Cálculo do número de partículas em uma solução

Química

O cálculo do número de partículas do soluto em uma solução utiliza como critérios fundamentais a natureza do soluto, o número de mol e o fator de Van't Hoff.
PUBLICIDADE

O cálculo do número de partículas em uma solução é um aspecto fundamental para mensurarmos o efeito coligativo (osmoscopia, crioscopia, ebulioscopia e tonoscopia) provocado pela adição de um soluto a um determinado solvente.

Quanto maior for a quantidade de partículas do soluto presentes na solução, mais intenso será o efeito coligativo. O cálculo do número de partículas leva em consideração, principalmente, a natureza do soluto que foi adicionado.

A classificação de um soluto em relação à sua natureza é realizada da seguinte maneira:

  • Soluto molecular

É o soluto incapaz de sofrer os fenômenos de dissociação ou ionização, independentemente do solvente a que ele foi adicionado. Exemplos: glicose, sacarose, etilenoglicol etc.

Assim, como um soluto molecular não se ioniza ou se dissocia, se adicionarmos 15 moléculas (partículas) dele ao solvente, teremos 15 moléculas dissolvidas.

  • Soluto iônico

É o soluto que, quando adicionado ao solvente, sofre o fenômeno da ionização (produção de cátions e ânions) ou da dissociação (liberação de cátions e ânions). Exemplos: ácidos, bases, sais, etc.

Assim, se adicionarmos 15 moléculas dele ao solvente, teremos 15 partículas mais x partículas.

Fator de Correção de Van't Hoff

O cientista Van't Hoff desenvolveu uma fórmula para calcular o fator de correção do número de partículas de um soluto iônico em uma solução.

i = 1 + α.(q-1)

Sendo:

  • i = fator de correção de Van't Hoff.

  • α = grau de dissociação ou ionização do soluto;

  • q = número de partículas obtidas na dissociação ou ionização de um soluto;

O fator de correção de Van't Hoff deve ser utilizado para multiplicar o valor encontrado para o número de partículas da solução. Assim, se, por exemplo, o fator de correção for 1,5 e o número de partículas do soluto na solução for de 8,5.1022, teremos:

número de partículas reais de soluto na solução = 1,5. 8,5.1022

número de partículas reais de soluto na solução = 12,75.1022

ou

número de partículas reais de soluto na solução = 1,275.1023

Exemplos de cálculo do número de partículas de uma solução

Exemplo 1: Cálculo do número de partículas presentes em uma solução que apresenta 45 gramas de sacarose (C6H12O6) dissolvida em 500 mL de água.

Dados do exercício:

  • Massa do soluto = 45 gramas;

  • Volume do solvente = 500 mL.

Faça o seguinte:

1o Passo: determine a massa molar do soluto.

Para determinar a massa do soluto, basta multiplicar a massa atômica do elemento pela quantidade de átomos dele presentes na fórmula. Em seguida, some todos os resultados.

Carbono = 12.12 = 144 g/mol
Hidrogênio = 1.22 = 22 g/mol
Oxigênio = 16.11 = 196 g/mol

Massa molar =144 + 22 + 196
Massa molar = 342 g/mol

2o Passo: Calcule o número de partículas por meio de uma regra de três que envolva o número de partículas e a massa.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Para montar a regra de três, devemos lembrar que, em uma massa molar, a massa está sempre relacionada com a constante de Avogadro, que é 6,02.1023 entidades (moléculas ou átomos, por exemplo). Assim, como a sacarose apresenta moléculas, por ser molecular (formada por ligação covalente), temos que:

342 gramas de sacarose---------6,02.1023 moléculas
45 gramas de sacarose ----------- x

342.x = 45. 6,02.1023

x = 270,9.1023
    342

x = 0,79.1023 moléculas

ou

x = 7,9.1022 moléculas

Exemplo 2: Calcule o número de partículas presentes em uma solução que apresenta 90 gramas de carbonato de potássio (K2CO3) dissolvidos em 800 mL de água. Sabendo que o grau de dissociação desse sal é de 60%.

Dados do exercício:

  • Massa do soluto = 90 gramas;

  • Volume do solvente = 800 mL;

  • α = 60% ou 0,6.

Para determinar o número de partículas de soluto nessa solução, é interessante que os seguintes passos sejam desenvolvidos:

1o Passo: determinar a massa molar do soluto.

Para determinar a massa do soluto, basta multiplicar a massa atômica do elemento pela quantidade de átomos dele presentes na fórmula. Em seguida, some todos os resultados.

Potássio = 39.2 = 78 g/mol
Carbono = 12.1 = 12 g/mol
Oxigênio = 16.3 = 48 g/mol

Massa molar =144 + 22 + 196
Massa molar = 138 g/mol

2o Passo: calcular o número de partículas por meio de uma regra de três que envolva o número de partículas e a massa.

Para montar a regra de três, devemos lembrar que, em uma massa molar, a massa está sempre relacionada com a constante de Avogadro, que é 6,02.1023 entidades (íon-fórmula, moléculas ou átomos, por exemplo). Assim, como o carbonato apresenta íon-fórmula por ser iônico (formado por ligação iônica), temos que:

138 gramas de carbonato ---------6,02.1023 moléculas
90 gramas de carbonato ----------- x

138.x = 90. 6,02.1023

x = 541,8.1023
   138

x = 6,02.1023 íons-fórmula (partículas)

3o Passo: calcular o número de partículas (q) a partir da dissociação do sal.

No carbonato de potássio, temos a presença de dois átomos de potássio na fórmula (K2) e uma unidade do ânion CO3. Por isso, o valor de q para esse sal é 3.

q = 3

4o Passo: calcular do fator de correção de Van't Hoff.

i = 1 + α.(q-1)

i = 1 + 0,6.(3-1)

i = 1 + 0,6.(2)

i = 1 + 1,2

i = 2,2

5o Passo: determinar o número de partículas reais presentes na solução.

Para determinar o número de partículas reais nessa solução, basta multiplicar o número de partículas calculado no 2o passo pelo fator de correção calculado no 4o passo:

y = 6,02.1023 . 2,2

y = 13,244.1023 partículas


Por Me. Diogo Lopes Dias

Exemplo de soluto iônico e molecular, respectivamente
Exemplo de soluto iônico e molecular, respectivamente

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DIAS, Diogo Lopes. "Cálculo do número de partículas em uma solução"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/calculo-numero-particulas-uma-solucao.htm. Acesso em 23 de janeiro de 2021.

Lista de Exercícios
Questão 1

(ITA) Considere os valores da temperatura de congelamento de soluções 1 milimol/L das seguintes substâncias:

I. Al2(SO4)3

II. Na2B4O7

III. K2Cr2O7

IV. Na2CrO4

V. Al(NO3)3.9H2O

Assinale a alternativa correta relativa à comparação dos valores dessas temperaturas:

a) I < II < V < III < IV.

b) I < V < II < III < IV.

c) II < III < IV < I < V.

d) V < II < III < IV < I.

e) V < II < III < IV < I.

Questão 2

Quando um soluto iônico é adicionado à água, sofre ionização ou dissociação, fazendo com que o número de partículas presentes no líquido seja maior com relação a um soluto molecular. Um exemplo é o cloreto de sódio (NaCl), o qual, em água, apresenta um grau de dissociação igual a 90%. A partir dessa informação, qual seria o número de partículas presentes em uma solução aquosa que apresentasse 80 gramas de cloreto de sódio dissolvidos?

a) 11,58.1021

b) 12,58.1022

c) 14,58.1023

d) 13,58.1024

e) 15,58.1023

Mais Questões
Artigos Relacionados
Propriedade coligativa que estuda a elevação da temperatura de ebulição do solvente.
Descubra como é medida a força das bases segundo o seu grau de dissociação iônica.
Clique e aprenda o conceito, a fórmula, as particularidades e a importância da propriedade coligativa denominada de pressão osmótica.
Confira algumas maneiras simples e fáceis de determinar a força dos ácidos.
Clique e aprenda a realizar os cálculos envolvendo ebulioscopia por meio de fórmulas específicas.