Topo
pesquisar

A polêmica proibição da venda de doces em escolas

Saúde na escola

A proibição da venda de doces e de outros alimentos pouco saudáveis em escolas pode ser essencial para promover uma alimentação saudável entre crianças e adolescentes.
Os doces são alimentos que, em excesso, podem desencadear obesidade
Os doces são alimentos que, em excesso, podem desencadear obesidade
PUBLICIDADE

Em muitos lugares do nosso país, a venda de doces em cantinas escolares é proibida, assim como frituras, refrigerantes e biscoitos recheados. Essa proibição pode não agradar muito aos alunos e até mesmo os pais, mas saiba que ela tem, sim, sua importância.

O exemplo do Distrito Federal

No Distrito Federal (DF), por exemplo, a legislação determina que as cantinas de escolas públicas e privadas não podem comercializar produtos como balas, pirulitos, gomas de mascar, biscoitos, chocolates, confeitos em geral, refrigerantes, bebidas achocolatadas, frituras e pipoca com corante artificial. No DF, essa proibição estende-se também a comércios que ficam a uma faixa de 50 metros da escola.

A legislação do DF determina ainda que as cantinas devem oferecer opções de frutas e alimentos saudáveis. Sucos naturais ou de polpa, iogurtes, vitaminas, sanduíches naturais sem maionese, bolos de frutas, salgados assados, biscoitos integrais e barras de cereais sem chocolate são os produtos permitidos e recomendados.

Observa-se, portanto, que a lei visa modificar a alimentação dos alunos, procurando estimular o consumo de produtos mais saudáveis, pelo menos durante o horário escolar. Com isso, espera-se que os hábitos alimentares de crianças e adolescentes sejam melhorados.

Essa lei é realmente necessária?

Infelizmente, o que vemos hoje em nosso país é um aumento crescente da obesidade e, consequentemente, de doenças relacionadas a esse problema, como diabetes e problemas vasculares. Estima-se que uma em cada três crianças brasileiras, com idade compreendida entre 5 anos e 9 anos, esteja acima do peso.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A obesidade, apesar de estar relacionada a fatores genéticos, também está ligada ao sedentarismo e a uma alimentação inadequada. Como é dever do Estado zelar pela saúde da população, e a escola tem como um de seus papéis a promoção da saúde, a criação dessas leis é completamente justificada.

Apesar de sofrer duras críticas, as leis que proíbem a venda de alimentos não saudáveis em cantinas escolares devem ser encaradas como uma forma de educar melhor nossas crianças sobre hábitos alimentares saudáveis. Essas medidas são essenciais para evitar que elas tornem-se adultos com doenças graves que podem até mesmo levar à morte.

Devemos ter em mente que nossos jovens estão levando uma vida cada vez menos saudável, e que isso refletirá na vida adulta. Portanto, do que adianta explicar às crianças que, para ter uma alimentação saudável, deve-se reduzir o consumo de frituras e doces e oferecer a elas esse tipo de alimento no intervalo das aulas?

Por Ma. Vanessa Sardinha dos Santos

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "A polêmica proibição da venda de doces em escolas"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/saude-na-escola/a-polemica-proibicao-venda-doces-escolas.htm>. Acesso em 19 de setembro de 2018.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA