Topo
pesquisar

Corrida Internacional de São Silvestre

Educação Física

A Corrida Internacional de São Silvestre tem 15 km, é a mais famosa do país e considerada a mais importante da América Latina.
Mais de 30 mil competidores participam da São Silvestre todos os anos.*
Mais de 30 mil competidores participam da São Silvestre todos os anos.*
PUBLICIDADE

Todos os anos, milhares de atletas do mundo inteiro desembarcam no Brasil para participar da tradicional Corrida Internacional de São Silvestre, que acontece sempre no dia 31 de dezembro. A corrida é a competição de rua mais famosa do país e a mais importante da América Latina. Mas para conquistar esse reconhecimento, ela passou por muitas mudanças nos seus mais de 90 anos de história.

Tudo começou em 1924, quando o jornalista Cásper Líbero, após o retorno de uma viagem à França, resolveu trazer ao Brasil uma corrida de rua semelhante a que havia conhecido no país europeu. Na França, conta-se que a competição era realizada à noite e os corredores carregavam tochas durante o percurso. No Brasil, Cásper Líbero fez diferente e, apesar de a competição ter tido seus primeiros anos com corrida noturna, os competidores não usavam as tochas.

Escolha do nome

Apesar de toda a tradição que a São Silvestre carrega, nem todo mundo sabe de onde veio a escolha do nome da competição. A referência vem da Igreja Católica, que, no dia 31 dezembro, comemora o Dia de São Silvestre. São Silvestre foi um papa católico que comandou a Igreja do dia 31 de janeiro de 314 d.C. ao dia 31 de dezembro de 335 d.C. Por esse motivo, a corrida foi batizada em homenagem a São Silvestre, o santo do dia.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Primeira corrida

Na primeira edição da São Silvestre, 60 competidores inscreveram-se, mas somente 48 pessoas participaram do percurso, e 37 delas classificaram-se. O trajeto era de oito quilômetros, e a largada foi dada em plena noite de Réveillon, em 31 de dezembro de 1924, nas ruas de São Paulo, marcando a virada do ano. O primeiro vencedor foi Alfredo Gomes.

Veja também: A primeira maratona do mundo

Inclusão das mulheres

Mulheres na São Silvestre
Mulheres durante a Corrida de São Silvestre**

Hoje, a São Silvestre é uma prova que agrega todas as classes e gêneros, diferentemente do que acontecia quando iniciou sua trajetória, permitindo somente a participação masculina nas corridas.

O ano de 1975 foi reconhecido, pela Organização das Nações Unidas (ONU), como o Ano Internacional da Mulher. A partir dessa data, a organização decidiu que as mulheres também passariam a ser parte integrante da competição. A primeira campeã foi a alemã Christia Valensieck, que repetiu o feito em 1976.

Nos primeiros anos, homens e mulheres participavam juntos da corrida e, posteriormente, tinham suas classificações separadas. Atualmente, os horários da largada são diferentes.

Maiores vencedores

Na categoria masculina, o Brasil é o país que lidera o ranking de títulos da São Silvestre, com 29 campeões. Em segundo lugar, está o Quênia, com 14 vencedores. Já na categoria feminina, o Quênia domina o ranking com 12 conquistas. O vice-líder é Portugal, com sete vitórias.

Em vitórias individuais, a portuguesa Rosa Mota é recordista de títulos, foi hexacampeã consecutiva de 1981 a 1986. O queniano Paul Tergat domina as conquistas da prova masculina. Ele foi o mais veloz em cinco edições da São Silvestre (1995, 1996, 1998, 1999 e 2000).

O maior campeão brasileiro é atleta Marilson Gomes dos Santos, que venceu a São Silvestre três vezes (2003, 2005 e 2010).

Acessibilidade

Cadeirante na São Silvestre
Cadeirante disputa Corrida de São Silvestre***

Aberta para diversos públicos, pessoas portadoras de deficiências (deficientes visuais, amputados de membros inferiores, deficientes andantes de membros inferiores, deficientes intelectuais, deficientes de membros superiores, deficientes auditivos, cadeirantes com guias) também podem participar da prova.

Os atletas cadeirantes e portadores de outros tipos de deficiência têm largadas específicas na competição, e só depois é permitida a largada das elites feminina e masculina e do pelotão geral.

São Silvestrinha

A competição infantojuvenil nasceu em 1994, com o objetivo de despertar o interesse dos jovens pelo esporte, para a disciplina e para o exercício da cidadania.

A competição é disputada dias antes da prova adulta e permite a participação de competidores de 6 a 17 anos de idade. Os percursos variam de 50 m a 800 m, de acordo com cada categoria.

Mudanças na São Silvestre

Nos primeiros anos, o percurso da São Silvestre era de 8 km, os corredores não tinham muita experiência, e era proibido ingerir água durante a prova.

Realizada, em grande parte, pelo centro da cidade, a corrida já teve vários percursos e distâncias diferentes. Entre as mais variadas mudanças a que a prova foi submetida, em 1989, os organizadores definiram que a competição seria disputada durante o dia e que as provas masculina e feminina seriam separadas. Além disso, o sentido do percurso também foi invertido.

Dois anos depois, em 1991, para que a prova fosse reconhecida oficialmente, o percurso passou a ter 15 km de distância e, assim, a cumprir as exigências da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF). Com as mudanças, a Corrida de São Silvestre passou a fazer parte do calendário internacional de provas de rua.

Com a expansão da prova, em 1998, uma outra novidade chegou à competição. Dessa vez, a tecnologia começava a fazer parte da São Silvestre. Os chips de cronometragem passaram a ser utilizados pelos participantes.

Até a 20ª edição, era permitida apenas a participação de atletas brasileiros. Ao longo dos anos, a São Silvestre sofreu transformações e, em 1945, a prova ganhou as primeiras participações internacionais, com competidores vindos do Chile e Uruguai. A partir dai, conforme a São Silvestre cresceu, atletas profissionais do mundo inteiro começaram a se interessar pela prova, que atraiu competidores das Américas, Europa, África e Ásia. Com o número de corredores cada vez mais alto, a organização da prova também resolveu abrir as duas pistas da Avenida Paulista para a chegada.

Atualmente, cerca de 30 mil pessoas de diversos países participam da prova. No atual percurso, a competição tem largada no período da manhã, na Avenida Paulista com a Rua Augusta, e chegada na mesma Avenida Paulista, em frente ao Edifício Cásper Líbero, conforme o mapa abaixo:

Horários das largadas da São Silvestre

- Atletas Cadeirantes (feminino e masculino): 8h20

- Atletas com Deficiência (feminino e masculino): 9h

- Atletas de Elite A/B (feminino): 8h40

- Atletas de Elite A/B (masculino): 9h

- Atletas de Pelotão C (feminino e masculino): 9h

- Atletas Pelotão Geral (feminino e masculino): 9h

Como participar da São Silvestre

Quem deseja participar da maior corrida de rua do Brasil deve fazer a inscrição por meio do Site da São Silvestre, que geralmente abre as datas no mês de novembro. Os participantes também devem pagar uma taxa de inscrição, que varia de acordo com a categoria em que competirão. Os inscritos recebem, da organização do evento, um kit com número de peito e chip de cronometragem.

Premiação

Os atletas que alcançam uma colocação entre o 1º e 10º lugar também recebem uma premiação de incentivo por objetivo atingido, que passa por valores próximos de R$ 3 mil a R$ 90 mil.


_____________________
*Crédito de imagem: plopes / Shutterstock.com
** Crédito de imagem: Fernanda Paradizo / Shutterstock.com
***Crédito de imagem: Fernanda Paradizo / Shutterstock.com


Por Giullya Franco
Jornalista

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FRANCO, Giullya. "Corrida Internacional de São Silvestre"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/educacao-fisica/corrida-internacional-sao-silvestre.htm. Acesso em 24 de agosto de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola