Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Baço

O baço é um órgão do sistema linfático. Ele filtra microrganismos do sangue e produz células de defesa, atuando na proteção do organismo contra infecções.

Esquema ilustrativo do sistema linfático, com destaque para o baço.
Esquema ilustrativo do sistema linfático, com destaque para o baço.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O baço é o órgão de maior dimensão do sistema linfático, representando o principal acúmulo de tecido linfoide do organismo. Ele está localizado no lado esquerdo do abdômen, em proximidade com o estômago. Suas principais funções incluem a retenção e a eliminação de células sanguíneas danificadas e microrganismos, a produção de células de defesa (linfócitos) e anticorpos, e o armazenamento de sangue.

Embora desempenhe funções importantes, o baço não é considerado um órgão vital. Na presença de uma condição clínica que exige sua remoção, outros órgãos assumem suas funções. A ausência do baço, no entanto, implica cuidados adicionais à saúde, uma vez que a pessoa se torna mais suscetível ao desenvolvimento de infecções.

Leia também: Sistema endócrino — o sistema responsável por exercer várias funções no nosso corpo por meio da produção dos hormônios

Tópicos deste artigo

Resumo sobre o baço

  • O baço é um dos órgãos do sistema linfático.
  • Ele atua na defesa do organismo, produzindo linfócitos e anticorpos, além de filtrar microrganismos patogênicos presentes no sangue.
  • O baço está localizado no lado esquerdo do abdômen.
  • Esse órgão é envolto por uma cápsula de tecido conjuntivo denso, e seu interior é dividido em polpa branca e polpa vermelha.
  • É possível viver sem o baço, desde que sejam tomadas precauções para reduzir a suscetibilidade a infecções.
  • Alterações clínicas relacionadas ao baço geralmente estão associadas a doenças secundárias, e não diretamente ao próprio órgão.

Anatomia do baço

Esquema ilustrativo da anatomia do baço
Esquema ilustrativo da anatomia do baço. O interior desse órgão é dividido em polpa branca e polpa vermelha.

O baço é um órgão oval e esponjoso. Quando saudável, possui aproximadamente 11 cm de dimensão e pesa cerca de 150 gramas. Sendo assim, é o maior componente do sistema linfático, concentrando o maior conjunto de tecido linfoide.

O órgão é envolto por uma cápsula de tecido conjuntivo denso. Essa cápsula emite trabéculas (prolongamentos) que dividem o interior do baço (parênquima ou polpa esplênica) em compartimentos incompletos. Na superfície medial, o baço apresenta uma pequena saliência conhecida como hilo. Nesse local, a cápsula possui um maior número de trabéculas, pelas quais passam nervos, artérias e vasos linfáticos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O interior do baço é dividido em polpa branca e polpa vermelha, e contém fibras reticulares, macrófagos, hemácias, linfócitos, entre outras estruturas, em quantidade variável a depender da localização. Ao observar a superfície de corte do baço, é possível identificar pontos esbranquiçados, que correspondem à polpa branca. Essas regiões são formadas por tecido linfático e nódulos linfáticos, predominando linfócitos T e B. Essas células de defesa são produzidas e armazenadas na polpa branca.

Ao redor da polpa branca, encontra-se a polpa vermelha, uma região rica em sangue e composta por tecido conjuntivo, por fibras musculares e por estruturas denominadas cordões esplênicos ou de Billroth. Esses cordões são formados por uma rede de fibras reticulares e outras células, como macrófagos, leucócitos, hemácias (eritrócitos ou glóbulos vermelhos) e plaquetas. Nessa região, hemácias danificadas e microrganismos patogênicos são retidos e destruídos.

Localização do baço

O baço está localizado no lado esquerdo do abdômen, abaixo das costelas, e próximo ao estômago e ao pulmão. Ele faz parte do sistema linfático, constituído pelos órgãos linfáticos (nódulos linfáticos, linfonodos e baço), além de células livres, como linfócitos.

Ilustração indicando a localização do baço no corpo humano.
Localização do baço no corpo humano.

Funções do baço

O baço faz parte do sistema imunológico, sendo um importante órgão de defesa. Dessa forma, suas principais funções estão relacionadas à proteção e manutenção da saúde do organismo. Veja em detalhes as funções desse órgão:

  • Reservatório sanguíneo: aproximadamente 20% do estoque de sangue é retido no baço. Esse reservatório é acionado em casos de perda significativa de sangue pelo organismo, como em hemorragias decorrentes de acidentes.
  • Retenção e eliminação de células sanguíneas: o baço exerce um papel central na captura e eliminação de hemácias desgastadas ou danificadas ao filtrar o sangue. Nesse processo, ele retém elementos essenciais das hemácias capturadas, como o ferro, para utilizá-los na produção de novas células sanguíneas. Esses elementos são liberados novamente na corrente sanguínea, que chegará à medula óssea, local onde ocorre a produção de novas hemácias.
  • Produção de células: assim como outros órgãos linfáticos, o baço é responsável pela geração de linfócitos, que são liberados na corrente sanguínea e desempenham um papel fundamental na defesa do organismo. Durante a fase fetal, o baço também produz células sanguíneas, como as hemácias.
  • Filtro e barreira imunológicos: devido à presença de células fagocitárias e linfócitos no baço e ao contato direto entre o sangue e essas células, o baço desempenha um papel importante na defesa contra microrganismos que penetram na corrente sanguínea. Ele responde prontamente aos antígenos invasores, atuando como um filtro fagocitário e imunológico. Quando um desses invasores é detectado na corrente sanguínea, o baço, junto aos gânglios linfáticos, produz linfócitos, que, por sua vez, produzem anticorpos para impedir que o antígeno prolifere uma infecção. 

Veja também: Rins — os órgãos responsáveis pela formação da urina

O que causa as dores no baço?

As dores no baço geralmente são decorrentes de problemas sistêmicos ou secundários que afetam o corpo como um todo. Infecções, leucemia, doenças autoimunes e anemia são alguns exemplos de condições que podem comprometer a função do baço, sobrecarregando a produção de células sanguíneas e de defesa. Nessas situações, o baço pode aumentar e sofrer alterações em suas funções. Traumas físicos também podem levar a problemas no baço.

→ Principais alterações clínicas no baço

Veja a seguir as principais alterações clínicas no baço, nas quais se recomenda a remoção cirúrgica do baço por meio de um procedimento chamado esplenectomia.

◦ Esplenomegalia (baço aumentado)

Nessa condição, o baço aumenta, ocasionando dores e desconforto. A esplenomegalia é perigosa, pois o baço pode se romper ou sangrar. As causas do aumento do baço incluem: fibrose cística, cânceres sanguíneos (como leucemia e linfoma de Hodgkin), câncer metastático de outras partes do corpo, certos tipos de anemia, infecções (como sífilis, mononucleose e malária), coágulos sanguíneos no baço ou fígado e problemas no fígado (como cirrose).

Ilustração representando a esplenomegalia, a condição em que o baço aumenta de tamanho.
Na esplenomegalia, o baço aumenta consideravelmente, causando dores e desconforto.

◦ Asplenia funcional

Essa condição ocorre quando o baço não funciona adequadamente, podendo causar destruição excessiva de glóbulos vermelhos saudáveis. Isso aumenta o risco de infecções, hematomas e sangramentos. A asplenia funcional pode ser resultado de acidentes ou traumas que danificam o baço, doença celíaca ou doença falciforme.

◦ Baço danificado ou rompido

O baço pode se romper devido a lesões e traumas, como acidentes de carro ou golpes no abdômen. Devido à sua alta vascularização e quantidade de sangue, um rompimento do baço resulta em intensa hemorragia interna. Os sintomas de um baço rompido incluem náusea, tontura, dor sob as costelas no lado esquerdo, manchas roxas na pele e batimento cardíaco acelerado.

Ilustração de um baço com lesão.
O rompimento do baço resulta em intensa hemorragia interna, podendo levar o indivíduo à morte caso o órgão não seja removido cirurgicamente.

Podemos viver sem o baço?

O baço é considerado um órgão não vital para o organismo, o que significa que podemos viver sem ele. Dessa forma, em caso de danos irreversíveis, é viável realizar sua remoção cirúrgica. Nesse cenário, outros órgãos e tecidos assumem parte de suas funções. O fígado desempenha um papel na reciclagem dos glóbulos vermelhos e seus componentes. Outros tecidos linfáticos do corpo assumem a função imunológica desempenhada pelo baço.

Apesar da possibilidade de viver sem o baço, é necessário ter cuidados extras com a imunidade, pois o indivíduo se torna mais suscetível a infecções. É fundamental manter um estilo de vida saudável e estar atento aos sinais de doenças, como a febre, sem subestimá-los, uma vez que uma infecção simples pode se agravar nesse caso. Além disso, é recomendado tomar vacinas e seguir as orientações médicas adequadas para manter a saúde em dia.

Como se mantém o baço saudável?

Os cuidados com o baço são os mesmos que devemos ter com o restante do organismo. Aqui estão algumas medidas importantes:

  • Boas práticas de higiene: manter uma higiene adequada, incluindo cuidados com a higiene dos alimentos, ajuda a reduzir a contaminação por infecções fúngicas, bacterianas e outras infecções recorrentes.
  • Tratamento de infecções sistêmicas: é fundamental tratar as infecções no organismo para evitar sobrecarregar o baço.
  • Realização de exames periódicos: fazer exames regulares e check-ups é uma forma de cuidar do baço e identificar problemas precocemente, possibilitando um tratamento mais eficaz.

Curiosidades sobre o baço

  • A localização do baço o torna suscetível a lesões em casos de trauma abdominal.
  • Existe uma condição clínica conhecida como baço acessório, uma alteração congênita (presente desde o nascimento) em que a pessoa possui dois baços. Na maioria dos casos, não há impacto na saúde do indivíduo. Exames de ultrassom e tomografia auxiliam a identificar e visualizar o baço adicional.
  • Na espécie humana, o tecido conjuntivo da cápsula e das trabéculas apresenta poucas fibras musculares lisas. No entanto, em certos mamíferos, como gatos, cães e cavalos, essas fibras são abundantes, e sua contração resulta na expulsão do sangue acumulado no baço.
  • Em algumas patologias, como a leucemia, o baço pode voltar a produzir hemácias. Esse processo se chama metaplasia e envolve a transformação de um tipo de tecido em outro. Nesse caso, como ocorre o aparecimento de tecido mieloide (tecido responsável pela formação das células sanguíneas) fora da medula óssea vermelha, o processo é denominado metaplasia mieloide.

Fontes

ALBERTS, B.; JOHNSON, A.; LEWIS, J.; RAFF, M.; RIBERTS, K.; WALTER, P. Molecular Biology of the Cell. 4 ed. New York: Garland Science, 2002.

JUNQUEIRA, L. C. U.; CARNEIRO, J. Histologia Básica. 12 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

KAWAMOTO, S.; JOHNSON, P. T.; HALL, H.; CAMERON, J. L. HRUBAN, R. H.; FISHMAN, E. K. Intrapancreatic accessory spleen: CT appearance and differential diagnosis. Abdom Radiol, v. 37, n. 5, p. 812-827, 2012.

VARELLA, D. Baço. In: Drauzio Varella. Disponível em: https://drauziovarella.uol.com.br/corpo-humano/baco/.

Escritor do artigo
Escrito por: Heloísa Fernandes Flores Bacharela, licenciada e mestre em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo. Atualmente, é doutoranda em Entomologia e cursa uma especialização em Gestão Escolar na mesma instituição. Desenvolve pesquisas com análise de conteúdo de livro didático e evolução de insetos.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FLORES, Heloísa Fernandes. "Baço"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/baco.htm. Acesso em 19 de julho de 2024.

De estudante para estudante