Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Nova imagem dos "Pilares da Criação" é captada pelo telescópio James Webb

O comunicado da agência espacial americana diz que cada instrumento avançado oferece aos pesquisadores novos detalhes sobre a região.

Em 20/10/2022 10h50 , atualizado em 01/11/2022 11h37
Imagem dos Pilares da Criação foi capturada por meio do supertelescópio James Webb
Imagem foi capturada poer meio do supertelescópio James Webb* Crédito da Imagem: Divulgação / NASA/ESA/CSA/STScI

PUBLICIDADE

Foi divulgada pela Nasa nesta quarta-feira, 19 de outubro, novo registro dos conhecidos “Pilares da Criação”, que são estruturas situadas no coração do aglomerado estelar Nebulosa da Águia, a 6.500 anos-luz de distância da Terra.

A imagem foi capturada por meio do supertelescópio James Webb, principal observatório de ciência espacial do mundo, lançado em dezembro de 2021.

No registro é possível ver com riqueza de detalhes as estruturas semelhantes a pilares (na verdade, são colunas de gás hidrogênio interestelar e poeira), os quais também servem para a formação de novas estrelas.

Em 1995, o telescópico espacial Hubble registrou pela primeira vez os Pilares da Criação. Desde então, a paisagem foi revisitada e estudada por inúmeros observatórios.

O comunicado da agência espacial americana diz que cada instrumento avançado oferece aos pesquisadores novos detalhes sobre a região, que está "transbordando" de estrelas. A Nasa informou ainda que os pequenos pontos vermelhos brilhantes na imagem são jovens estrelas de “apenas algumas centenas de milhares de anos.”

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Leia também: Você sabe o que são estrelas cadentes?

Auxílio para novas pesquisas

Com as novas imagens, pesquisadores terão auxílio para reformular seus modelos de formação de estrelas e identificar contagens mais precisas de estrelas recém-formadas, além das quantidades de gás e poeira na região.

Espera-se que, com o tempo, eles consigam construir uma compreensão mais clara de como as estrelas se formam e saem dessas nuvens empoeiradas ao longo de milhões de anos.

Por Érica Caetano
Jornalista

*Crédito imagem: Nasa/ESA/CSA/STScI (reprodução)

 

PUBLICIDADE