Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Mona Lisa

Mona Lisa é uma pintura de Leonardo da Vinci e, provavelmente, o trabalho mais famoso desse artista. Atualmente é parte do acervo do Museu do Louvre, em Paris.

Quadro “Mona Lisa”.
Mona Lisa, pintada por Leonardo da Vinci, está exposta no Museu do Louvre, em Paris.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Mona Lisa é um quadro que foi pintado por Leonardo da Vinci, artista renascentista, no começo do século XVI. A pintura, que traz uma mulher em perfil com um olhar sereno e um sorriso tímido, é uma das obras de arte mais conhecidas da arte ocidental.

Acredita-se que da Vinci tenha trabalhado nessa obra entre 1503 e 1506 e que o quadro retrate Lisa del Giocondo, esposa de um rico comerciante florentino. Leonardo da Vinci vendeu essa pintura para um rei francês do século XVI por uma quantia considerável e ela esteve guardada em diferentes locais na França. Atualmente é parte do acervo do Museu do Louvre, atraindo a visita de milhões de pessoas.

Leia também: Museu Nacional — instituição brasileira que possui um valioso acervo com mais de 200 anos

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Mona Lisa

  • A Mona Lisa é uma pintura de Leonardo da Vinci, sendo uma das obras de arte mais famosas do mundo.

  • Leonardo da Vinci produziu Mona Lisa entre os anos de 1503 e 1506.

  • Essa pintura traz uma mulher de perfil com um olhar sereno e um sorriso tímido.

  • Acredita-se que a mulher pintada na obra seja Lisa del Giocondo, esposa de um rico comerciante florentino e vizinha de Leonardo da Vinci.

  • Atualmente, a pintura está exposta no Museu do Louvre.

História da obra Mona Lisa

A Mona Lisa é, muito provavelmente, a obra de arte mais famosa da história ocidental, atraindo uma multidão que deseja visualizar a obra de perto e tirar uma foto dessa pintura. O autor dessa pintura foi o italiano Leonardo da Vinci, um dos grandes intelectuais do Renascimento.

A obra de da Vinci fica exposta no Museu do Louvre, localizado em Paris, França. O sucesso desse obra é tão grande que esse museu recebe anualmente milhões de pessoas. Em 2019, antes da pandemia de covid-19, o museu recebeu quase 10 milhões de visitas no ano. Em 2021, esse número se reduziu drasticamente e o museu foi visitado por quase 3 milhões de pessoas.

Muitas dessas pessoas vão ao museu atraídos pela Mona Lisa. Os historiadores afirmam que a pintura foi produzida por Leonardo da Vinci entre os anos de 1503 e 1506, em Florença, mas ele seguiu fazendo pequenos retoques na obra até por volta de 1517.

O quadro apresenta uma mulher de perfil que está em uma pose com braços apoiados. Essa mulher apresenta também um olhar sereno e um sorriso tímido. Ao fundo a paisagem traz montanhas — cujos cumes possuem neve —, uma estrada e algo que parece ser um rio ou um lago.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O nome mais popular dessa pintura é mesmo Mona Lisa, mas também há um nome alternativo: A Gioconda ou La Gioconda, no italiano, e La Joconde, no francês.

A pintura em si tem dimensões normais: 77 centímetros de altura por 53 centímetros de largura e foi levada para a França por da Vinci quando ele se mudou para esse país. Essa mudança se explica porque o artista renascentista foi contratado para trabalhar na corte francesa. Lá ele vendeu a pintura para Francisco I, rei da França, entre os anos de 1515 e 1547. Acredita-se que o rei francês tenha pagado cerca de 4000 táleres de ouro, uma quantia bastante elevada.

Uma vez estabelecida na França, a Mona Lisa foi guardada em diferentes locais. Primeiramente, a obra foi guardada no Castelo de Fontainebleau; depois, foi colocada no Palácio de Versalhes. Ficou também um período curto no Palácio de Tulherias e, finalmente, foi posta em exposição no Louvre.

Veja também: O projeto de Hitler de criar o maior museu de arte do mundo

Quem foi a Mona Lisa na vida real?

A identidade da mulher presente na pintura é um dos assuntos que movem aqueles que estudam e estudaram essa obra. A versão mais popular é a que aponta que a mulher na pintura era Lisa del Giocondo. Essa teoria se escora no relato de um biógrafo de da Vinci do século XVI.

Essa biógrafo foi Giorgio Vasari e ele escreveu que a mulher na obra era Lisa del Giocondo, esposa de Francesco del Giocondo, um comerciante muito rico de Florença que trabalhava com a venda de seda. Eles seriam vizinhos de da Vinci e teriam encomendado a obra como celebração pelo nascimento do segundo filho do casal.

O nome da obra, inclusive, é uma referência a essa mulher, uma vez que Mona vem de madonna, palavra do italiano usada para referir-se de maneira formal e educada a uma mulher. Lisa é o nome da mulher mencionada acima, portanto Mona Lisa. O nome alternativo da pintura também seria uma referência a ela, já que ela era conhecida como Lisa del Giocondo.

As outras teorias que tratam sobre a personalidade da mulher na pintura de da Vinci dizem que ela poderia ser um autorretrato de da Vinci, mas com ele usando roupas femininas. A terceira hipótese fala que a mulher na pintura seria Isabel de Aragão, duquesa de Milão, a qual ficou conhecida por financiar artistas no período renascentista, incluindo o próprio da Vinci.

Roubo de Mona Lisa

Até o começo do século XX, a Mona Lisa não era uma pintura muito famosa e atraía pouca atenção na exposição do Louvre. Um acontecimento marcou a trajetória dessa obra: a pintura foi roubada do Louvre em 21 de agosto de 1911. A equipe de segurança só notou o desaparecimento da obra mais de 24 horas depois de seu sumiço.

O caso gerou uma enorme repercussão e as investigações da polícia levaram a polícia a suspeitar do poeta Guillaume Apollinaire. O poeta chegou a ser preso e foi mantido na cadeia por uma semana até que foi solto porque foi concluído que ele não teve envolvimento com o crime. O depoimento do poeta levou a polícia também a convocar Pablo Picasso para um interrogatório.

A polícia também não encontrou provas que incriminassem Picasso e as investigações seguiram inconclusivas durante um longo período. Em 1913, a polícia italiana recebeu uma denúncia de que alguém estava tentando vender clandestinamente o quadro de da Vinci. A denúncia levou a polícia a descobrir que o ladrão da Mona Lisa havia sido Vicenzo Peruggia.

Esse homem era um italiano que já tinha trabalhado no Louvre e teria agido movido por um sentimento nacionalista. Ele alegou que a Mona Lisa deveria pertencer ao país de origem da obra, a Itália, e por isso decidiu roubá-la. Peruggia ficou mais ou menos 1 ano preso e, em 1914, a Mona Lisa foi reintegrada ao acervo do Louvre. A repercussão do caso deu fama internacional para a pintura de da Vinci.

 

 

Por Daniel Neves Silva
Professor de História

Escritor do artigo
Escrito por : Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Mona Lisa"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/artes/mona-lisa.htm. Acesso em 11 de dezembro de 2023.

De estudante para estudante