Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

O que é sepse?

A sepse é uma resposta inflamatória sistêmica responsável por um grande número de mortes todos os anos nas UTI.

Card com explicação sobre sepse.
Card com explicação sobre sepse.
Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

A sepse é o nome dado a uma condição conhecida anteriormente como infecção generalizada. Apesar de seu antigo nome, ela não se trata de uma infecção que se espalha pelo corpo, e sim de uma resposta inflamatória sistêmica que decorre de infecção. Esse processo inflamatório é grave e pode comprometer o funcionamento adequado do organismo do paciente, levando-o à morte.

Leia mais: Infecção urinária — causada principalmente por bactérias, que invadem e multiplicam-se no sistema urinário

Tópicos deste artigo

Resumo sobre sepse

  • Sepse é uma condição inflamatória generalizada no organismo humano.

  • Decorre de quadros de infecção como uma forte resposta imunológica.

  • Entre seus sintomas, estão: febre, taquicardia, dificuldade respiratória e confusão mental.

  • Pode comprometer o funcionamento de diferentes órgãos e até levá-los à falência.

  • É comum em pacientes que estão na UTI, apresentando alta taxa de mortalidade.

  • Deve ser tratada, assim que identificada, por meio do uso correto de antibióticos.

  • Com o tratamento adequado, pode ser curada.

O que é sepse e como ela acontece?

Ilustração 3D mostrando bactérias em forma de haste no sangue com glóbulos vermelhos e leucócitos, em alusão à sepse.
Bactérias no sangue, entre glóbulos vermelhos e brancos, configurando uma infecção sanguínea, hoje chamada de sepse.

Ela ocorre frequentemente em pessoas que estão em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e apresenta alta taxa de mortalidade, principalmente quando não descoberta e tratada rapidamente. Sabe-se que a sepse mata mais do que os infartos e até mesmo alguns tipos de câncer, sendo a principal causa de mortes em UTI.

Os grupos de risco da sepse são:

  • bebês prematuros;

  • idosos acima de 65 anos;

  • pacientes com aids, câncer e doenças crônicas;

  • pessoas que estão fazendo uso de medicamentos que agem na defesa do organismo.

Pacientes usuários de drogas e álcool, bem como aqueles que sofreram graves acidentes, como queimaduras e traumatismos, também são mais suscetíveis à doença. Apesar de atingir pessoas mais debilitadas, qualquer pessoa pode vir a ter sepse.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que sente um paciente com sepse?

A doença não apresenta sintomas específicos, o que dificulta o diagnóstico precoce. Entretanto, pessoas com infecções devem ficar atentas aos sintomas como:

  • febre;

  • hipotermia (perca de calor muito rápida que deixa o corpo com temperatura muito baixa);

  • taquipneia (respiração rápida e curta);

  • edema;

  • hipotensão (pressão arterial baixa);

  • taquicardia (aumento da frequência cardíaca) inexplicada;

  • dispneia (dificuldade respiratória);

  • agitação;

  • fraqueza;

  • redução da quantidade de urina;

  • dor extrema;

  • confusão mental.

Além dos sintomas descritos, o médico averiguará outros sinais, tais como a quantidade de glóbulos brancos no sangue, que normalmente tendem a estar mais elevados, e o acúmulo de ácido lático no organismo do paciente.

  • Diferença entre sepse e choque séptico

A sepse, em casos mais graves, pode levar ao choque séptico, quando ocorre um grande aumento de toxinas produzidas por microrganismos no sangue. Esse estágio é o que mais necessita de atenção, pois caso o paciente não receba o tratamento adequado, pode ocorrer a falência múltipla dos órgãos e até mesmo a morte.

Sepse tem cura?

Apesar de ter mortalidade alta, a sepse, se tratada precocemente e de maneira adequada, pode ser curada. É importante ressaltar que qualquer infecção pode se tornar uma sepse e esta deve ser tratada rapidamente. Para isso, é necessário inicialmente detectar o agente causador, pois o médico direcionará o tratamento de acordo com o local da infecção e seu agente patogênico.

Caso o paciente desenvolva a sepse, deve-se iniciar imediatamente a administração de antibióticos e o controle das atividades vitais do corpo. Em alguns casos, pode ser necessário adotar procedimentos como a diálise, a respiração artificial e o uso de medicamentos que aumentem a pressão arterial do paciente.

Como prevenir sepse?

Para prevenir a sepse, deve-se prevenir infecções de maneira geral. A medida preventiva mais indicada é manter as vacinas em dia. Além disso, hábitos de higiene adequados e estilo de vida saudável ajudam na prevenção de uma forte doença. Outro ponto importante é o uso correto de antibióticos, que só podem ser usados com recomendação médica e em obediência rigorosa ao tratamento. Desse modo, evita-se o risco de surgimento de bactérias resistentes aos medicamentos.

 

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professora de Biologia

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "O que é sepse?"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/biologia/o-que-e-sepse.htm. Acesso em 03 de março de 2024.

De estudante para estudante


PUBLICIDADE