Topo
pesquisar

Batalha de Khalkhin Gol

História Geral

A batalha de Khalkhin Gol foi um combate fundamental travado entre soviéticos e japoneses em uma região fronteiriça da Mongólia com Manchukuo, entre maio e agosto de 1939.
Soldados soviéticos que estavam instalados na região da Mongólia e que atuaram durante a Batalha de Khalkhin Gol*
Soldados soviéticos que estavam instalados na região da Mongólia e que atuaram durante a Batalha de Khalkhin Gol*
PUBLICIDADE

A Batalha de Khalkhin Gol é o nome que se dá aos enfrentamentos que aconteceram entre União Soviética e tropas do Exército Kwantung (Japão) entre maio e agosto de 1939. Apesar de pouco conhecidas, as batalhas travadas em Khalkhin Gol e seu desfecho mudaram completamente o destino da Segunda Guerra Mundial.


Antecedentes

Na década de 1930, a tensão existente entre soviéticos e japoneses era gigantesca. Primeiramente, havia uma grande rivalidade entre essas nações, devido ao histórico de enfrentamento durante a Guerra Russo-Japonesa (1904-1905), da qual os japoneses saíram vencedores. Além disso, a consolidação de um Estado fantoche dos japoneses na China (Estado de Manchukuo) havia aumentado consideravelmente a rivalidade entre os lados.

Leia também: Guerra Russo-Japonesa

A questão ideológica também tinha um peso relevante na tensão entre as duas nações. A União Soviética era vista como uma ameaça pelos japoneses por ser uma nação comunista. Na década de 1930, existia um grupo dentro dos quadros políticos do Japão que considerava o enfrentamento da União Soviética inevitável e necessário.

Outro elemento que agregava tensão às relações entre japoneses e soviéticos era o apoio oferecido pelo governo de Moscou aos comunistas que lutavam contra a presença dos japoneses na China. Os soviéticos forneciam armas a esses revolucionários. Por fim, havia a questão territorial: a Mongólia era uma nação comunista desde 1924 e, com o estabelecimento dos japoneses na Manchúria em 1931, intensificou-se a disputa fronteiriça.

Entenda também: Segunda Guerra Sino-Japonesa

Essa questão fronteiriça existente entre Manchukuo e Mongólia referia-se a um pequeno trecho de terra que envolvia uma região que incluía o rio Halala e um vilarejo chamado Nomonhan. Desde 1935, eram realizadas negociações entre as nações, envolvendo inclusive a União Soviética. No entanto, essas negociações fracassaram, o que deixava uma impressão de que essa questão não seria resolvida de maneira pacífica.

A alta tensão existente entre soviéticos e japoneses estabelecidos em Manchukuo ficou evidente a partir do Incidente Changkufeng, também conhecido como Batalha do Lago Khasan, que ocorreu entre julho e agosto de 1938. Essa batalha aconteceu em uma região que ficava nas proximidades de Vladivostok.


A Batalha de Khalkhin Gol

Em 1939, a ordem oficial do Império Japonês para as tropas do Exército Kwantung era evitar o enfrentamento das tropas soviéticas nas fronteiras existentes entre União Soviética e Manchukuo. Essa ordem desagradava profundamente a um grupo da sociedade japonesa que considerava essencial o combate ao comunismo por meio de um conflito aberto contra a União Soviética.

A batalha de Khalkhin Gol acabou iniciando-se sem uma autorização formal do Japão, conforme registra o historiador Antony Beevor:

[…] o Exército Kwantung, sem informar Tóquio, emitiu uma ordem permitindo ao comandante local agir como achasse melhor para punir os ofensores [os soviéticos]. Isso ocorreu sob a chamada prerrogativa da “iniciativa em campanha”, que permitia aos exércitos movimentar tropas por razões de segurança, em suas próprias áreas, sem consultar o Estado-Maior imperial|1|.

A batalha em si iniciou-se no dia 12 de maio de 1939, antes, portanto, do início formal da Segunda Guerra (1º de setembro de 1939). Tudo começou quando parte da cavalaria mongol cruzou o Khalkhin Gol (Rio Halaha) para que seus cavalos pudessem pastar nas estepes existentes a leste do rio e estabeleceu-se perto do vilarejo de Nomonhan.

Esse ato da cavalaria mongol foi considerado pelas tropas do Exército Kwantung uma invasão, e os japoneses abriram fogo e expulsaram os mongóis da região. Aproximadamente duas semanas depois, os soviéticos (aliados dos mongóis) responderam ao ataque com envio de reforços, que conquistaram Nomonhan em junho de 1939.

A partir desses acontecimentos, o governo soviético percebeu que as tensões na região não diminuiriam, então nomearam Georgy Zukov para liderar a organização das defesas soviéticas na região. Zukov organizou um grande esforço logístico para fortalecer as defesas soviéticas e para organizar a chegada dos reforços. Os japoneses designaram o tenente-general Komatsubara Michitaro para liderar as forças japonesas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Novas ordens do Império Japonês para evitar que os confrontos com os soviéticos acontecessem foram ignoradas pelo Exército Kwantung, que organizou ataques aéreos contra as forças soviéticas na virada de junho para julho. Logo após, os japoneses conseguiram conquistar áreas estratégicas, garantindo sua supremacia no campo de batalha.

A partir de julho, Zukov colocou em prática uma tática russa nomeada por eles como maskirovka. Essa estratégia russa consistia em enganar as forças adversárias, passando a impressão de que estavam adotando medidas para fortalecer suas defesas, mantendo-se, porém, estáticos. Assim, de maneira sigilosa, Zukov organizava a chegada de seus reforços e mantinha-os escondidos para que os japoneses pensassem que as forças soviéticas eram drasticamente menores.

Secretamente, Zukov conseguiu fazer que o exército soviético alcançasse o total de 58 mil homens, além de quase 500 tanques e 250 aviões|2|. O ataque russo iniciou-se em 20 de agosto de 1939, com o ataque da infantaria concentrado no centro. Enquanto isso, a cavalaria mongol e as divisões blindadas flanqueavam e atacavam os japoneses pela retaguarda, completando um cerco. As forças blindadas soviéticas eram muito superiores aos blindados japoneses, e isso foi crucial para a derrota japonesa.

A cultura militar japonesa não aceitava recuos ou derrotas, o que levou os japoneses a enfrentarem abertamente o ataque, fato que, ao longo dos dias, dizimou suas forças. Beevor estima que as perdas japonesas alcançaram um total de 61 mil homens, enquanto as baixas dos soviéticos foram por volta de 23 mil homens |3|.

Por causa dessa derrota, o governo japonês colocou fim às tentativas de manter a luta em Khalkhin Gol, e a Alemanha, grande aliada do Japão, assinou um acordo de não agressão com os soviéticos. Stalin também considerou prudente encerrar as hostilidades com os japoneses e, no dia 31 de agosto de 1939, encerrou-se a batalha de Khalkhin Gol, com os soviéticos obtendo uma importante vitória.


Importância da Batalha de Khalkhin Gol

Observando os acontecimentos históricos cronologicamente, a batalha de Khalkhin Gol foi fundamental para os rumos tomados pela Segunda Guerra Mundial. Antes dessa batalha, os quadros políticos e militares do Japão estavam divididos entre aqueles que priorizavam a luta contra a União Soviética e aqueles que priorizavam a luta contra as regiões do sudeste asiático e contra os Estados Unidos.

A derrota sofrida pelos japoneses em Khalkhin Gol foi essencial para os rumos da guerra, porque, depois dela, o grupo que defendia o combate ao norte contra a União Soviética saiu extremamente enfraquecido, e essa visão perdeu credibilidade na sociedade e nos quadros gerenciais do Japão. Caso os japoneses tivessem priorizado o ataque ao norte, os soviéticos não teriam tido condição de reforçar suas defesas a oeste. Isso poderia ter sido fatal para a União Soviética, pois, com dois frontes de guerra (um contra alemães e outro contra japoneses), dificilmente os soviéticos conseguiriam resistir. Além disso, se os japoneses tivessem priorizado o ataque ao norte, o ataque a Pearl Harbor, por exemplo, não teria acontecido. Assim, a entrada dos Estados Unidos na Guerra não teria ocorrido.

|1| BEEVOR, Antony. A Segunda Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Record, 2015, pp. 24-25.
|2| Idem, p. 26.
|3| Idem, p. 27.

*Créditos da imagem: IgorGolovniov e Shutterstock

Por Daniel Neves
Graduado em História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Daniel Neves. "Batalha de Khalkhin Gol"; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/historiag/batalha-khalkhin-gol.htm>. Acesso em 18 de agosto de 2018.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA