Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Febre maculosa

Febre maculosa é uma doença grave que pode levar à morte. Ela é causada por uma bactéria que é transmitida por meio da picada de um carrapato contaminado.

Carrapatos do gênero Amblyomma, responsáveis por transmitir febre maculosa.
Carrapatos do gênero Amblyomma são responsáveis pela transmissão de bactérias causadoras de febre maculosa.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

A febre maculosa é uma doença causada por bactéria. Entre seus sintomas estão febre alta, dores no corpo e manchas na pele. Transmitida pela picada de um carrapato, essa grave doença pode levar à morte.

Tópicos deste artigo

Causas da febre maculosa

A febre maculosa é causada por bactérias do gênero Rickettsia. A febre maculosa brasileira é causada pela bactéria Rickettsia rickettsii, uma espiroqueta gram-negativa. Dizemos que a bactéria é uma espiroqueta quando ela possui formato helicoidal, e que é gram-negativa quando se cora de vermelho quando submetida à coloração de Gram.

Texto que apresenta forma de transmissão da febre maculosa

Transmissão da febre maculosa

As bactérias causadoras da febre maculosa circulam na natureza por meio de carrapatos, portanto estes são vetores da doença. Um carrapato contaminado pode transmitir febre maculosa e também passar a bactéria para seus descendentes, funcionando como um reservatório para a bactéria.

No Brasil, os carrapatos do gênero Amblyomma, principalmente o carrapato conhecido como carrapato estrela (Amblyomma cajennense), são os principais vetores da doença. Eles são encontrados em diferentes espécies de animais domésticos e silvestres, entre os quais podemos destacar as capivaras, gambás e equinos.

Capivara, animal que pode apresentar carrapatos contaminados com a bactéria causadora da febre maculosa
A capivara pode apresentar carrapatos contaminados com a bactéria causadora da febre maculosa

Os carrapatos infectam os animais e podem infectar o ser humano quando entram em contato com ele. Alguns autores afirmam que a transmissão da febre maculosa ocorre quando o carrapato fica aderido à pele por um período de 4 a 6 horas, outros autores, no entanto, afirmam que, para a transmissão, é necessário que o carrapato fique aderido de 6 a 10 horas.

Para se prevenir dessa doença, é importante evitar, portanto, locais que estão infestados por carrapatos. Deve-se adentrar locais suspeitos apenas com vestimentas adequadas, como roupas de mangas compridas, calçados e meias. É importante também sempre se observar seu corpo para verificar a presença de carrapatos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Sintomas da febre maculosa

A doença começa a se manifestar, em média, sete dias após a infecção. Seus sintomas são inespecíficos, o que dificulta muito o diagnóstico da doença e pode, consequentemente, levar a um diagnóstico tardio, aumentando, assim, as chances de morte. Vale salientar que sua gravidade é variável, existindo formas leves e graves da doença.

Entre os sintomas de febre maculosa, podemos destacar:

  • Febre alta

  • Dores musculares

  • Dor de cabeça

  • Mal-estar

  • Náusea e vômitos

  • Manchas vermelhas pelo corpo.

Nos casos mais graves da doença, podem ocorrer alguns problemas, como aumento do tamanho do fígado e do baço, insuficiência renal, inchaço das pernas, tosse, edema pulmonar, problemas neurológicos, como meningite, confusão mental e convulsões, e hemorragias. Caso o paciente não seja tratado de maneira adequada, pode ocorrer evolução do quadro para o coma profundo.

Leia também: Meningite

Diagnóstico e tratamento da febre maculosa

O diagnóstico da febre maculosa deve ser feito por meio de exames laboratoriais, uma vez que os sintomas da doença são inespecíficos. Entre os exames, podemos destacar as reações de imunofluorescência indireta, que é o método mais utilizado e caracteriza-se pela análise da presença de anticorpos específicos.

Assim que o médico suspeitar de febre maculosa, deve-se iniciar o tratamento, o qual se baseia no uso de antibióticos. O indicado pelo Ministério da Saúde é que não se espere confirmação laboratorial do caso para que o tratamento seja iniciado, uma vez que o sucesso do tratamento depende diretamente de seu início precoce. Em casos em que a doença não é tratada, sua letalidade chega a 80%.

Percebe-se, portanto, a necessidade de se procurar um médico assim que sintomas desagradáveis começarem a surgir em nosso corpo. O diagnóstico precoce pode evitar a morte no caso de febre maculosa e de várias outras doenças.

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Febre maculosa"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/febre-maculosa.htm. Acesso em 23 de fevereiro de 2024.

De estudante para estudante