Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Verbo “poder”

O verbo “poder” é um verbo irregular de 2ª conjugação. Ele possui diversos significados e gera muitas dúvidas de ortografia.

Canetas coloridas e lapiseira próximas a um caderno com o seguinte escrito: Verbo “poder”.
O verbo “poder” tem uma conjugação bastante irregular.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O verbo “poder” é um verbo irregular de 2ª conjugação que também pode cumprir função de verbo auxiliar. Ele apresenta diversos significados, que variam de acordo com o contexto, entre eles: “ter a possibilidade de” e “estar sujeito a”. É um verbo que concorda em número e em pessoa com o sujeito do enunciado.

Leia também: Verbo “vir” — um verbo irregular de 3ª conjugação

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o verbo “poder”

  • “Poder” é um verbo irregular de 2ª conjugação.

  • Ele também pode ser usado como verbo auxiliar.

  • Tem diversos significados dependendo do contexto. Pode significar “ter a possibilidade de”, “ter permissão para”, “estar sujeito a”, “ter capacidade para” e “suportar, tolerar”.

  • Concorda em número e em pessoa com o sujeito do enunciado.

  • Costumam ocorrer confusões entre suas formas verbais “pode” e “pôde”, “poder” e “puder”.

  • A forma “pode”, sem acento, é usada no tempo presente. Já a forma “pôde”, com acento, é usada no tempo pretérito perfeito.

  • A forma verbal “poder” é a forma nominal no infinitivo do verbo. Já a forma verbal “puder” é o verbo conjugado no tempo futuro do modo subjuntivo.

Conjugação do verbo “poder”

O verbo “poder” é um verbo irregular, o que significa que suas formas verbais conjugadas não seguem o padrão regular de conjugação dos verbos. É um verbo de 2ª conjugação, isto é, faz parte daqueles terminados em -er. Veja, a seguir, as conjugações desse verbo.

Conjugação do verbo “poder” no modo indicativo

Conjugação do verbo “poder” no modo indicativo

Presente

singular

1ª (eu)

posso

2ª (tu)

podes

3ª (ele/ela)

pode

plural

1ª (nós)

podemos

2ª (vós)

podeis

3ª (eles/elas)

podem

Pretérito perfeito

singular

1ª (eu)

pude

2ª (tu)

pudeste

3ª (ele/ela)

pôde

plural

1ª (nós)

pudemos

2ª (vós)

pudestes

3ª (eles/elas)

puderam

Pretérito imperfeito

singular

1ª (eu)

podia

2ª (tu)

podias

3ª (ele/ela)

podia

 

plural

1ª (nós)

podíamos

2ª (vós)

podíeis

3ª (eles/elas)

podiam

Pretérito mais-que-perfeito

singular

1ª (eu)

pudera

2ª (tu)

puderas

3ª (ele/ela)

pudera

plural

1ª (nós)

pudéramos

2ª (vós)

pudéreis

3ª (eles/elas)

puderam

Futuro do presente

singular

1ª (eu)

poderei

2ª (tu)

poderás

3ª (ele/ela)

poderá

plural

1ª (nós)

poderemos

2ª (vós)

podereis

3ª (eles/elas)

poderão

Futuro do pretérito

singular

1ª (eu)

poderia

2ª (tu)

poderias

3ª (ele/ela)

poderia

plural

1ª (nós)

poderíamos

2ª (vós)

poderíeis

3ª (eles/elas)

poderiam

Conjugação do verbo “poder” no modo subjuntivo

Conjugação do verbo “poder” no modo subjuntivo

Presente

 

singular

1ª (eu)

possa

2ª (tu)

possas

3ª (ele/ela)

possa

 

plural

1ª (nós)

possamos

2ª (vós)

possais

3ª (eles/elas)

possam

Pretérito imperfeito

 

singular

1ª (eu)

pudesse

2ª (tu)

pudesses

3ª (ele/ela)

pudesse

 

plural

1ª (nós)

pudéssemos

2ª (vós)

pudésseis

3ª (eles/elas)

pudessem

Futuro

 

singular

1ª (eu)

puder

2ª (tu)

puderes

3ª (ele/ela)

puder

 

plural

1ª (nós)

pudermos

2ª (vós)

puderdes

3ª (eles/elas)

puderem

Conjugação do verbo “poder” no modo imperativo

Conjugação do verbo “poder” no modo imperativo

Imperativo afirmativo

singular

-

pode (tu)

possa (você)

plural

possamos (nós)

podei (vós)

possam (vocês)

Imperativo negativo

singular

-

não possas (tu)

não possa (você)

plural

não possamos (nós)

não possais (vós)

não possam (vocês)

Conjugação do verbo “poder” no infinitivo pessoal

Conjugação do verbo “poder” no infinitivo pessoal

singular

(por) poder (eu)

(por) poderes (tu)

(por) poder (ele/ela)

plural

(por) podermos (nós)

(por) poderdes (vós)

(por) poderem (eles/elas)

Significados do verbo “poder”

O verbo “poder” tem alguns significados. Veja alguns deles a seguir.

  • Verbo “poder” com significado de “ter a possibilidade de”:

Podemos ir ao cinema hoje, o que acha?
No futuro, a humanidade poderá se locomover muito mais rapidamente.

  • Verbo “poder” com significado de “ter permissão para”:

Meus filhos podem dormir na sua casa?
Eu posso ficar fora até anoitecer.

  • Verbo “poder” com significado de “estar sujeito a”:

Cuidado! Você pode ser flagrado em uma situação constrangedora...
Ela pode levar uma multa por conta disso.

  • Verbo “poder” com significado de “ter capacidade para”:

Eu podia passar horas lendo gibis na infância.
Se continuar treinando assim, você poderá pegar mais peso em breve.

  • Verbo “poder” com significado de “suportar, tolerar”:

Não posso com essas suas amigas...
Meu irmão não podia me ver ganhando nada dos nossos pais!

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Usos do verbo “poder”

O verbo “poder” pode ser usado como verbo principal ou auxiliar no enunciado.

Uso do verbo “poder” como verbo principal

É a própria ação expressa. Veja os exemplos:

Eu posso tudo o que eu quiser!
Nós podemos, mas será que queremos?

Uso do verbo “poder” como verbo auxiliar

Acompanha o verbo principal. Nesses casos, o verbo “poder” é conjugado, enquanto o verbo principal permanece em sua forma nominal. Veja os exemplos:

Você pode me ajudar, por favor?
Podemos procurar pistas naquela direção.

Concordância do verbo “poder”

O verbo “poder” concorda em número (singular ou plural) e em pessoa (1ª, 2ª ou 3ª) com o sujeito do enunciado.

Eu posso brincar mais tarde.
Tu podes brincar mais tarde.
Ela pode brincar mais tarde.
Nós podemos brincar mais tarde.
Vós podeis brincar mais tarde.
Eles podem brincar mais tarde.

Diferença entre “pode” e “pôde”

Há muita confusão a respeito do uso das formas verbais “pode”, sem acento e com a vogal “o” pronunciada em tom aberto, e “pôde”, com acento circunflexo e com vogal “o” pronunciada em tom fechado. Ambas são usadas para a 3ª pessoa do singular, porém o que muda é o tempo verbal da conjugação de cada uma.

A forma “pode”, sem acento, é usada no tempo presente. Já a forma “pôde”, com acento, é usada no tempo pretérito perfeito. Veja a diferença:

  • Verbo “poder” no tempo presente do indicativo:

Ela pode visitar os avós toda semana.
Ele pode sair para comer [agora].

  • Verbo “poder” no tempo pretérito perfeito do indicativo:

Ela pôde visitar os avós no final de semana passada.
Ele pôde sair para comer [mais cedo].

Diferença entre “poder” e “puder”

A forma verbal “poder”, escrita com a vogal “o”, é a forma nominal no infinitivo do verbo. Já a forma verbal “puder”, escrita com a vogal “u”, é o verbo conjugado no tempo futuro do modo subjuntivo. Veja a diferença:

  • Verbo “poder” no infinitivo:

Querer não é poder.
Por eu poder pagar muitas coisas, eu sempre me oferecia para ajudar nas despesas.

  • Verbo “poder” no futuro do subjuntivo:

Se eu puder, vou querer ir.
Quando eu puder pagar muitas coisas, vou me oferecer para ajudar nas despesas.

Veja também: Verbo “ser” — um verbo que funciona como verbo de ligação entre sujeito e predicativo

Exercícios resolvidos sobre o verbo “poder”

Questão 1

(UFG)

A armadilha da aceitação

Existe um lugar quentinho e cômodo chamado aceitação. Olhando de longe, parece agradável. Mais do que isso, é absolutamente tentador: os que ali repousam parecem confortáveis, acolhidos, até mesmo com um senso de poder, como se estivessem tirando um cochilo plácido debaixo das asas de um dragão.

“Elas estão por cima”, é o que se pensa de quem encontrou seu espacinho sob a aba da aceitação. Porém, é preciso batalhar para ter um espaço ali. Esse dragão não aceita qualquer um; e sua aceitação, como tudo nesta vida, tem um preço.

Para ser aceita, em primeiro lugar, você não pode querer destruir esse dragão. Óbvio. Você não pode atacá-lo, você não pode ridicularizá-lo, você não pode falar para outras pessoas o quanto seus dentes são perigosos, você não pode sequer fazer perguntas constrangedoras a ele.

Faça qualquer uma dessas coisas e você estará para sempre riscada da lista VIP da aceitação. Ou, talvez, se você se humilhar o suficiente, ele consiga se esquecer de tudo o que você fez e reconsidere o seu pedido por aceitação.

A melhor coisa que você pode fazer para conseguir aceitação é atacar as pessoas que querem destruir o generoso distribuidor deste privilégio. Uma boa forma de fazer isso é ridicularizando-as, e pode ser bem divertido fingir que esse dragão sequer existe, embora ele seja algo tão monstruosamente gigante que é quase como se sua existência estivesse sendo esfregada em nossas caras.

Reforçar o discurso desse dragão, ainda que você não saiba muito bem do que está falando, é o passo mais importante que você pode dar em direção à tão esperada aceitação.

Reproduzir esse discurso é bem simples: basta que a mensagem principal seja deixar tudo como está — e há várias formas de se dizer isso, das mais rudimentares e manjadas às mais elaboradas e inovadoras. Não dá pra reclamar de falta de opção.

Pode ter certeza que o dragão da aceitação dará cambalhotas de felicidade. Nada o agrada mais do que ver gente impedindo que as coisas mudem.

Uma vez aceita, você estará cercada de outras pessoas tão legais quanto você, todas acolhidas nesse lugar quentinho chamado aceitação. Ali, você irá acomodar a sua visão de mundo, como quem coloca óculos escuros para relaxar a vista, e irá assistir numa boa às pessoas se dando mal lá fora.

É claro que elas só estão se dando tão mal por causa do tal dragão; mas se você não pode derrotá-lo, una-se a ele, não é o que dizem?

O que ninguém diz quando você tenta a todo custo ser aceita é que nem isso torna você imune. Ser aceita não é garantia nenhuma de ser poupada.

Você pode tentar agradar ao dragão, você pode caprichar na reprodução e perpetuação do discurso que o mantém acocorado sobre este mundo, você pode até se estirar no chão para se fazer de tapete de boas-vindas, mas nada disso irá adiantar, especialmente porque esse discurso só foi feito para destruir você.

E aí é que a aceitação se revela como uma armadilha. Tudo o que você faz para ser aceita por aquilo que esmaga as outras sem dó só serve para deixar você mais perto da boca cheia de dentes que ainda vai te mastigar e te cuspir para fora. Pode demorar, mas vai. Porque só tem uma coisa que esse dragão realmente aceita: dominar e oprimir.

Então, se ele sorrir para você, não se engane: ele não está te aceitando. Está apenas mostrando os dentes que vai usar para fazer você em pedaços depois.

VALEK, Aline. Disponível em: <http://www.cartacapital.com.br/blogs/escrito- rio-feminista/a-armadilha-da-aceitacao-4820.html>.

No enunciado “você pode tentar agradar ao dragão”, o verbo “poder” indica

A) permissividade para a realização do fato.

B) necessidade de que a situação aconteça.

C) obrigatoriedade de que a ação se efetive.

D) possibilidade de realização de um evento.

Resolução:

Alternativa D

Trata-se de um contexto em que o verbo “poder” é sinônimo de possibilidade.

Questão 2

(Vunesp)

Tirinha do Armandinho em uma questão da Vunesp sobre o verbo “poder”.

No 1º, 2º e 3º quadrinhos, o verbo poder está adequadamente interpretado como exprimindo, respectivamente, as noções de

A) sugestão, incerteza e capacidade.

B) habilidade, sugestão e dúvida.

C) hipótese, possibilidade e incerteza.

D) possibilidade, capacidade e sugestão.

E) certeza, dúvida e possibilidade.

Resolução:

Alternativa D

No primeiro quadrinho, o verbo “poder” indica a possibilidade de parecer pouco; no segundo quadrinho, indica a capacidade de construir muros; e, no terceiro quadrinho, pelo contexto, trata-se da sugestão de construir pontes.

 

Por Guilherme Viana
Professor de Gramática

Escritor do artigo
Escrito por: Guilherme Viana Escritor oficial Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "Verbo “poder”"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/o-verbo-poder.htm. Acesso em 29 de maio de 2024.

De estudante para estudante