Topo
pesquisar

Colostomia

Saúde e Bem-estar

Colostomia é a exteriorização no abdome de uma porção do intestino grosso e tem por finalidade garantir um novo trajeto para eliminação das fezes.
A colostomia visa a construir um novo trajeto para a saída de fezes.
A colostomia visa a construir um novo trajeto para a saída de fezes.
PUBLICIDADE

Colostomia é uma exteriorização no abdome de uma parte do intestino grosso com a finalidade de construir um novo trajeto para a saída de fezes. Essa exteriorização é feita de maneira cirúrgica, e, após a cirurgia, o indivíduo que passou pelo procedimento deverá utilizar uma bolsa coletora, uma vez que não é mais capaz de controlar a eliminação fecal.

De acordo com a parte do intestino grosso que for exteriorizada, a colostomia pode ser classificada em:

  • Colostomia ascendente: cirurgia realizada na parte ascendente do cólon.

  • Colostomia transversa: cirurgia realizada na parte transversa do cólon.

  • Colostomia descendente: cirurgia realizada na parte descendente do cólon.

Observe acima as principais partes do intestino e entenda em qual delas cada colostomia é realizada.
Observe acima as principais partes do intestino e entenda em qual delas cada colostomia é realizada.

Ostomia

Ostomia é a cirurgia que garante a comunicação entre um órgão interno e o meio externo. Ostomia intestinal é a cirurgia feita para a saída de fezes. Já urostomia é a cirurgia feita para a saída de urina.

Colostomia e ileostomia

Na colostomia, é feita uma ostomia na região do intestino grosso.
Na colostomia, é feita uma ostomia na região do intestino grosso.

Colostomia é a ostomia intestinal realizada no intestino grosso. Já ileostomia é a ostomia realizada no intestino delgado. Ambos os processos afetam a frequência de eliminação de fezes e a consistência delas. Na ileostomia, observa-se que, inicialmente, as fezes são eliminadas na forma líquida, passando, posteriormente, para uma textura pastosa. Na colostomia, as fezes apresentam-se de maneira semilíquida e, posteriormente, pastosa. Na colostomia descendente, as fezes poderão ser eliminadas na forma sólida, semelhante àquelas eliminadas normalmente pelo ânus.

Indicações para colostomia

As indicações para a colostomia são variadas. Esse processo é realizado quando o paciente apresenta um problema que impede a correta eliminação das fezes pelo ânus. Entre as indicações para a realização desse procedimento estão patologias crônicas, como doença de Chagas, doença de Chron e câncer. Além disso, a colostomia pode ser feita quando se faz uma cirurgia no intestino e deve-se, por isso, evitar a passagem de fezes pelo local até sua cicatrização.

Leia também: Câncer colorretal

Colostomia definitiva

O estoma, abertura feita na parede abdominal no processo de colostomia, pode ser temporário ou permanente. O temporário é aquele realizado para tratar um problema transitório no intestino, como após uma cirurgia para retirada de um tumor intestinal. Já o permanente é aquele realizado quando não é mais possível recuperar a função normal do intestino.

Bolsa de colostomia

A bolsa de colostomia é uma bolsa coletora que visa a captar as fezes produzidas pelo indivíduo que passou pela cirurgia de colostomia. Após a cirurgia, o paciente é incapaz de controlar a eliminação das fezes, necessitando, portanto, desse dispositivo.

A bolsa de colostomia coleta, após a cirurgia de colostomia, as fezes do indivíduo.
A bolsa de colostomia coleta, após a cirurgia de colostomia, as fezes do indivíduo.

As bolsas intestinais podem ser:

  • Abertas: podem ser esvaziadas.

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Fechadas: descartáveis após o uso.

  • Uma peça: a bolsa coletora e a barreira que protege a pele estão em uma única peça.

  • Duas peças: a bolsa e a barreira que protege a pele estão separadas.

O médico indicará a bolsa correta ao paciente e fornecerá informações a respeito dos cuidados que se deve ter com a bolsa. É importante conferir o tamanho do orifício da bolsa, uma vez que ele deve ser do mesmo tamanho ou, no máximo, 3 milímetros maior que a abertura feita na parede abdominal (estoma) no processo de colostomia.

Cuidados com a bolsa de colostomia

As bolsas para colostomia devem ser esvaziadas sempre que necessário, sendo comum seu esvaziamento de uma a duas vezes por dia. Durante o banho, é importante proteger a bolsa, sendo recomendado utilizar plástico e fita adesiva. As bolsas reservas devem ser guardadas em local arejado, limpo, seco e longe da luz solar.

Cuidados com o estoma

O estoma (abertura feita na parede abdominal no processo de colostomia) merece atenção, assim como a bolsa de colostomia. Entre os cuidados, destaca-se realização de limpeza da área, a qual deve ser feita delicadamente, nunca esfregando o local. A limpeza da pele ao redor do estoma deve ser feita usando água e sabonete neutro, não sendo também necessário esfregar. É recomendado também, sempre que possível, expor a pele ao redor do estoma ao sol da manhã, lembrando-se sempre de, nessa ocasião, tampar o estoma com gaze úmida.

O estoma deve ser sempre limpo, assim como a pele em sua volta.
O estoma deve ser sempre limpo, assim como a pele em sua volta.

É importante sempre observar a cor do estoma, que, geralmente, apresenta-se vermelho ou rosa vivo, a umidade, o tamanho, o formato e a presença de muco. Se forem observadas alterações ou se houver sangramentos, é essencial procurar, imediatamente, um médico.

Alimentação após colostomia

Após a colostomia, é necessário ter atenção à alimentação. Alguns alimentos podem causar gases, amolecimento das fezes ou, até mesmo, prisão de ventre. Desse modo, é fundamental comer pequenas porções e observar como o organismo reage a cada tipo de comida. Entre os alimentos que merecem destaque estão os ovos e o feijão, que causam gases, verduras e bagaço de laranja, que amolecem as fezes, e batata e banana-prata, que provocam prisão de ventre.

Leia também: Recomendações para uma alimentação saudável

Atividades físicas após colostomia

As atividades físicas podem ser realizadas após a realização da colostomia, entretanto, é importante evitar levantamento de peso excessivo e esportes nos quais pode haver choque entre pessoas, como futebol. O médico indicará as atividades mais recomendadas para cada caso e quando elas poderão ser iniciadas.

Vida sexual após colostomia

Após a realização da colostomia, o paciente poderá ter vida sexual normal. É importante, nesses casos, sempre conversar com o parceiro a fim de se manter mais seguro no momento da atividade sexual. É recomendado que, antes da relação, a bolsa seja esvaziada e que se usem faixas para deixar a bolsa mais segura e, até mesmo, menos visível durante o ato sexual.

Por Me. Vanessa Sardinha dos Santos

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Colostomia"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/saude/colostomia.htm>. Acesso em 20 de maio de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola