Topo
pesquisar

A nível de ou em nível de?

Gramática

PUBLICIDADE

É muito comum, principalmente em linguagem informal, a expressão “a nível de”.
Contudo, seu emprego não é aceito pelos gramáticos, bem como de outra expressão: “em nível de”.

Na linguagem coloquial, as construções citadas acima têm significado aproximado de outras locuções, como “em âmbito”, “em termos de status”. Contudo, é melhor que o falante use palavras de sentidos indiscutíveis, para que não sofra constrangimentos em determinados ambientes sociais.

Então, quando for dizer orações do tipo: “Em (A) nível de capital, a Itália está praticamente falida.”, prefira dizer: “A Itália está praticamente falida, pois não tem capital.”

Porém, o uso de “a nível de” está correto quando a preposição “a” está aliada ao artigo “o” e significa “à mesma altura”:

a) Não posso dizer que quem mata está ao nível de pessoas que roubam, no que diz respeito às consequências.
b) Hoje, Florianópolis acordou ao nível do mar.
 

Da mesma forma, a expressão "em nível de" está empregada corretamente quando equivale a "de âmbito" ou "com status de":

a) A pesquisa será realizada em nível nacional.
b) A votação da nova lei federal será feita em nível de direção.
 

O importante é saber que as expressões "a nível de" e "em nível de" não estão erradas, mas são  refutadas pelos gramáticos, ou seja, pela norma culta da língua. Há sim um exagero e o uso equivocado de tais locuções que já tomaram o lugar de outras como: "com relação", no âmbito", "em relação a", "no que concerne", "quanto a", dentre outras. Esse fato não é bom, pois delimita a língua portuguesa, que é vasta, versátil e rica em vocabulário!
 

Por Sabrina Vilarinho
Graduada em Letras
 

Veja mais!

Anexo ou em anexo - Saiba mais sobre o uso correto do termo e expressão!

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VILARINHO, Sabrina. "A nível de ou em nível de? "; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/gramatica/a-nivel-ou-nivel-de.htm>. Acesso em 30 de agosto de 2016.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA