Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Elizabeth Kenny

Elizabeth Kenny foi uma enfermeira australiana que ficou conhecida por inventar o método Kenny, um tratamento para poliomielite.

Fotografia em preto de branco de Elizabeth Kenny sorrindo e levantando o braço esquerdo.
Elizabeth Kenny foi a enfermeira australiana responsável pelo método Kenny.[1]
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

Elizabeth Kenny foi uma enfermeira australiana que ficou conhecida por desenvolver um tratamento eficaz para amenizar os sintomas de poliomielite, doença que afeta os músculos, podendo causar paralisia. O tratamento ficou conhecido como método Kenny, sendo largamente utilizado na Austrália e levado para os Estados Unidos e Europa.

Elizabeth Kenny iniciou sua trajetória como uma enfermeira não regulamentada. Atuou na Primeira Guerra Mundial e estabeleceu várias clínicas na Austrália para tratar casos de paralisia cerebral e poliomielite. Sofreu uma forte resistência da comunidade médica, mas viu o seu tratamento tornar-se referência.

Leia mais: Sigmund Freud — famosa personalidade do séc. XX, médico neurologista é mundialmente conhecido como o pai da psicanálise

Tópicos deste artigo

Resumo sobre Elizabeth Kenny

  • Elizabeth Kenny foi uma renomada enfermeira australiana.

  • Ficou conhecida por ter inventado o método Kenny, eficaz tratamento para atenuar os efeitos da poliomielite.

  • Ela iniciou sua carreira como enfermeira não regulamentada, mas tornou-se uma referência na área.

  • Atuou na Primeira Guerra Mundial como enfermeira que cuidava dos soldados feridos.

  • Viu seu método se popularizar na Austrália, nos Estados Unidos e na Europa.

Biografia de Elizabeth Kenny

Elizabeth Kenny nasceu no dia 20 de outubro de 1880, sendo originária da cidade de Warialda, em Nova Gales do Sul, na Austrália. Ela era filha de um fazendeiro irlandês chamado Michael Kenny e de uma mulher australiana chamada Mary Kenny, sendo parte de uma família de classe média baixa.

A educação de Elizabeth Kenny foi bastante básica, uma vez que ela foi ensinada por sua mãe durante alguns anos e teve pouco tempo de educação formal. Apesar disso, ela mostrava ser uma ótima leitora, e, durante a sua adolescência, despertou um forte interesse pela medicina.

Ela estudava por conta própria a anatomia humana, procurando sempre entender o funcionamento dos músculos. As primeiras experiências profissionais de Elizabeth Kenny foram como professora, mas logo ela começou o que foi a sua vocação de vida: a enfermagem. Ela não era uma enfermeira registrada, mas atuava na área mesmo assim, chegando a trabalhar em hospitais locais.

Em 1913, Elizabeth Kenny abriu o seu próprio hospital, na cidade de Clifton. Na época, uma das doenças mais comuns era a poliomielite, que causa paralisia muscular nos membros inferiores. A jovem enfermeira ficou conhecida por implantar um tratamento revolucionário que recebeu o nome de método Kenny.

Em 1915, Elizabeth Kenny alistou-se no exército para atuar como enfermeira na Primeira Guerra Mundial. Ela foi dispensada por não ser registrada, mas acabou sendo convocada por ter boas recomendações. Ela atuou como enfermeira em um navio que levava suprimentos para os britânicos e retornava com soldados feridos.

Sua atuação de destaque fez com que ela recebesse uma promoção, alcançando a patente de sister (irmã), que correspondia à de primeiro-tenente. Ela recebeu essa patente em 1917, e, dois anos depois, foi dispensada do serviço militar com honras. Ela usou o título de sister durante o restante de sua vida.

Na década de 1930, Kenny estabeleceu uma clínica em Townsville para cuidar de pacientes com paralisia cerebral e poliomielite. Os métodos usados por ela para tratar os seus pacientes foram ridicularizados por muitos médicos australianos, mas tantos os métodos quanto sua clínica foram autorizados pelo governo australiano.

Clínica Sister Kenny, em Brisbane, na Austrália.[2]

 

Outra clínica que utilizava o método de Kenny no tratamento de poliomielite foi aberta, dessa vez em Brisbane, e pacientes de todas as partes da Austrália passaram a procurá-la para tratar a doença. A sister também foi convidada a palestrar sobre os seus conhecimentos no Reino Unido no final da década de 1930.

Em 1940, Elizabeth Kenny fez uma viagem aos Estados Unidos, recebendo apoio do governo norte-americano para que ela pudesse ministrar especializações aos médicos locais. Ela aproveitou a ocasião e fundou uma clínica em Rochester, Minnesota, além de ter formado o Sister Kenny Institute, em Minneapolis.

  • Falecimento de Elizabeth Kenny

Os últimos anos da vida de Elizabeth Kenny ficaram marcados por viagens na Austrália, nos Estados Unidos e na Europa. Ela se tornou um grande nome da medicina no mundo, embora muitos pesquisadores apontem que a misoginia de sua época fez com que ela recebesse menos prestígio do que de fato mereceu. Elizabeth Kenny faleceu no dia 29 de novembro de 1952, vítima de complicações causadas pelo mal de Parkinson.

Leia mais: Nise da Silveira — psiquiatra brasileira pioneira na defesa de tratamento humanizado aos pacientes com transtornos mentais

Método Kenny

Um dos tratamentos utilizados para a poliomielite na época era engessar os membros afetados pela doença, o que, no longo prazo, causava atrofia muscular. Elizabeth Kenny não concordava com esse tratamento, decidindo usar um que ela desenvolveu e era baseado no uso de compressas quentes e úmidas nos músculos afetados.

Além disso, ela incentivava que os seus pacientes fizessem exercícios de fortalecimento muscular para evitar que a doença causasse a atrofia dos músculos. Seu método foi considerado bastante eficaz, recebeu o nome de método Kenny e fez com que milhares de pessoas fossem tratadas de maneira mais adequada contra a poliomielite.

O método de Elizabeth Kenny foi um grande sucesso porque se estabeleceu como uma alternativa eficaz quando ainda não havia a vacina contra a poliomielite.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Legado de Elizabeth Kenny

Elizabeth Kenny ficou marcada como uma das principais enfermeiras da história, além de ter cuidado de milhares de pessoas que sofriam de poliomielite. O tratamento que ela desenvolveu mostrou ser um bom meio de combater o avanço de poliomielite e, embora tenha sofrido inúmeras resistências, foi levado para diferentes partes do planeta.

Especialistas na área da saúde dizem que o tratamento de Kenny para incentivar o fortalecimento muscular e evitar a atrofia dos músculos foi tão importante e revolucionário que é considerado, por muitos, como uma das bases da medicina moderna. Além disso, como mencionado, o método mostrou ser o mais eficaz no combate à poliomielite da sua época.

Créditos da imagem

[1]Commons

[2]Commons

Fontes

CHERF, Tania. Australian bush nurse Elizabeth Kenny honoured for pioneering polio treatment. Disponível em: https://www.abc.net.au/news/2022-10-31/nurse-elizabeth-kenny-honoured-polio-treatment/101583118

KHOURY, Marta Elisa Bierrenbach. O tratamento da paralisia infantil pelo método Kenny. Disponível em: https://www.scielo.br/j/anp/a/j3SD7NFchnhLLCWvpFWjqCD#:~:text=O%20m%C3%A9todo%20Kenny%20exige%20um,quentes%20preparadas%20de%20maneira%20especial.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Poliomelite (paralisia infantil). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/poliomielite-paralisia-infantil/

PATRICK, Ross. Elizabeth Kenny (1880-1952). Disponível em: https://adb.anu.edu.au/biography/kenny-elizabeth-6934

WATSON INSTITUTE. Sister Elizabeth Kenny Biography. Disponível em: https://www.thewatsoninstitute.org/about-us/history/sister-elizabeth-kenny-biography/

Escritor do artigo
Escrito por: Daniel Neves Silva Formado em História pela Universidade Estadual de Goiás (UEG) e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como professor de História desde 2010.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Elizabeth Kenny"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biografia/elizabeth-kenny.htm. Acesso em 13 de julho de 2024.

De estudante para estudante