Topo
pesquisar

Diferenças entre carvão vegetal e carvão mineral

Geografia

Podemos encontrar na natureza dois tipos de carvão: o vegetal e o mineral. Contudo, essas substâncias são muito diferentes em relação à sua formação e composição.
Existem na natureza o carvão vegetal e o carvão mineral, que são formados por meio de processos diferentes.
Existem na natureza o carvão vegetal e o carvão mineral, que são formados por meio de processos diferentes.
PUBLICIDADE

Você sabia que existem dois tipos básicos de carvão? São eles o carvão vegetal e o carvão mineral, que se diferem de diversas formas, como na origem, no processo de formação, na composição e até mesmo no seu uso. Vamos, então, descobrir quais são as principais diferenças dessas substâncias?

Diferenças entre o carvão vegetal e mineral

O carvão vegetal é um produto obtido por meio da carbonização da biomassa proveniente da madeira. A queima tem como resultado uma substância negra utilizada como fonte de energia. O carvão vegetal é pouco utilizado mundialmente, com exceção do Brasil que é o maior produtor do mundo. É utilizado na indústria, especialmente em siderúrgicas e metalúrgicas, além disso, é usado como combustível em lareiras, churrasqueiras e fogões à lenha.

Já o carvão mineral corresponde a uma rocha sedimentar formada por meio da decomposição da matéria orgânica. Quando essa matéria orgânica é depositada, soterrada e compactada passa a sofrer a ação das bactérias em condições específicas de pressão e temperatura. Com o passar do tempo, forma-se, nesses depósitos, o combustível de cor negra ou marrom.

É bastante utilizado nas diversas regiões do planeta, sendo a fonte de energia mais utilizada para geração de energia elétrica, segundo dados da Internacional Energy Agency (IEA), e o mais abundante combustível fóssil na natureza.

Ambos os combustíveis podem ser utilizados na indústria e também na produção de energia elétrica, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A qualidade do carvão é medida segundo seu poder calorífico, ou seja, a sua capacidade de produzir calor. Essa característica está relacionada com a quantidade de carbono que constitui o carvão, bem como pela quantidade de impurezas presentes nele.

O carvão vegetal, de acordo com a Aneel, possui baixo poder calorífico, ao passo que há uma enorme concentração de impurezas. Já em relação ao carvão mineral, o poder calorífico, assim como a concentração de impurezas é variável, fazendo, então, com que o mineral seja classificado em duas categorias: os de baixa qualidade e os de alta qualidade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Veja também: O que são fontes de energia?

Vantagens e desvantagens

Carvão vegetal

Vantagens

Desvantagens

É uma fonte de energia renovável, pouco poluente, não contribuindo, assim, para o agravamento do efeito estufa, exceto quando a sua produção é feita de forma rudimentar, em fornos fabricados com tijolos capazes de emitir muitos gases poluentes à atmosfera.

Apesar de ser uma fonte renovável de energia, o carvão vegetal ainda é produzido por meio de vegetação nativa e não por reflorestamento. Essa forma de produção aumenta o desmatamento.

Possui uso medicinal para tratamento de doenças como tumores, úlceras, dores estomacais, aftas, mau hálito, intoxicações e gases intestinais.

Sua capacidade de produzir calor é reduzida quando comparada ao carvão mineral.

Em virtude da sua capacidade de absorver impurezas e por ser um condutor de oxigênio, é considerado um eliminador de toxinas. Foi utilizado no período da Segunda Guerra Mundial para a remoção de gases de alta toxicidade.

O uso de carvão vegetal do tipo ativado para fins medicinais deve ser por meio de orientação médica, visto os possíveis efeitos colaterais que pode causar como: diarreia, prisão de ventre, fezes escuras e vômitos.

Carvão mineral

                   Vantagens                             

Desvantagens

Em comparação ao carvão vegetal, o carvão mineral apresenta maior eficiência energética por causa de sua capacidade de produzir calor.

 

O carvão mineral é o combustível fóssil mais poluente do mundo. Prejudica o meio ambiente desde a sua extração até a produção de subprodutos por meio da combustão.

 

É capaz de produzir quantidades significativas de energia por unidade de peso.

É uma fonte de energia não renovável, podendo, então, esgotar-se ao longo dos anos.

Abundante em todas as regiões do planeta, o carvão mineral é de fácil localização.

O processo de combustão do carvão mineral provoca emissão de gases poluentes à atmosfera e agrava o efeito estufa.

Possui o melhor custo-benefício quando comparado a fontes de alternativas de energia.

Por conta de sua facilidade de inflamar, seu armazenamento deve ser feito com cuidado a fim de evitar explosões.


Leia também: Gases do efeito estufa

Produção de carvão vegetal no Brasil

O Brasil é, segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o maior produtor mundial de carvão vegetal e também um dos maiores consumidores. No ano de 2015, o país produziu cerca de 6,2 milhões de toneladas, o que corresponde a 12% da produção mundial.

O carvão vegetal é obtido a partir da queima ou carbonização de madeira.
O carvão vegetal é obtido a partir da queima ou carbonização de madeira.

A obtenção do carvão vegetal no Brasil provém 90% da carbonização da madeira e esse combustível é bastante utilizado pelo setor industrial, especialmente o setor de metalurgia. O carvão vegetal no país também é responsável por 30% da produção de ferro-gusa (utilizado na fabricação de veículos, máquinas, navios, cabos).

Oito estados brasileiros são responsáveis pela produção de carvão vegetal, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. No ano de 2015, produziu-se no país mais de 6 milhões de toneladas provenientes da silvicultura (recuperação de florestas por meio do manejo agrícola) e da extração vegetal. Os estados que mais produzem carvão vegetal no Brasil são: Mato Grosso do Sul, Maranhão, Piauí, Bahia, Tocantins, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso.

Produção de carvão mineral no Brasil

As reservas de carvão mineral no Brasil ocupam o décimo lugar no ranking mundial, de acordo com dados publicados pela Aneel. O mineral encontra-se especialmente nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina em grandes quantidades, contudo apresenta baixo teor de carbono, ou seja, é considerado pobre em relação ao potencial energético e de baixa qualidade em virtude ao elevado teor de cinzas produzido.

O carvão mineral é uma rocha sedimentar formada pela decomposição de matéria orgânica.
O carvão mineral é uma rocha sedimentar formada pela decomposição de matéria orgânica.

O carvão mineral corresponde a cerca de 5% da matriz energética brasileira e 1,3% da matriz elétrica do país. É usado principalmente nas indústrias siderúrgicas. No ano de 2010, o país consumiu aproximadamente 20 milhões de toneladas e produziu um pouco mais de 13 milhões de toneladas. Segundo o Governo do Brasil, as reservas brasileiras são suficientes para atender mais de 500 anos da atual produção.

Por Rafaela Sousa
Graduada em Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUSA, Rafaela. "Diferenças entre carvão vegetal e carvão mineral"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/geografia/carvao-mineral.htm. Acesso em 22 de julho de 2019.

Lista de Exercícios
Questão 1

Como ocorre o processo de formação do carvão mineral?

Questão 2

Apesar da descoberta e desenvolvimento de outras fontes energéticas, o carvão mineral continua sendo bastante utilizado como fonte de energia. Qual a principal utilidade do carvão mineral?

Mais Questões
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola