Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Derivação sufixal

Derivação sufixal é um processo de formação de palavra por meio do acréscimo de um sufixo ao termo original, criando outro termo com um novo significado.

Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

A derivação sufixal é um tipo de derivação bastante presente na língua portuguesa, mantendo o radical da palavra original para gerar outros termos relacionados a ele com o acréscimo de sufixos. A palavra original, dependendo do sufixo que for acrescentado, pode gerar novos:

  • substantivos
  • adjetivos
  • verbos
  • advérbios

Leia também: Derivação imprópria – mudança da classe gramatical de um vocábulo sem alterar a forma

Tópicos deste artigo

O que é derivação sufixal?

A derivação sufixal refere-se ao acréscimo de sufixos a um termo, de modo a gerar novas palavras.
A derivação sufixal refere-se ao acréscimo de sufixos a um termo, de modo a gerar novas palavras.

A derivação sufixal é um tipo de derivação no qual se altera a forma do termo original acrescentando-se um sufixo, isto é, um morfema após o radical da palavra, para criar um termo derivado da palavra original. Assim, o “pedaço” acrescentado após o radical gera novas palavras derivadas da original.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Exemplos de derivação sufixal

Observe nos exemplos seguintes como o radical dos termos originais foi mantido (completamente ou com algumas alterações), tendo um sufixo para gerar novas palavras.

Palavra
primitiva

Palavra
derivada

água

aguar, aquífero

baixo

baixinho

casa

casamento

cor

colorido, corante

feio

feioso

feroz

ferozmente

gravar

gravador

ler

leitura

maçã

macieira

magro

magricela

roer

roedor

sorte

sortudo


Veja também: Derivação regressiva – redução da palavra original para a formação de uma nova

Sufixos nominais, verbais e adverbiais

Os sufixos podem ser classificados de maneira diferente de acordo com o tipo de palavra que originam, havendo três tipos principais de sufixo. Entenda melhor a seguir:

  • Sufixos nominais: geram substantivos ou adjetivos ao serem acrescentados ao radical. Alguns sufixos nominais são:

-ismo: ceticismo, cinismo, simbolismo.

-ista: ativista, idealista, simplista.

-ante: migrante, tolerante, variante.

  • Sufixos verbais: geram verbos ao serem acrescentados ao radical.

Alguns sufixos verbais são:

-ear: folhear, pleitear, semear.

-ejar: cotejar, planejar, praguejar.

-izar: estigmatizar, racionalizar, sistematizar.

  • Sufixo adverbial: gera advérbios ao ser acrescentado ao radical.

O sufixo adverbial é:

-mente: agilmente, coletivamente, felizmente, tardiamente etc.

Exercícios resolvidos

Questão 1 - (FCC)

Espaço e tempo modernos

Nota-se nos romances mais representativos do século XX uma modificação análoga à que sucedeu com a pintura moderna, modificação que parece ser essencial à estrutura do modernismo. À eliminação do espaço ou da ilusão do espaço, na pintura, parece corresponder, no romance, a da sucessão temporal. A cronologia e a continuidade temporal foram abaladas, “os relógios foram destruídos”. O romance moderno nasceu no momento em que Proust, Joyce e Gide começam a desfazer a ordem cronológica, fundindo passado, presente e futuro, fazendo prevalecer o princípio da simultaneidade sobre o da sucessão temporal.

A visão de uma realidade mais profunda, mais real que a do senso comum, é assim incorporada à forma total da obra de arte. O homem já não vive "no tempo", ele passa a "ser tempo", ou seja, a carregar dentro de si a dimensão de um tempo que não apenas flui, mas que problematiza a si mesmo.

(Adaptado de Anatol Rosenfeld. Texto/contexto)

Formaram-se, pelo processo de derivação sufixal, as palavras

A) realidade e temporal.

B) representativos e espaço.

C) visão e momento.

D) cronologia e análoga.

E) relógios e tempo.

Resolução

Alternativa A. Houve derivação sufixal em “realidade” (derivada do adjetivo “real”) e “temporal” (derivada do substantivo “tempo”).

Questão 2 - (Funrio)

Se liga, meu!

            Você resmunga contra a corrupção e paga “uma cervejinha” pro guarda não multar seu carro?

            Você acha um absurdo que os camelôs “invadam” as calçadas da cidade e para em fila dupla, “só um minutinho”?

MTV, março de 2001. (adaptado)

Os termos “cervejinha” e “minutinho” empregados no texto foram obtidos pelo processo de

A) aglutinação.

B) derivação prefixal.

C) derivação sufixal.

D) composição.

E) parassíntese.

Respostas

Alternativa C. O processo de derivação sufixal nos dois casos ocorre com o acréscimo do sufixo nominal -inha/-inho aos substantivos “cerveja” e “minuto”.

 

Por Guilherme Viana
Professor de Gramática

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

VIANA, Guilherme. "Derivação sufixal"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/gramatica/derivacao-sufixal.htm. Acesso em 04 de julho de 2022.

De estudante para estudante


Qual a diferença entre os “porquês”?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Qual a diferença entre frase e oração?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

PUBLICIDADE

Estude agora


10 anos da Guerra Civil Síria

Assista a nossa videoaula para conhecer a história dos 10 anos da Guerra Civil Síria. Confira também no nosso canal...

Variabilidade genética

Sempre que falamos de variabilidade genética, analisamos genótipos e fenótipos, observamos novas características,...