Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Coiote

O coiote é um mamífero pertencente à família dos canídeos. Apesar da semelhança, coiotes são animais menores do que os lobos e muito maiores do que as raposas.

Coiotes são animais com grande capacidade de comunicação.
Coiotes são animais com grande capacidade de comunicação.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Coiotes são animais que lembram cachorros, lobos e raposas, encontrados na América do Norte e Central, pertencendo a mesma família desses animais. Possuem pernas longas, orelhas pontudas e eretas, focinho longo, olhos com íris amarelas e pupilas redondas, e pelagem que varia do marrom acinzentado ao cinza amarelado.

Destacam-se como animais de grande adaptabilidade, sendo encontrados até mesmo em ambientes urbanos. Em relação à alimentação, coiotes se alimentam de praticamente tudo, porém sua preferência é por mamíferos. São animais monogâmicos, mas que nem sempre permanecem por toda a vida juntos.

Leia também: Lobo-guará — o maior canídeo da América do Sul

Tópicos deste artigo

Resumo sobre coiote

  • Coiotes são canídeos.

  • Possuem orelhas pontudas e eretas, focinho longo, pernas longas e pés pequenos.

  • São encontrados na América do Norte e Central.

  • São conhecidos por sua grande adaptabilidade.

  • São onívoros.

  • São monogâmicos.

  • Atualmente, não correm risco de extinção.

Características do coiote

O coiote é um animal da família dos canídeos, apresentando, portanto, características que os tornam muito semelhantes a cães, lobos e raposas. Dentre suas principais características físicas, podemos citar:

  • orelhas pontudas e eretas;

  • focinho longo e delgado;

  • olhos com íris amarelas e pupilas redondas;

  • pernas longas e delgadas;

  • pés pequenos;

  • pelo marrom acinzentado a cinza amarelado na região superior do corpo;

  • ventre e garganta com pelos esbranquiçados;

  • pelos marrons avermelhados no focinho, nas laterais da cabeça e nos pés;

  • ponta da cauda preta.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Coiotes são animais oportunistas, que apresentam hábitos noturnos e são menos propensos a formar matilhas que os lobos. Frequentemente apropriam-se de tocas abandonadas de outros animais ou mesmo de cavidades naturais. As tocas, geralmente, são usadas para o nascimento e os cuidados dos filhotes. Apesar de coiotes, em geral, não abrirem suas tocas, eles realizam a sua manutenção e escavam túneis de fuga.

Coiotes apresentam grande capacidade de comunicação, emitindo diferentes chamados, que podem, por exemplo, indicar pedido de socorro, seu território e sua localização. Esses animais, ainda, apresentam audição e olfato aguçados. Trata-se de ótimos nadadores, mas não escalam com tanta agilidade.

Veja também: Ecolocalização — capacidade que algumas espécies têm de se localizar sem o auxílio da visão

Qual a diferença entre coiote, lobo e raposa?

Apesar das semelhanças com lobos e raposas, coiotes diferenciam-se desses animais pelo seu tamanho. Coiotes são menores que lobos e muito maiores que raposas. Possuem massa compreendida entre 7-21 kg e seu comprimento varia entre 75-100 cm. Outra característica interessante é o fato de coiotes correrem com a cauda para baixo. Raposas, por sua vez, correm com a cauda disposta horizontalmente, e lobos, assim como cachorros, correm com a cauda para cima.

Classificação taxonômica do coiote

Reino: Animalia

Filo: Chordata

Classe: Mammalia

Ordem: Carnivora

Família: Canidae

Gênero: Canis

Espécie: Canis latrans

Onde os coiotes vivem?

O coiote é um animal que ocorre na América do Norte e Central, estando presente, segundo a IUCN, em:

  • Belize;

  • Canadá;

  • Costa Rica;

  • El Salvador;

  • Guatemala;

  • Honduras;

  • México;

  • Nicarágua;

  • Panamá;

  • Estados Unidos.

Ainda de acordo com a IUCN, antes da colonização europeia, os coiotes ocorriam originalmente nos Estados Unidos, Canadá e México. Entretanto, durante o século XIX, esse animal se expandiu para biomas florestais que não haviam usado anteriormente. A fragmentação de florestas e a extinção de predadores maiores provavelmente ajudaram nessa expansão de território.

Os coiotes são conhecidos por se adaptarem facilmente a diferentes ambientes, inclusive áreas urbanas. Atualmente, eles utilizam quase todos os habitat disponíveis, incluindo áreas montanhosas, desertos e florestas. Em áreas urbanas, exploram os recursos criados pelo ser humano.

Coiotes podem se adaptar a diferentes ambientes, inclusive áreas urbanas.
Coiotes podem se adaptar a diferentes ambientes, inclusive áreas urbanas.

O que o coiote come?

O coiote é conhecido por ser um predador oportunista e também generalista, alimentando-se de praticamente tudo. Esses animais são considerados onívoros e fazem parte de sua dieta frutas, insetos, pássaros, anfíbios e mamíferos. Estes últimos se destacam como o principal componente de sua dieta, compondo cerca de 90% da sua alimentação.

A caça pode ocorrer de maneira individual, aos pares ou em grupos maiores. Um fato curioso é a parceria de caça com texugos. Coiotes não apresentam grande capacidade de desenterrar roedores de suas tocas, uma capacidade bem desenvolvida em texugos. Já os texugos não são tão rápidos e ágeis quanto coiotes, que podem correr a 65 km/h e saltar cerca de 4 m. A associação dos dois animais, portanto, permite uma caça mais eficiente.

Saiba mais: Além do coiote, quais outras espécies são onívoras?

Reprodução do coiote

Os coiotes são animais monogâmicos, ou seja, formam pares reprodutivos que permanecem juntos por um longo período. No caso dos coiotes, esses pares não ficarão necessariamente juntos por toda a vida.

A reprodução ocorre entre meados de janeiro e início de março. A gestação apresenta de 60 a 63 dias, e a fêmea dá à luz uma ninhada com, em média, seis filhotes. O tamanho da ninhada pode ser maior ou menor, variando de um a 19 filhotes.

Inicialmente, o filhote nasce cego, abrindo os olhos após cerca de 10 dias. Nas primeiras semanas, o macho leva comida para a família, porém a fêmea não permite sua entrada na toca. Os filhotes começam a sair da toca entre 21 e 28 dias após o seu nascimento. O desmame é observado com cerca de 35 dias. Coiotes vivem cerca de 10 anos na natureza e 18 em cativeiro.

Coiote corre risco de extinção?

Os coiotes são animais que não estão ameaçados de extinção, estando classificados na categoria de menor preocupação da Lista Vermelha da IUCN. A tendência populacional atual é de crescimento.

Fontes

COYOTE. Texas Parks and Wildlife. Espécies. Department. Disponível em: https://tpwd.texas.gov/huntwild/wild/species/coyote/

KAYS, R. Canis latrans (errata version published in 2020). The IUCN Red List of Threatened Species, 2018. DOI: T3745A163508579. Disponível em: https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2018-2.RLTS.T3745A163508579.en

TOKAR, E. Canis latrans (on-line). Animal Diversity Web, 2001. Disponível em: https://animaldiversity.org/accounts/Canis_latrans/

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Coiote"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/animais/coiote.htm. Acesso em 29 de fevereiro de 2024.

De estudante para estudante