Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

O que é carbono?

O que é?

O carbono é um elemento que tem dois alótropos naturais (grafite e diamante), mas que se liga com outros elementos, formando milhões de compostos orgânicos.
O carbono necessita de quatro elétrons para estabilizar-se
O carbono necessita de quatro elétrons para estabilizar-se
PUBLICIDADE

O carbono é um elemento químico de número atômico (Z) igual a 6, o que significa que os átomos que o formam possuem seis prótons em seu núcleo. Sua massa molar é de 12,011 g/mol e na natureza são encontrados três isótopos do carbono, que são: o carbono-12, carbono-13 e carbono-14. O C-12 possui seis prótons e seis nêutrons no núcleo e é o mais abundante.

Ilustração de átomo de carbono-12
Ilustração de átomo de carbono-12

O C-13 possui sete nêutrons e é o menos abundante (1,01 a 1,14%). O C-14 possui oito nêutrons e é um elemento radioativo que emite partículas β (elétrons), sendo formado na estratosfera terrestre quando nêutrons de raios cósmicos bombardeiam o Nitrogênio-14 presente nessas camadas superiores da atmosfera. Ele é incorporado por todos os vegetais e animais e, sabendo-se que seu período de meia-vida é de cerca de 5730 anos, é usado para determinar a idade de fósseis entre 100 e 40 mil anos. Mais detalhes sobre o C-14 e a técnica de datação podem ser vistos no texto O que é Carbono-14?

O carbono é tetravalente, ou seja, precisa de mais quatro prótons na sua camada de valência (camada mais externa) para obedecer à regra do octeto. Por isso, ele geralmente faz quatro ligações covalentes, compartilhando quatro pares de elétrons com outros elementos e também com outros carbonos. Essas ligações podem ser simples, duplas ou triplas e resultam na formação de milhões de compostos diferentes. Por essa razão, criou-se uma área da Química, a Química Orgânica, que estuda os principais compostos derivados do carbono, com exceção de alguns casos que são de origem mineral, como o dióxido de carbono (CO2), o monóxido de carbono (CO), o carbonato de cálcio (CaCO3), o hidrogenocarbonato de sódio ou bicarbonaro de sódio (NaHCO3), entre outros. Esses compostos são estudados na Química Inorgânica.

O carbono realiza alotropia, formando substâncias simples, isto é, substâncias que são formadas somente por ligações entre átomos de carbono. Existem pelo menos sete alótropos do carbono, que são grafite (alfa e beta), diamante, lonsdaleíta (diamante hexagonal), caoíta, carbono (VI) e os fulerenos. Há, na verdade, vários tipos de fulerenos, que são formas alotrópicas sintéticas do carbono. Eles possuem estrutura poliédrica com um átomo de carbono em cada vértice e um exemplo é o C60 denominado de buckminsterfullerene, sendo que sua estrutura parece com uma bola de futebol.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Carbono-60 (buckminsterfullerene)
Carbono-60 (buckminsterfullerene)

No entanto, entre esses alótropos do carbono, existem somente dois que são naturais, trata-se da grafite e do diamante. Eles diferenciam-se somente pelo arranjo cristalino dos átomos no espaço, conforme mostra a figura a seguir, e isso resulta em propriedades físico-químicas totalmente diferentes. Leia o texto Alotropia do carbono para mais informações.

As duas formas alotrópicas naturais do carbono são grafite e diamante
As duas formas alotrópicas naturais do carbono são grafite e diamante

Outra forma alotrópica sintética do carbono são os nanotubos (imagem a seguir) que apresentam amplas aplicações biológicas, incluindo diagnósticos e tratamentos médicos.

Ilustração de um nanotubo de carbono microscópico
Ilustração de um nanotubo de carbono microscópico

Assim, o carbono está presente em tudo ao nosso redor e dentro de nós, pois ele compõe compostos orgânicos naturais — como os combustíveis fósseis, que incluem o petróleo, o carvão e o gás natural, e outros combustíveis, como o etanol e os biocombustíveis —, produtos agrícolas, entre outros. Forma também compostos orgânicos sintéticos, como fibras sintéticas que formam os tecidos, os medicamentos, os polímeros que formam os plásticos e as borrachas, inseticidas, corantes e muito mais. Dentro de nós, dos animais e dos vegetais, o carbono forma compostos importantíssimos, a exemplo dos carboidratos, como o açúcar, a glicose e a celulose; as proteínas que formam, por exemplo, o DNA, e que junto aos lipídios formam as membranas dos glóbulos vermelhos e dos glóbulos brancos.

Tudo isso mostra a importância do carbono para a manutenção da vida. Mas ele tem sido associado também a aspectos negativos, como a intensificação do efeito estufa e o consequente aquecimento global, isso porque o principal vilão desses problemas é o seu composto gás carbônico (CO2). Principalmente em face da grande queima de combustíveis fósseis que liberam esse gás, a concentração de CO2 na atmosfera tem aumentado. Por ser um gás estufa, ele causa os problemas mencionados. Por outro lado, o dióxido de carbono também está presente em reações vitais, como a fotossíntese e a respiração.


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FOGAçA, Jennifer Rocha Vargas. "O que é carbono?"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/quimica/o-que-e-carbono.htm. Acesso em 06 de dezembro de 2021.

Artigos Relacionados
Veja o que é o carbono 14, como ele é formado e assimilado pelos vegetais e animais, e como ele é usado para se determinar a idade de fósseis.
Aprenda a classificar este elemento em uma cadeia.
Aprenda sobre o comportamento químico do carbono.
Como este isótopo radioativo pode revelar a idade de fósseis?
Campanha do Carbono Zero, evitar a poluição, política de algumas empresas, neutralizar a emissão de gases do efeito estufa, balança ecológica, poluentes emitidos pelas indústrias.
Fórmula espacial do carbono, Fórmula Eletrônica de Lewis, estrutura plana, pares eletrônicos, ligação covalente, camada de valência, evolução do modelo atômico, fórmula molecular, fórmula estrutural, fórmulas tridimensionais.