Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Pan-eslavismo

O pan-eslavismo foi uma ideologia e um movimento que buscou unir os povos eslavos nos Bálcãs, contribuindo para o início da Primeira Guerra.

Quadro com a definição de pan-eslavismo.
O pan-eslavismo visava à união dos povos eslavos.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O pan-eslavismo foi um movimento que buscou unir os povos de origem eslava na região dos Bálcãs, na Europa Oriental.

Foi desenvolvido pela Rússia, que prestou total apoio aos conflitos em nome de tal movimento. Naquele país, já na metade século XIX, a ideologia pan-eslava já demonstrava o nacionalismo e os anseios da burguesia russa de conquista. Dessa forma, tal classe colocaria em prática seu expansionismo e teria acesso ao mar Mediterrâneo por meio da obtenção de porções litorâneas dos países banhados por ele.

Movimento semelhante acontecia em outras partes da Europa: o pangermanismo, movimento e ideologia que buscou unificar o povo germânico no continente. Os dois movimentos foram responsáveis pela Primeira Guerra Mundial.

Leia também: Quais foram as causas da Primeira Guerra Mundial?

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o pan-eslavismo

  • O pan-eslavismo foi um movimento e uma ideologia de unificação dos povos eslavos.
  • Seu objetivo era, para além da união desses povos, a expansão da Rússia, dando-lhe acesso ao Mediterrâneo.
  • As características principais do pan-eslavismo foram: o nacionalismo, a tentativa de união dos povos eslavos na região dos Bálcãs e o expansionismo russo.
  • O pan-eslavismo assim como o pangermanismo são conceitos fundamentais para entender o começo da Primeira Guerra Mundial.
  • Enquanto o pan-eslavismo pregava a união dos povos eslavos, o pangermanismo pregava a união dos povos germânicos. Ambos os movimentos eram nacionalistas e tinham interesses expansionistas.

O que foi pan-eslavismo?

O pan-eslavismo, semelhantemente ao pangermanismo, foi um movimento nacionalista que buscou a unificação de todos os eslavos. Teve como principais objetivos a expansão de seus territórios e o acesso direto ao mar Mediterrâneo para fins bélicos e comerciais. Os eslavos têm origem russa, mas, ao longo do tempo, se espalharam pelo Leste Europeu.

O diferencial o pan-eslavismo foi sua liderança pela Rússia. Esta foi sua maior defensora, pois tinha interesses econômicos na unidade eslava da região dos Bálcãs, a fim de ter acesso ao mar Mediterrâneo, o que facilitaria suas transações econômicas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Objetivos do pan-eslavismo

Os objetivos do pan-eslavismo foram: a expansão do Império Russo pelo continente europeu e o seu controle na região dos Bálcãs, a fim de que os russos tivessem acesso ao mar Mediterrâneo.

Bandeira do movimento pan-eslavo, nas cores azul, branca e vermelha.
Bandeira do movimento pan-eslavo, nas cores posteriormente utilizadas nas flâmulas dos países eslavos, com propositura em 1848, na Convenção de Praga.

Características do pan-eslavismo

  • Defendeu a união dos povos eslavos.
  • Ocorreu na Europa Oriental.
  • Incluiu os países sob o domínio do Império Austro-Húngaro.
  • Ideal nacionalista.
  • Liderança russa.

Leia também: Afinal, o que é nacionalismo?

Pan-eslavismo e a Primeira Guerra Mundial

O pan-eslavismo e o pangermanismo foram ideologias e movimentos nacionalistas que acirraram as tensões bélicas pré-Primeira Guerra Mundial. O pan-eslavismo foi responsável direto pelo assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando, o que configurou o estopim da Primeira Guerra.

Francisco Ferdinando foi um arquiduque da Áustria, chefe do ramo cadete de Áustria-Este e possível herdeiro do trono do Império Austro-Húngaro. Ele foi assassinado em 28 de junho de 1914, junto de sua esposa, em Sarajevo, capital da província austro-húngara de Bósnia e Herzegovina. Os responsáveis pelo atentado foram integrantes do grupo nacionalista Mão Negra.

Carro que levava Francisco Ferdinando e Sophia, pouco tempo antes do atentado que os matou.
Carro que levava Francisco Ferdinando e Sophia, pouco tempo antes do atentado que os matou.

A Mão Negra foi um dos grupos radicais dentro do pan-eslavismo, pois se prestou a realizar a ideologia a todo custo, fosse por meio de assassinatos, como o caso do arquiduque e esposa, fosse por demais ações depois caracterizadas como terroristas.

Seus membros declaravam-se nacionalistas, e tinham a intenção de unir não só pessoas como também os territórios com populações eslavas do sul anexados pela Áustria-Hungria. Dessa forma, estavam em permanente conflito com o império, já que este dominava a Bósnia e Herzegovina, território que, pelo pan-eslavismo, necessitaria estar associado ao Estado sérvio, que ainda seria criado.

Assim, o assassinato foi um ato político para gerar quebra dos vínculos das províncias eslavas da Áustria-Hungria e, assim, promover a reunião delas junto da Grande Sérvia ou Iugoslávia.

Francisco Ferdinando estava na ocasião fazendo uma visita de paz, porém percebeu manobras militares e inaugurou um museu em Sarajevo. O objetivo do Império Austro-Húngaro era fazer com que a visita servisse como uma das ações em prol de reformar a si mesmo, federalizando territórios (a Bósnia especificamente), além de parar o expansionismo pelo Leste Europeu.

Contudo, após o assassinato, o Império Austro-Húngaro não aceitou a reação branda da Sérvia ao crime, gerando uma crise diplomática grave, já que foram demonstrados indícios de que havia militares servos por trás do atentado, além da Mão Negra. Assim, o Império Austro-Húngaro deu-lhes um ultimato. Como não foram cumpridas as exigências, a Rússia tomou o lado dos eslavos, a Alemanha, dos germânicos, e iniciou-se uma guerra.

Diferenças e semelhanças entre pan-eslavismo e pangermanismo

O pan-eslavismo buscou a unificação de todos os povos eslavos, com o apoio russo, culminando na criação da Grande Sérvia. Em contrapartida, o pangermanismo teve características antissemitas e defendia a união dos povos germânicos da Europa Central, com a Alemanha como figura central. Já as semelhanças se deram no caráter expansionista de ambos os lados e no sentimento de unificação de seus respectivos povos.

Fontes:

HOBSBAWM, Eric. A era das revoluções: 1789-1848. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2014.

______. A era do capital: 1848-1875. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2014.

______. A era dos impérios: 1875-1914. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2014.

VICENTINO, Claudio. DORIGO, Gianpaolo. História Geral e do Brasil. Scipione. São Paulo: 2011.

Escritor do artigo
Escrito por: Mariana de Oliveira Lopes Barbosa Doutora em História Social pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Graduada e Mestra em História pela Universidade Federal de Goiás (UFG)

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

BARBOSA, Mariana de Oliveira Lopes. "Pan-eslavismo"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiag/pan-eslavismo.htm. Acesso em 21 de maio de 2024.

De estudante para estudante