Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Cometa Halley

O cometa Halley, que apareceu pela última vez em 1986, foi assim chamado em homenagem a Edmond Halley, astrônomo britânico que determinou a periodicidade desse corpo celeste.

Aparição do cometa Halley registrada pela Nasa no ano de 1986.
O cometa Halley foi descoberto pelo astrônomo inglês Edmond Halley no século XVIII, sendo o primeiro cometa periódico classificado como tal.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O cometa Halley é um cometa periódico que faz a sua passagem pelo planeta Terra a cada 76 anos em média. Foi o astrônomo britânico Edmond Halley (1656-1742) quem primeiro identificou essa propriedade do cometa e previu corretamente a próxima data de retorno, motivos que levaram à nomeação do cometa em sua homenagem. A última aparição do cometa Halley aconteceu no ano de 1986, quando ele esteve a 63 milhões de quilômetros de distância da Terra. Segundo a Nasa, o Halley estará mais uma vez visível nos céus no ano de 2061.

Leia também: Estrela de nêutrons — o corpo celeste que surge da morte de estrelas massivas

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o cometa Halley

  • O cometa Halley, oficialmente 1P/Halley, é um cometa periódico cuja órbita em torno do Sol tem duração média de 76 anos.

  • Sua periodicidade foi descoberta pelo astrônomo britânico Edmond Halley no século XVIII.

  • Há registros de avistamento do cometa Halley desde, pelo menos, o século II a.C.

  • Apresenta núcleo rochoso, com 15 quilômetros de comprimento e 8 de altura e largura.

  • Reflete somente 3% da luminosidade que recebe do Sol.

  • Os fragmentos rochosos que se separam do cometa Halley formam chuvas de meteoros conhecidas como Eta Aquáridas e Oriônidas.

  • A última aparição do cometa Halley aconteceu em 1986. Essa passagem proporcionou novos estudos e descobertas acerca do comportamento e estrutura do cometa.

  • Sua próxima aparição acontecerá no ano de 2061.

Qual foi a última aparição do cometa Halley?

A última aparição do cometa Halley aconteceu no ano de 1986. A partir do final de 1985, o cometa já se encontrava muito próximo do planeta Terra, e essa maior aproximação aconteceu entre fevereiro e abril de 1986. De acordo com dados da Nasa, o cometa Halley esteve a 63 milhões de quilômetros de distância da Terra no mês de abril daquele ano e foi observado principalmente nas terras do Hemisfério Sul.

Imagem do cometa Halley feita pela sonda Giotto, da ESA, durante a sua passagem próximo da Terra em 1986. [1]
Imagem do cometa Halley feita pela sonda Giotto, da ESA, durante a sua passagem próximo da Terra em 1986. [1]

Essa passagem foi uma grande oportunidade para que os astrônomos e as agências espaciais de todo o mundo pudessem observar e estudar o cometa Halley mais de “perto”, o que representou um marco na ciência astronômica. A sonda Giotto, da ESA, foi o veículo que mais conseguiu se aproximar do núcleo do cometa e produzir imagens da sua superfície.

Quando será a próxima aparição do cometa Halley?

A próxima aparição do cometa Halley acontecerá no ano de 2061. De acordo com a Nasa, o cometa atingirá o ponto mais próximo do Sol no dia 27 de julho de 2061.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características do cometa Halley

Oficialmente conhecido como 1P/Halley, o cometa Halley é o cometa mais famoso da história da Astronomia. O núcleo desse corpo celeste possui dimensões de 15 km por 8 km, sendo aproximadamente dez vezes menor do que o cometa Bernardinelli-Bernstein, um dos maiores já identificados. Além disso, o núcleo do cometa Halley tem densidade de cerca de 0,6g/cm³, o que indica a presença de uma estrutura sólida e que pode apresentar poros no seu interior.

Apesar de receber luz solar, o cometa Halley reflete apenas 3% de toda a luminosidade que o intercepta. Por essa razão, a Nasa caracteriza esse corpo celeste como um dos mais escuros ou menos reflexivos do Sistema Solar.

Diferentemente de outros cometas, o Halley desempenha uma órbita regular e bem definida em torno do Sol, com circunferência de 12,2 bilhões de quilômetros. O período orbital do cometa Halley é de 76 anos em média, tendo variado entre 74,4 e 79,2 anos ao longo da sua história conhecida. É nos momentos em que ele está mais próximo do Sol (periélio) que conseguimos observar a sua presença da superfície da Terra.

É justamente por esse movimento orbital e pelas aparições em um intervalo regular de tempo que o cometa Halley é classificado como um cometa periódico. Essa característica está indicada em seu nome oficial pela letra P.

Chuva de meteoros Eta Aquarids provocada pelo cometa Halley e observada no estado da Califórnia (Estados Unidos).
Chuva de meteoros Eta Aquarids provocada pelo cometa Halley e observada no estado da Califórnia (Estados Unidos).

O retorno do cometa Halley para a região interna do Sistema Solar provoca chuva de meteoros, um fenômeno que acontece em função da perda de material como fragmentos de rocha e de gelo do núcleo do cometa. As chuvas de meteoro provocadas pelo cometa Halley acontecem duas vezes ao ano:

  • Eta Aquáridas: acontece entre abril e maio. No seu auge, registrado em maio, é possível contar de 10 a 30 meteoros por hora.

  • Oriônidas: acontece entre setembro e novembro, com pico de meteoros em outubro. A contagem chega a 15 meteoros por hora.

Veja também: Via Láctea — a galáxia em que está localizado o Sistema Solar

História do cometa Halley

O cometa Halley é visível nos céus desde o século III a.C. Segundo a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês), a primeira aparição desse corpo celeste aconteceu no ano de 239 a.C. Diversos outros estudos produzidos por astrônomos chineses e de outras partes do mundo indicam a observação do cometa Halley em períodos distintos da Antiguidade, como aconteceu em 466 a.C., 164 a.C. e no ano de 87 da era comum. Civilizações como os babilônios chegaram a registrar o avistamento do que, séculos mais tarde, foi identificado como sendo o cometa Halley.

Na Idade Média e no início da Idade Moderna, também houve a aparição do cometa Halley, o que foi gravado em artes de tapeçaria, na pintura, na literatura e em diferentes estudos astronômicos. No entanto, até o século XVIII, havia a crença de que se tratavam de corpos celestes distintos e, portanto, casos isolados.

Retrato de Edmond Halley, o primeiro astrônomo a identificar a periodicidade do cometa Halley.
Edmond Halley, primeiro astrônomo a identificar a periodicidade do cometa Halley e a prever corretamente o seu retorno.

Foi em 1705, com o astrônomo britânico Edmond Halley (1656-1742), que a percepção acerca do comportamento desse cometa e o entendimento sobre esses astros se transformou. Halley se baseou nas teorias do movimento dos planetas e da gravitação, de Isaac Newton, para calcular a órbita de cometas que teriam aparecido em momentos distintos da história (1531, 1607 e 1682), propondo que não se tratava de corpos distintos, mas sim de um único cometa. Além disso, Edmond Halley indicou que o cometa em questão faria uma nova aparição no ano de 1758, exatamente 76 anos após a sua última passagem pela Terra.

A teoria do astrônomo se confirmou no ano indicado, revolucionando a ciência astronômica. O cometa foi batizado em sua homenagem, tendo sido o primeiro cometa periódico a ser assim classificado. Com a descoberta, foi possível fazer a identificação de outros cometas com as mesmas características do Halley, além de prever novas passagens desse que se tornou o cometa mais famoso da história.

Cometa Halley no Brasil

O Brasil foi um dos países de onde era possível observar o cometa Halley em sua última aparição. De modo geral, esse corpo celeste foi melhor visualizado no Hemisfério Sul do que no Hemisfério Norte, e muitos astrônomos e amantes da Astronomia viajaram para essa região do planeta para melhor aproveitarem a passagem do Halley.

No Brasil, o cometa Halley apareceu mais brilhante no mês de abril. Ainda assim, o período em que pôde ser melhor observado foi durante a madrugada. Além disso, a poluição atmosférica e as luzes das cidades impediram a observação do cometa em muitos locais, tornando a experiência bastante frustrante para uma parte da população.

Curiosidades sobre o cometa Halley

Representação do cometa Halley na Tapeçaria de Bayeux, datada da Idade Média. [2]
Representação do cometa Halley na Tapeçaria de Bayeux, datada da Idade Média. [2]
  • Apresenta massa de 2,2 x 1014 kg, valor esse que tem diminuído com o passar do tempo. A redução da massa acontece porque o cometa Halley perde de 1 a 3 metros de material do seu núcleo a cada órbita completa em torno do Sol.

  • Em um dos pontos mais distantes do Sol (afélio), o cometa Halley passou atrás do planeta Netuno. Isso aconteceu no ano de 1948, quando se distanciou 5,27 bilhões de quilômetros da estrela.

  • Realiza órbita retrógrada, no sentido contrário ao movimento de translação da Terra e dos demais planetas, tendo ainda uma inclinação de 18° com relação ao Sol.

  • A velocidade com que se move é variável. No seu ponto mais distante do Sol, o cometa Halley se desloca a aproximadamente 0,6 km/s. Já no periélio registrado em 1986, a velocidade era de 54,55 km/s, segundo a NASA.

  • O ano de 2023 marca, novamente, o afélio do cometa Halley e seu movimento de retorno para mais próximo do Sol, chegando ao ponto de menor distância em 2061.

  • Uma pessoa pode ver o cometa Halley nos céus até duas vezes durante a sua vida.

  • O cometa Halley aparece representado na Tapeçaria de Bayeux, produzida na Inglaterra durante do século XI. A cena retratada é da passagem do cometa no ano de 1066 e antecede a invasão da Inglaterra por Guilherme I, mais conhecido como Guilherme, o Conquistador.

Créditos de imagem

[1] ESA / MPS / Wikimedia Commons (reprodução)

[2] jorisvo / Shutterstock

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia

Escritor do artigo
Escrito por: Paloma Guitarrara Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e mestre em Geografia na área de Análise Ambiental e Dinâmica Territorial também pela UNICAMP. Atuo como professora de Geografia e Atualidades e redatora de textos didáticos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

GUITARRARA, Paloma. "Cometa Halley"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/cometa-halley.htm. Acesso em 22 de maio de 2024.

De estudante para estudante