar os Orixás. Dividido em nações como Ketu, Jeje e Angola, o candomblé segue tradições específicas das culturas africanas de onde se originaram, mas todas compartilham a essência do culto aos Orixás.

Leia também: Hinduísmo — uma das religiões mais antigas do mundo e uma das principais religiões da atualidade

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o candomblé

  • Candomblé é uma religião afro-brasileira que combina elementos das religiões africanas tradicionais com influências do catolicismo e do espiritismo.

  • As crenças do candomblé incluem a veneração dos Orixás como intermediários entre o mundo espiritual e o material, a presença de um Orixá protetor para cada pessoa, e a importância do Axé, a força vital que permeia todas as coisas e garante equilíbrio e harmonia.

  • Os rituais do candomblé são caracterizados por danças, músicas, cânticos, oferendas de alimentos e, ocasionalmente, sacrifícios de animais, realizados para invocar e agradar os Orixás, mantendo assim o equilíbrio do Axé.

  • Os Orixás são divindades que representam elementos da natureza e aspectos da vida, como Oxalá, Iemanjá, Xangô, Ogum e Oxum, cada um com suas próprias cores, símbolos e preferências.

  • O candomblé é dividido em nações, como Ketu, Jeje e Angola, cada uma seguindo tradições e rituais específicos das culturas africanas de onde se originaram, mas todas compartilhando a essência do culto aos Orixás e a conexão com as raízes africanas.

  • O candomblé originou-se na África Ocidental e foi trazido ao Brasil pelos africanos escravizados, que adaptaram suas crenças e rituais para sobreviver à repressão colonial, e ganhou visibilidade e aceitação após a abolição da escravidão, preservando suas tradições até hoje.

  • No Brasil, o candomblé se estabeleceu principalmente na Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo, com os terreiros de candomblé servindo como centros de culto e resistência cultural.

  • Embora candomblé e umbanda compartilhem influências africanas, o candomblé é mais rígido em suas práticas e tradições africanas, enquanto a umbanda é uma religião sincrética que incorpora elementos do espiritismo, catolicismo e tradições indígenas brasileiras, sendo mais flexível e integrativa.

  • O Dia Nacional das Tradições de Raízes de Matrizes Africanas e Nações do Candomblé é celebrado no dia 21 de março.

O que é candomblé?

Candomblé é uma religião afro-brasileira que mistura elementos das religiões tradicionais africanas com influências do catolicismo e do espiritismo. Originou-se na África Ocidental e foi trazido para o Brasil durante o período colonial, quando milhões de africanos foram trazidos como escravos. O candomblé é uma religião baseada no culto aos Orixás, que são deuses ou entidades divinas que representam forças da natureza e aspectos da vida humana. É uma religião de forte ligação com a natureza, em que cada Orixá está associado a elementos como água, fogo, terra e ar.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Crenças do candomblé

No candomblé, acredita-se que os Orixás são intermediários entre o mundo espiritual e o mundo material, e que eles podem influenciar a vida das pessoas de diversas maneiras. Cada pessoa tem um Orixá protetor, conhecido como "Orixá de cabeça", que guia e protege durante a vida.

Além disso, o candomblé acredita na existência de ancestrais venerados, que são espíritos de pessoas que já faleceram e que continuam a influenciar a vida dos vivos.

Outra crença central do candomblé é o Axé, que é uma força vital que permeia todas as coisas. O Axé pode ser transmitido através de rituais, objetos sagrados e cânticos, e é fundamental para o equilíbrio e harmonia na vida das pessoas. A manutenção do Axé é crucial, pois é ele que mantém a conexão entre os seres humanos, os Orixás e a natureza.

Rituais do candomblé

Pessoas dançando em um ritual do candomblé.
Dança em um ritual do candomblé.

Os rituais do candomblé são complexos e variam de acordo com a nação e a casa de culto. No entanto, alguns elementos são comuns a todos os rituais. A dança, a música e os cânticos são partes essenciais dos rituais, sendo utilizados para invocar os Orixás e criar um ambiente propício para a comunicação com o mundo espiritual. Os instrumentos musicais, como atabaques e agogôs, são utilizados para marcar o ritmo das danças e cânticos.

Esses rituais geralmente incluem oferendas de alimentos, bebidas, e objetos sagrados aos Orixás. Cada Orixá tem suas preferências específicas, e as oferendas são preparadas de acordo com essas preferências. Os rituais também podem incluir sacrifícios de animais, que são realizados de maneira respeitosa e cerimonial para fortalecer o Axé.

Iniciações são rituais importantes no candomblé. Durante a iniciação, o iniciado passa por um período de reclusão e aprendizado, quando é ensinado sobre seu Orixá de cabeça, os cânticos, danças e rituais da religião. A iniciação é considerada um renascimento espiritual e é marcada por uma série de rituais específicos que culminam com a apresentação do novo iniciado à comunidade.

Orixás e entidades do candomblé

Estátua de Iemanjá, uma das orixás mais conhecidas do candomblé.
Estátua de Iemanjá, uma das orixás mais conhecidas do candomblé.

Os Orixás são divindades que representam forças da natureza e aspectos da vida humana. Cada Orixá tem sua própria personalidade, símbolos, cores, comidas preferidas e rituais específicos. Alguns dos Orixás mais conhecidos são:

  • Oxalá: o Orixá da criação e da paz, associado ao branco e às pombas.

  • Iemanjá: a rainha do mar, associada às águas salgadas e à maternidade.

  • Xangô: o Orixá da justiça e dos raios, associado ao trovão e às pedras.

  • Ogum: o Orixá da guerra e do ferro, associado às armas e às batalhas.

  • Oxum: a deusa do amor e da fertilidade, associada às águas doces e ao ouro.

Importante: Além dos Orixás, o candomblé também cultua outras entidades espirituais, como os ancestrais venerados e os Exus, que são mensageiros entre os Orixás e os seres humanos. Os Exus são conhecidos por sua natureza dual, podendo tanto ajudar quanto causar dificuldades, dependendo do equilíbrio e do respeito demonstrado nos rituais.

Para saber mais sobre os orixás, clique aqui.

Nações do candomblé

O candomblé é dividido em diferentes nações, que são grupos que seguem tradições e rituais específicos baseados nas culturas de diferentes regiões da África. As principais nações do candomblé são:

  • Ketu: originária do grupo iorubá, é uma das nações mais difundidas no Brasil. Seus rituais são caracterizados pelo uso de cânticos em iorubá e a veneração dos Orixás.

  • Jeje: baseada nas tradições do povo ewe-fon, do atual Benim. Seus rituais são conhecidos pela invocação dos Voduns, que são entidades semelhantes aos Orixás.

  • Angola: baseada nas tradições dos povos bantu, principalmente de Angola e Congo. Seus rituais utilizam cânticos em línguas bantu e veneram os Inkices, que são equivalentes aos Orixás.

Cada nação tem suas particularidades, mas todas compartilham a essência do culto aos Orixás e a conexão com as raízes africanas.

Origem e história do candomblé

Ritual de candomblé.
Atualmente, o candomblé é uma das principais religiões do Brasil.

O candomblé tem suas origens na África Ocidental, de onde milhões de africanos foram trazidos ao Brasil como escravos entre os séculos XVI e XIX. Os escravos africanos trouxeram com eles suas crenças, rituais e tradições, que foram adaptados e misturados com elementos do catolicismo e do espiritismo no Brasil.

Durante o período colonial, o candomblé foi reprimido e praticado em segredo devido à perseguição religiosa e à tentativa de imposição do catolicismo pelos colonizadores portugueses. Os africanos escravizados mantinham suas práticas religiosas escondidas, muitas vezes disfarçando seus Orixás como santos católicos para evitar a perseguição.

Com o fim da escravidão no Brasil em 1888, o candomblé começou a ganhar mais visibilidade e aceitação, embora ainda enfrentasse discriminação. No século XX, a religião passou por um processo de revitalização e reconhecimento, com a criação de terreiros e a disseminação de conhecimento sobre suas práticas e crenças.

Candomblé no Brasil

No Brasil, o candomblé se estabeleceu principalmente nas regiões Nordeste e Sudeste, com destaque para os estados da Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. A Bahia, em particular, é considerada o berço do candomblé no Brasil, com Salvador sendo um importante centro cultural e religioso para a religião.

Os terreiros de candomblé, também conhecidos como casas de culto, são os locais onde os rituais são realizados e onde os praticantes se reúnem para celebrar os Orixás. Cada terreiro é liderado por um Babalorixá (pai de santo) ou uma Ialorixá (mãe de santo), que são responsáveis por conduzir os rituais e orientar os iniciados.

O candomblé desempenha um papel importante na preservação da cultura africana no Brasil, promovendo a valorização das raízes africanas e a resistência cultural contra a discriminação e o preconceito.

Diferenças entre candomblé e umbanda

Embora o candomblé e a umbanda compartilhem algumas semelhanças, como a influência das religiões africanas e a presença de espíritos e entidades, existem diferenças significativas entre as duas religiões:

  • Candomblé: é uma religião afro-brasileira que que combina elementos das religiões africanas tradicionais com influências do catolicismo e do espiritismo. Tem suas origens na África Ocidental e é conhecida por ser mais rígida em suas práticas e rituais, mantendo uma forte conexão com as tradições africanas. É uma religião baseada no culto aos Orixás, que são deuses ou entidades divinas que representam forças da natureza e aspectos da vida humana. Além dos Orixás, o candomblé também cultua outras entidades espirituais, como os ancestrais venerados e os Exus.

  • Umbanda: é uma religião afro-brasileira sincrética que combina elementos do candomblé, do espiritismo, do catolicismo e das tradições indígenas brasileiras. Foi fundada no início do século XX no Rio de Janeiro e é conhecida por sua flexibilidade e adaptabilidade, incorporando elementos de diversas tradições religiosas. A umbanda é mais aberta à integração de diferentes influências. Na umbanda, além dos Orixás, há a presença de outras entidades espirituais, como os Caboclos (espíritos de índios) e os Pretos Velhos (espíritos de antigos escravos), que são venerados e consultados em sessões de incorporação.

Para saber mais detalhes sobre a diferença entre candomblé e umbanda, clique aqui.

Dia Nacional do Candomblé

Em 2023, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei 14.519/2023, que criou o Dia Nacional das Tradições de Raízes de Matrizes Africanas e Nações do Candomblé, celebrado no dia 21 de março.

Curiosidades sobre o candomblé

  • Calendário litúrgico: o candomblé possui um calendário litúrgico com festas e celebrações específicas para cada Orixá. As festas são ocasiões de grande importância, nas quais são realizados rituais, danças e oferendas para honrar os Orixás.

  • Roupas e adereços: as roupas usadas nos rituais do candomblé são coloridas e adornadas com miçangas e bordados. Cada Orixá tem suas cores e símbolos específicos, e os praticantes se vestem de acordo com o Orixá que estão cultuando.

  • Comidas sagradas: as oferendas de alimentos são uma parte importante dos rituais do candomblé. Cada Orixá tem suas preferências alimentares, e os pratos são preparados com grande cuidado e devoção. Algumas comidas sagradas são o acarajé (para Iansã), o vatapá (para Oxum) e o caruru (para Xangô).

  • Simbolismo dos atabaques: os atabaques são tambores sagrados utilizados nos rituais do candomblé. Eles são considerados instrumentos que possuem Axé e são usados para chamar os Orixás e marcar o ritmo das danças e cânticos.

  • Iniciação e segredos: o processo de iniciação no candomblé é envolto em segredos e mistérios. Os iniciados passam por um período de aprendizado e reclusão, quando são ensinados sobre os rituais e segredos da religião. A iniciação é vista como um renascimento espiritual e uma profunda conexão com o Orixá de cabeça.

Crédito de imagem

[1] Clara Angeleas / Ministério da Cultura / Wikimedia Commons (reprodução)

Fontes

AGÊNCIA SENADO. Sancionada lei que cria Dia Nacional do Candomblé. Senado Notícias. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2023/01/06/sancionada-lei-que-cria-dia-nacional-do-candomble.

KILEUY,Odé. O candomblé bem explicado: Nações Bantu, Iorubá e Fo. Pallas, 2009

PARÉS, Nicolau. A formação do candomblé: História e ritual da nação jeje na Bahia. Editora da Unicamp: 2018

Escritor do artigo
Escrito por: Tiago Soares Campos Bacharel, licenciado e doutorando em História pela USP. Bacharel em Direito e pós-graduado em Direito pela PUC. É professor de História e autor de materiais didáticos há mais de 15 anos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

CAMPOS, Tiago Soares. "Candomblé"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/religiao/candomble.htm. Acesso em 19 de junho de 2024.