Topo
pesquisar

Cúrcuma

Saúde e Bem-estar

A cúrcuma, muito utilizada como condimento, é uma planta que apresenta uma série de propriedades farmacológicas que podem trazer muitos benefícios à saúde.
A cúrcuma é um corante natural muito utilizado como condimento.
A cúrcuma é um corante natural muito utilizado como condimento.
PUBLICIDADE

A cúrcuma é uma planta bastante conhecida mundialmente em virtude de suas propriedades medicinais e de seu uso culinário. É também chamada de açafrão da terra, açafrão da Índia, açafrão, açafroa, mangarataia e gengibre dourado. Conhecida no mercado internacional como turmeric, a cúrcuma é também utilizada em produtos de perfumaria e têxteis.

Leia também: O que são fitoterápicos?

Características da cúrcuma

A cúrcuma (Curcuma longa) é uma planta da família Zingiberaceae, mesma família do gengibre. Originária da Índia e do sudeste da Ásia, essa planta, muitas vezes, é confundida com a Crocus sativus, que é conhecida também como açafrão e açafrão verdadeiro.

A confusão está no fato de que as duas plantas possuem a propriedade de pigmentar da cor amarela, entretanto, o açafrão verdadeiro possui aroma mais intenso e cor mais vibrante. Além disso, o açafrão verdadeiro é bastante valorizado, com valor em torno de 70 reais o grama.

Desenho da cúrcuma
A cúrcuma é uma planta herbácea e perene.

A cúrcuma é uma planta herbácea e perene (folhas não caem) e atinge cerca de 150 centímetros de altura. Suas folhas são grandes, longas e, quando amassadas, liberam um odor característico.

Essa planta possui rizoma (tipo de caule), porção de grande interesse econômico. Essa estrutura é rica em corante curcumina e em óleos essenciais e apresenta coloração amarelo avermelhada. Suas flores são amarelas ou brancas, possuem cheiro agradável e ficam dispostas em uma espiga.

A reprodução da cúrcuma é feita por meio dos rizomas (propagação vegetativa). Geralmente, coloca-se um rizoma recém-brotado na cova. Essa planta foi introduzida no Brasil na década de 80 e é muito cultivada em regiões tropicais e subtropicais.

Benefícios da cúrcuma

A cúrcuma é uma planta medicinal utilizada tradicionalmente na medicina Ayurveda (medicina desenvolvida na Índia) há cerca de 6000 anos. É indicada para problemas como resfriados, sinusites, infecções bacterianas, alterações no fígado, diabetes, lesões, anorexia e reumatismo.

Rizoma da cúrcuma
O rizoma da cúrcuma apresenta importantes princípios ativos benéficos à saúde.

Atualmente, sabe-se que a cúrcuma apresenta uma série de propriedades farmacológicas importantes. Entre elas, destacam-se as ações:

  • antioxidante;

  • anti-inflamatória;

  • antibacteriana;

  • antidiarreica;

  • antiescorbútica;

  • antiespasmódica;

  • antifúngica;

  • antiparasitária;

  • antitumoral;

  • antiviral;

  • diurética;

  • hepatoprotetora;

  • neuroprotetora;

  • redutora dos níveis de colesterol;

  • sedativa.

Alguns trabalhos sugerem ainda que a cúrcuma apresenta efeitos neuroprotetores no tratamento da doença de Parkinson e Alzheimer, além de ajudar no combate de alguns tipos de câncer. Entretanto, pesquisas ainda estão sendo realizadas a fim de confirmar esses efeitos e analisar as doses adequadas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como usar a cúrcuma?

Uso da cúrcuma
A cúrcuma pode ser utilizada de diferentes formas.

A cúrcuma pode ser utilizada de diferentes formas, podendo ser empregada no tratamento de vários problemas de saúde.

Algumas formas de utilização dessa planta são: decocção (fervura) do rizoma, infusão, tintura (tipo de preparação em que se utiliza álcool e uma determinada planta medicinal), pó micronizado, extrato seco, extrato padronizado e extrato fluido. A forma de uso recomendada vai depender de cada tratamento.

Leia também: O que é natural não faz mal?

Não podemos esquecer ainda que a cúrcuma é utilizada como condimento, podendo ser utilizada, por exemplo, em molhos, carne vermelha e branca, no arroz e em caldos. O sabor da cúrcuma é levemente picante.

Contraindicações no uso da cúrcuma

A cúrcuma é um produto que apresenta baixa toxicidade, não causando danos quando utilizada em doses de até 10 g/dia. Apesar de não causar grandes danos, o uso da cúrcuma apresenta algumas contraindicações.

Pessoas que possuem úlceras gástricas ou que apresentam histórico do problema não devem fazer uso prolongado da cúrcuma. Além disso, pessoas que apresentam sensibilidade ou alergia à curcumina, obstrução de ductos biliares, distúrbios hemorrágicos ou que usam medicamentos que alteram o processo de coagulação não devem fazer uso da cúrcuma.

Como também pode induzir ao aborto, a cúrcuma não deve ser utilizada por grávidas. Seu uso também não é adequado para lactantes e crianças.

Leia também: Riscos do uso da buchinha-do-norte como abortivo

Curcuma longa
A cúrcuma não deve ser utilizada por mulheres grávidas.

Além das contraindicações, é importante ficar atento à interações medicamentosas. Por apresentar atividade anticoagulante, o uso da cúrcuma juntamente com anticoagulantes, por exemplo, pode levar a hemorragias. Além disso, apresenta interação com alguns anti-inflamatórios, imunossupressores e medicamentos, como irinotecán e cotrimoxazol.

Desse modo, é importante sempre analisar os fármacos que estão sendo utilizados antes de fazer uso da cúrcuma ou de qualquer outro medicamento. Essas informações podem ser vistas na bula dos remédios.

ATENÇÃO: Não use nenhum produto sem antes consultar um médico. Apesar de a cúrcuma ser natural, sua ingestão em quantidade inadequada pode causar danos à saúde e até mesmo prejudicar o tratamento de outras doenças.


Por Me. Vanessa Sardinha

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Cúrcuma"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/saude/curcuma.htm>. Acesso em 18 de janeiro de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola